Hábitos saudáveis

Cigarro eletrônico é droga?

Linha Fina

Neste infográfico, confira as características deste dispositivo

Como alternativa – não para a saúde, mas para o comércio – cresceu nos últimos anos o uso do cigarro eletrônico, conhecido pela abreviação e-cigs.

Sua função é imitar o cigarro convencional ao oferecer o "tragar" sem a presença de algumas substâncias prejudiciais ao organismo.

A promessa de que o e-cigs "não faz mal" e de ser uma forma de substituir o cigarro, porém, pode não ser verdadeira. 

A seguir, conheça neste infográfico como funciona este aparelho, sua reação no organismo e os possíveis efeitos que ele pode causar:

Cigarro eletrônico

 

Câncer de garganta: 5 dicas para você se prevenir

Linha Fina

Assista ao vídeo e saiba como se proteger neste Julho Verde, mês de conscientização mundial sobre os tumores de cabeça e pescoço

O câncer de garganta desenvolve-se na parte da garganta que fica logo atrás da boca, conhecida como orofaringe. Ela inclui a base da língua (a parte posterior da língua), o palato mole, as amígdalas, os pilares e as paredes laterais e posterior da garganta.

A boa notícia é que, ao evitar alguns comportamentos, você pode se prevenir de um câncer de garganta, como se vê no vídeo abaixo.

Lembrando que Julho Verde é o mês de conscientização mundial sobre os tumores de cabeça e pescoço, mais um motivo para você se proteger.

Assista:

Nutrição para pacientes com câncer: os desafios

Linha Fina

Conversa, medicamentos adequados e alimentação correta estão entre eles

A nutrição para pacientes com câncer é um pilar muito importante do tratamento, assunto abordado no do Next Frontiers to Cure Cancer, congresso internacional organizado pelo A.C.Camargo de 22 a 25 de junho.

No Simpósio de Nutrição e Nutrologia do evento, foi lembrado que é essencial que as equipes de nutrição tenham empatia e se dediquem ao ter uma conversa com os pacientes, pois assim é possível entendê-los por completo, já que eles chegam com uma grande carga psicológica e física.

“Muitas vezes, o paciente não consegue compreender o que estamos explicando. Ele até diz que entendeu, mas tem dificuldade por todo o contexto”, alerta Lidiane Pereira Magalhães, tutora do Programa de Residência Multi em Oncologia (Nutrição) e nutricionista do ambulatório de Nutrição em Oncologia do Departamento de Oncologia Clínica e Experimental da UNIFESP/HSP.


Uso inadequado de medicamentos e alimentação 

Esta é uma questão importante. “Por vezes, eles têm um tumor no estômago que está sendo tratado como gastrite e já chegam com o problema avançado. Ou eles acham que já tomam muito remédio e deixam de tomar, por exemplo, algo para a náusea. Ou o estômago está doendo e eles tomam Omeprazol por conta própria”, explica Lidiane.

A alimentação também é vital. “Às vezes, eles vêm de outros estados com um hábito alimentar diferente e ficam na casa de parentes, o que faz que ele coma menos. Economizar também é um ponto importante, pois eles podem apelar, por exemplo, por se alimentar com macarrão instantâneo. Se eles não se tratarem direito, vão desidratar”, acrescenta a especialista, que diz que faz falta um cuidador para monitorar essas questões. 


Nutrição para pacientes com câncer: outros desafios

De acordo com Lidiane, muitas coisas envolvem o paciente. Falta orientação e atendimento correto – muitos profissionais não têm paciência de explicar o quadro.

“Pode haver medo e preconceito, eles ‘não querem encontrar doença’. Às vezes, na região em que eles moram não há acesso ao serviço que eles necessitam, então eles precisam ir a outra cidade ou não conseguem a medicação para o problema que eles têm, e tudo isso agrava mais a saúde”, alerta a nutricionista Lidiane Pereira Magalhães.

Nutrição para pacientes com câncer: lidiane, branca, 40 anos

 

O papel do(a) endocrinologista na prevenção e no diagnóstico precoce de um câncer

Linha Fina

Especialista pode observar sinais importantes que ajudam a detectar um eventual tumor brevemente, algo essencial para o sucesso de um tratamento oncológico  

O endocrinologista é um especialista que maneja cuidados importantes para o paciente oncológico, que vão além dos tumores de origem endócrina.

