Leucemia, linfoma e mieloma: atenção aos sinais e sintomas Pular para o conteúdo principal

Leucemia, linfoma e mieloma: atenção aos sinais e sintomas

 
Publicado em:

Leucemia, linfoma e mieloma: atenção aos sinais e sintomas

Fazer o diagnóstico precoce de um câncer hematológico é fundamental para o sucesso do tratamento

Publicado em:

Ilustração glóbulos vermelhos

Ilustração glóbulos vermelhos

Fazer o diagnóstico precoce de um câncer hematológico é fundamental para o sucesso do tratamento

Leucemia, linfoma e mieloma são tumores hematológicos que merecem total atenção.

Sim, a pandemia de Covid-19 permanece em curso, mas o câncer não espera. Por isso, o A.C.Camargo Cancer Center conta com um Atendimento Oncológico Protegido, para que seus pacientes possam vir à Instituição para fazer consultas, exames e outros procedimentos com total segurança. 

Algo muito importante. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a estimativa é que 5.920 homens tenham sido diagnosticados com leucemia em 2020. Ao considerarmos as mulheres, o câncer hematológico mais recorrente foi o linfoma não Hodgkin, com 5.450 novos casos.

Assim, é vital que as pessoas se atentem a sinais e sintomas e, ao notá-los, procurem ajuda médica.

Para isso, veja a seguir os sinais e sintomas dos tumores hematológicos e aprenda a detectar os indícios.


Leucemia

•    Febre inexplicável
•    Sensação de fraqueza e fadiga persistente
•    Perda de apetite
•    Perda de peso inexplicável
•    Sangramentos e hematomas que aparecem com facilidade e sangramentos nasais
•    Dificuldade para respirar
•    Petéquias, pequenos pontos vermelhos que aparecem na pele por causa de sangramentos
•    Anemia
•    Suores noturnos
•    Inchaço dos gânglios linfáticos
•    Dor nos ossos ou nas juntas
•    Infecções recorrentes
•    No caso da Leucemia Linfocítica Aguda (LLA), os sintomas podem incluir o aparecimento de nódulos indolores sob a pele na virilha, nas axilas ou no pescoço e/ou dor na região abaixo das costelas


Linfomas 

Linfoma Hodgkin

•    Dor nos gânglios inflamados
•    Suores noturnos intensos, com ou sem febre
•    Febre ou calafrios à noite ou mesmo durante o dia
•    Perda de apetite
•    Perda de peso inexplicável
•    Fadiga ou perda de energia
•    Pele seca e com coceira
•    Erupção cutânea avermelhada, disseminada pelo corpo
•    Tosse e dificuldade para respirar ou desconforto no peito, causados por um gânglio linfático grandemente aumentado nessa região
•    Aumento do fígado ou do baço


Linfoma não Hodgkin

Os sintomas dos linfomas não Hodgkin variam de pessoa para pessoa, mas costumam apresentar:

•    Inchaço indolor dos gânglios linfáticos da virilha, axilas e pescoço
•    Suores noturnos intensos, com ou sem febre
•    Febre
•    Erupção cutânea avermelhada, disseminada pelo corpo
•    Náusea, vômitos ou dor abdominal
•    Perda de peso inexplicável
•    Cansaço
•    Coceira
•    Tosse ou dificuldade para respirar
•    Dor de cabeça e dificuldade de concentração

As formas mais agressivas dos linfomas não Hodgkin podem ter estes e outros sintomas, que incluem:

•    Dor no pescoço, nos braços ou no abdome
•    Dificuldade para respirar
•    Fraqueza nos braços e/ou nas pernas
•    Confusão mental


Mieloma múltiplo

O mieloma múltiplo é o câncer de um tipo de células da medula óssea chamadas de plasmócitos, responsáveis pela produção de anticorpos que combatem vírus e bactérias.

No mieloma múltiplo, os plasmócitos são anormais e se multiplicam rapidamente, comprometendo a produção das outras células do sangue. 

Por isso, os pacientes podem ter anemia e ficam sujeitos a infecções. 

Os plasmócitos cancerosos também produzem uma proteína anormal, chamada de proteína monoclonal, que se acumula no sangue e na urina. As células doentes também podem afetar os ossos, causando dores e fraturas espontâneas.

 

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

A bebida alcoólica eleva o risco de um câncer de boca?
A bebida alcoólica pode ser, sim, um fator de risco para o desenvolvimento de um câncer. Essa associação ocorre não apenas para um tumor de cabeça e pescoço, como boca, faringe e laringe. O álcool também pode implicar problemas no...
Podcast Rádio Cancer Center #20 - O cirurgião oncológico
Conheça o papel deste especialista essencial A conversa de hoje é sobre o papel do cirurgião oncológico. Vamos falar da atuação desse especialista que é vital para o tratamento do câncer. Trata-se de um profissional que não somente é preparado...
Podcast Rádio Cancer Center #19 - Julho Verde e a reabilitação de um câncer de cabeça e pescoço
Conheça mais as possibilidades terapêuticas da fonoaudiologia e da estomatologia Neste Julho Verde, mês de conscientização para o combate aos tumores de cabeça e pescoço ( leia mais a seguir), é importante falar de reabilitação. É fundamental ressaltar as possibilidades...
Como eu me tornei uma oncologista
Para marcar este 9 de julho, Dia do Oncologista, saiba mais sobre a profissão com o depoimento da Dra. Maria Nirvana da Cruz Formiga, oncologista clínica do Departamento de Oncogenética do A.C.Camargo “A oncologia é uma área que me encantou...
Julho Verde: 9 mitos & verdades sobre o câncer de cabeça e pescoço
Julho Verde: os tumores de cabeça e pescoço representam o nono tipo de câncer mais comum no mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Incluindo todas as áreas da cavidade oral, como a língua e boca, e...