Churrasco e câncer: há relação? | A.C.Camargo Cancer Center Pular para o conteúdo principal

Churrasco e câncer: há relação?

 
Publicado em:

Churrasco e câncer: há relação?

Descubra se a carne vermelha no carvão sabota a sua saúde 

Publicado em:

Homem branco segura um prato com churrasco

Homem branco segura um prato com churrasco

Descubra se a carne vermelha no carvão sabota a sua saúde 

Churrasco e câncer, uma relação que gera muitas dúvidas nas cabeças dos brasileiros.

Afinal, aquela carninha que você (que não é vegetariano ou vegano) come com os amigos e a família poderia estar sabotando a sua saúde?

Certo é que o consumo de carne vermelha é associado ao risco aumentado para alguns tumores, como o câncer de cólon, pâncreas e próstata.

Segundo o Dr. Victor Hugo Fonseca de Jesus, vice-líder do Centro de Referência em Tumores do Aparelho Digestivo Alto do A.C.Camargo, no processo de preparo da carne no churrasco são gerados dois tipos de substâncias: as aminas policíclicas aromáticas (APA) e os hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPA). 

“Estas substâncias, após serem metabolizadas no nosso organismo, geram compostos químicos que lesam o nosso DNA e que são mutagênicos”, afirma o Dr. Victor Hugo.


Churrasco e câncer: bem passado, risco maior

Pesquisas com animais já demonstraram que esses compostos podem levar ao desenvolvimento de tumores. Além disso, a maior parte dos estudos epidemiológicos sugere uma associação entre o consumo excessivo de carne com consequentes níveis mais altos de ingestão de APA e HPA e um risco aumentado de câncer. 

“Tanto é verdade que, hoje, a IARC, Associação Internacional para Pesquisa em Câncer, categoriza a carne vermelha como provavelmente carcinogênica para seres humanos”, explica o médico. 

A produção dessas substâncias varia consideravelmente de acordo com o tipo de carne e com o modo, o tempo e a temperatura de preparo. 

“De modo geral, na carne bem passada e chamuscada há maiores concentrações de APA e HPA, que podem elevar mais significativamente o risco de desenvolver câncer”, diz o Dr. Victor Hugo.


Solução: saiba como equilibrar a dieta

O mais importante é manter uma dieta balanceada

“De forma alguma estes dados devem ser interpretados como uma evidência de que não se deva comer carne vermelha ou carne processada. Aqui, a palavra-chave é moderação. De maneira geral, deve-se evitar o consumo de carne vermelha ou processada mais de duas a três vezes por semana”, avisa o Dr. Victor Hugo. 

Além disso, é importante privilegiar o consumo de frutas e vegetais. Adicionalmente, outros aspectos da dieta parecem tão relevantes quanto a carne. 

“A obesidade é um fator de risco tão ou mais importante do que o consumo de carne para o desenvolvimento de câncer. Desta forma, não podemos nos descuidar com os doces ou alimentos muito ricos em carboidratos, pois estes também podem conferir indiretamente um risco aumentado de câncer”, finaliza o especialista. 

Doutor Victor Hugo Fonseca de Jesus, branco, cabelos negros, óculos e jaleco
"
De modo geral, na carne bem passada e chamuscada há maiores concentrações de APA e HPA, que podem elevar mais significativamente o risco de desenvolver câncer.
Doutor Victor Hugo Fonseca, vice-líder do CR em Tumores do Aparelho Digestivo Alto

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

Doutor Samuel Aguiar, homem branco e de cavanhaque castanho, posa de jaleco
Podcast Rádio Cancer Center #36 - Saiba como se prevenir contra o câncer de colón e reto
O câncer de colón e reto é muito frequente no Brasil. Sem contar os tumores de pele não melanoma, ele é o segundo mais comum entre os homens, com previsão de 20.540 novos casos para 2020, e também o segundo...
Arte gráfica com fundo verde escuro. Ao lado direito, uma mulher branca está com touca médica e máscara de proteção manipulando um soro fisiológico.
Imunoterapia: saiba em quais casos o tratamento é eficaz para tumores colorretais
A imunoterapia é um tratamento inovador que funciona como agente do bem em nosso organismo: ele dá um comando para que o sistema imunológico reconheça e destrua as células tumorais. Para funcionar, a imunoterapia se liga a proteínas presentes em...
Doutor Daniel Garcia, branco, 35 anos, cabelo castanho curto, óculos e jaleco; por trás, uma imagem de uma mulher quebrando um cigarro. Atrás, a foto de um vaso sanitário
Sangue nas fezes: devo me preocupar?
Sangue nas fezes. Pode ser assustador ver sangue no toalete ou no papel higiênico após evacuar. Felizmente, a maioria das causas de sangramento retal não são fatais – as mais comuns são as hemorroidas e as fissuras anais. Quando procurar...
Doutor Samuel Aguiar, homem branco e de cavanhaque castanho, posa de jaleco
Podcast Rádio Cancer Center #38 - O Cuidado com o Câncer de Cólon e Reto em Tempos de Covid-19
O câncer de cólon e reto é muito comum no Brasil. Sem contar os tumores de pele não melanoma, ele é o segundo mais comum entre os homens, com previsão de 20.540 novos casos para 2020, de acordo com o...
Paciente internado recebe bandeja com refeição
Pacientes com câncer colorretal podem voltar a comer de tudo?
Muitos pacientes com câncer colorretal têm dúvidas sobre o tipo de alimentação que devem ter e se poderão voltar a se alimentar normalmente após a cura. Thais Manfrinato Miola, supervisora de nutrição do A.C.Camargo Cancer Center, explica que dietas específicas...