Ele atua desde a prevenção até o manejo de eventuais efeitos adversos, que sejam consequência do câncer em si ou do tratamento. 

É vital que tanto a população em geral como os endocrinologistas tenham muita atenção em relação à prevenção e ao diagnóstico precoce de um eventual câncer. 

Dito isso, confira a seguir os fatores de risco, sinais e sintomas que merecem uma investigação mais cuidadosa, como aquela que é feita em uma Instituição oncológica de excelência como o A.C.Camargo. 


Prevenção 

Para manter o bom andamento do tratamento sob o aspecto metabólico, é indispensável que o endocrinologista esteja sempre atualizado com as mais novas terapias e monitore questões como:

•    Peso
•    Perda de massa magra 
•    Diabetes 
•    Colesterol 
•    Alterações hormonais 
•    Prevenção de perda óssea


Sinais e sintomas que pedem atenção do endocrinologista

O endocrinologista deve suspeitar de indícios que se apresentem de forma muito mais intensa do que ele esperaria diante de suas ações frente aos pacientes – tudo aquilo que foge um pouco do comum. 

Exemplos de sinais e sintomas que poderiam sinalizar um eventual câncer:

•    Perda ou ganho de peso de forma mais acentuada do que o esperado 
•    Um paciente que, por exemplo, começa a ter uma hiperglicemia ou uma piora importante do diabetes que estava sob controle
•    Hipoglicemia
•    Nódulos no pescoço 
•    Estrias largas e violáceas 
•    Hipertensão 
•    Hirsutismo (aumento da quantidade de pelos no corpo da mulher em locais comuns ao homem)
•    Alteração visual
•    Acne 

Ou seja, em vez de achar que o paciente é um bom respondedor, o endocrinologista tem de ficar “com a pulga atrás orelha” quando esses sintomas mencionados aparecem ou aumentam de forma não usual.


Fatores de risco que poderiam levar a um câncer

O endocrinologista está apto a monitorar alguns dos principais fatores de risco associados ao câncer:

•    Alimentação desregrada – repleta de alimentos ultraprocessados, açucarados e afins – e sedentarismo, ambos maus hábitos que ficam ainda mais perigosos quando associados à obesidade e ao diabetes 
•    Tabagismo 
•    Abuso do álcool 
•    Pessoas que já fizeram radioterapia 
•    Histórico familiar de câncer 


Fontes: Doutora Joilma Rodrigues de Lima e Doutor Danilo de Souza Aranha Vieira, endocrinologistas do A.C.Camargo

Dia Mundial sem Tabaco: entenda o papel do tabagismo na sua saúde

Linha Fina

Neste 31 de maio, saiba como abolir este hábito da sua vida e garantir benefícios – e conheça sinais e sintomas do câncer de pulmão

O Dia Mundial sem Tabaco, uma campanha mundial marcada todos os anos para 31 de maio, tem o objetivo de conscientizar a população sobre os malefícios do cigarro para a saúde e lembrar o papel fundamental que os pulmões desempenham na saúde e no bem-estar de todas as pessoas.

Sob o tema “Tabaco: Ameaça ao Nosso Meio Ambiente”, a campanha alerta não apenas sobre os prejuízos que o uso do tabaco e a exposição ao fumo passivo causam na saúde pulmonar, levando a doenças respiratórias crônicas como asma e bronquite e ao câncer de pulmão. Em 2022, a campanha também exalta que a conscientização pública sobre o impacto ambiental do tabaco, desde o cultivo, passando pela produção, a distribuição e os resíduos, algo que pode promover uma razão adicional ao abandono do tabaco. 

O tabagismo é responsável direto por mais de 80% dos casos de câncer de pulmão e mais de uma dezena de outros tipos de câncer, como esôfago, estômago, pâncreas, rim, bexiga, boca, laringe, faringe, garganta e mama. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), é a principal causa de morte evitável no mundo, com mais de 10 mil óbitos por dia.

O cigarro é composto por cerca de 4.700 substâncias tóxicas. Apresenta uma fase particulada (composta pela nicotina e pelo alcatrão) e uma fase gasosa (formada por monóxido de carbono, amônia, dentre outros). Como consequência da combustão do tabaco, essas substâncias tóxicas estão presentes na fumaça de cigarro, cachimbo, charuto, narguilé ou fumo-de-corda. Portanto, não existe forma e quantidade segura de consumo de tabaco.

 

Bem-estar longe do cigarro

Atitudes saudáveis como boa alimentação, atividade física, sono adequado e lazer contribuem para melhorar a qualidade de vida. Lembre-se sempre de que estilo de vida é uma questão de escolha. 

Segundo a American Cancer Society, os benefícios para quem deixa de fumar são muitos:
•    20 minutos sem fumar: redução da frequência dos batimentos cardíacos e da pressão arterial. A temperatura dos pés e das mãos se eleva.
•    12 horas: o monóxido de carbono atinge níveis normais no sangue.
•    24-48 horas: melhorado olfato e do paladar.
•    2 semanas a 3 meses: melhorada função pulmonar e da circulação sanguínea.
•    1 a 9 meses: redução de tosse, congestão nasal, cansaço, falta de ar e risco de surgimento de infecções respiratórias.
•    1 ano: reduz pela metade o risco de ataque cardíaco.
•    5 anos: redução do risco de desenvolver câncer de boca, garganta, esôfago e bexiga. O risco de um derrame cerebral passa a ser próximo ao de quem nunca fumou.
•    10 anos: o risco de morrer de câncer de pulmão cai pela metade, comparado a quem continua fumando.
•    15 anos: o risco de sofrer um infarto passa a ser próximo ao de quem nunca fumou.
•    20 anos: o risco de desenvolver câncer de pulmão passa a ser próximo ao de quem nunca fumou.


Sinais e sintomas do câncer de pulmão

Os sintomas de câncer de pulmão variam de pessoa para pessoa e muitas vezes a doença nem apresenta sintomas em seus estágios iniciais. No entanto, qualquer um destes sintomas merece uma consulta ao médico:

  • Tosse que não passa ou piora com o tempo
  • Dor no peito que não passa e piora quando a pessoa respira fundo, tosse ou dá risada
  • Dor no braço ou no ombro
  • Tossir sangue ou catarro com cor de ferrugem
  • Falta de ar, chiado no peito ou rouquidão
  • Crises repetidas de bronquite ou pneumonia
  • Inchaço do rosto ou pescoço
  • Perda de apetite ou de peso inexplicáveis
  • Fraqueza ou cansaço

Quando o câncer de pulmão se dissemina para outras partes do corpo, ele pode causar outros sintomas, entre eles:

  • Dor nos ossos
  • Fraqueza ou dormência nos braços ou nas pernas
  • Dor de cabeça, tontura ou convulsões
  • Icterícia
  • Inchaço nos gânglios linfáticos do pescoço ou ombros


O cigarro eletrônico

Utilizado por muitas pessoas como uma estratégia para interromper o hábito de fumar, ele também pode ser prejudicial para a saúde ao inalar o vapor produzido. A Organização Mundial da Saúde adverte que o uso do cigarro eletrônico não é uma forma segura de tratamento do tabagismo.

Muitos jovens não fumantes também utilizam o cigarro eletrônico por acreditarem que não faça mal. Entretanto, além de causar problemas para a saúde, o cigarro eletrônico pode funcionar como porta de entrada para o uso de cigarros ou outras formas de consumo de tabaco.

 

Prejuízos à saúde

O primeiro local de contato dos componentes do tabaco com o organismo ocorre na boca, causando danos como dentes amarelados e manchados, maior predisposição a cáries e mau hálito, além de câncer na cavidade oral. 

Depois de passar pela boca, a fumaça atinge outros órgãos, como a faringe e a laringe, onde pode causar problemas como faringite, laringite e câncer da laringe. Ao ser transportada através da traqueia e dos brônquios, a fumaça chega ao seu destino final, o pulmão.

Por ser o depósito final de todos os componentes da fumaça do tabaco, o pulmão é o órgão mais seriamente comprometido pelas doenças relacionadas ao tabagismo. Enfisema pulmonar, bronquite e câncer de pulmão são as principais doenças observadas.

 

Fumo passivo

Além de causar mal a quem inala diretamente a fumaça do tabaco, os malefícios são estendidos também aos não fumantes. A exposição à fumaça do tabaco presente no ambiente aumenta em cerca de 30% o risco de morrer por câncer de pulmão, infarto do miocárdio ou derrame cerebral.

Todas as doenças causadas pelo consumo de tabaco também podem comprometer os tabagistas passivos, como as crianças. 

 

Dia Mundial sem Tabaco: dependência

Cerca de 80% a 90% das pessoas começam a fumar antes dos 17 anos e, com o tempo, tornam-se dependentes da nicotina. Uma vez estabelecida a dependência, é difícil abandonar o cigarro, mesmo tendo pleno conhecimento de todos os malefícios que ele pode trazer.

Dentre os componentes do cigarro, a nicotina é uma droga psicoativa e a responsável pela dependência observada entre os fumantes. Ela chega ao sistema nervoso central em apenas 10 segundos e atua no sistema dopaminérgico, o mesmo que é afetado pela cocaína e anfetamina.

Também aumenta a liberação de substâncias que vão levar à vasoconstricção, causando aumento da pressão arterial e da frequência cardíaca.


Fonte: Doutor Jefferson Luiz Gross, líder do Centro de Referência em Tumores do Tórax do A.C.Camargo 

Cuide bem dos seus pulmões

O câncer de pulmão é o segundo mais comum no Brasil e o primeiro em todo o mundo.

Apesar de ser frequente, esse tipo de tumor pode ser evitado: cerca de 80% desses casos estão associados ao consumo de tabaco e derivados.

Por isso, manter hábitos saudáveis, como parar de fumar, é extremamente importante para contribuir com a prevenção da doença.

Confira nosso vídeo abordando os principais fatores de risco e exames para detecção precoce desse tipo de câncer.

 

Álcool em gel ou água e sabão? Data reforça a importância da limpeza correta das mãos

Linha Fina

O 5 de maio é dedicado ao Dia Mundial da Higienização das Mãos, uma das práticas mais eficazes no combate à transmissão de bactérias e vírus

A limpeza correta das mãos ganhou um enorme destaque desde 2020, quando a pandemia da covid-19 começou. O mundo colocou a prática como prioridade para diminuir o contágio da doença, além de incentivar o distanciamento social e uso correto das máscaras.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), reforça periodicamente  a prática da correta higienização das mãos para prevenir doenças. O dia 5 de maio foi a data escolhida para promover a prática em todo o mundo.

O passo a passo para a higienização correta das mãos você confere ao fim deste texto.


Álcool em gel x água e sabão

Muito se fala sobre a higienização das mãos com álcool em gel e com água e sabão. Mas existem diferenças entre esses métodos?

Fato é que o álcool em gel elimina os microrganismos que podem estar nas nossas mãos, e serve para aqueles casos quando não há sujidade visível. É uma maneira eficaz de evitar transmissão de bactérias, fungos e vírus. “O álcool em gel deve ser o de 70%.

Essa prática não deve ser usada também após usar o banheiro ou antes do preparo de alimentos. Nesses casos, o indicado é o uso de água e sabão.


Limpeza correta das mãos no ambiente hospitalar

No A.C.Camargo, nossa equipe assistencial segue os protocolos de higienização das mãos. Sempre higienizamos nossas mãos antes e depois de qualquer contato com o paciente, antes de realizar procedimentos assépticos, após contado com secreções e após contato com o mobiliário ao redor do paciente. além de criarmos campanhas internas que incentivam nossos colegas, orientamos também nossos pacientes e seus acompanhantes  a fazerem disso um hábito.

A forma mais eficaz de higienizar as mãos e espantar a sujeira para lá é usar o básico: álcool em gel ou água e sabão. Reunimos os sete passos de ouro para a higienização das mãos, confira ao fim deste texto.

A higienização das mãos deve ser um hábito para se adotar para a vida! É um ato de responsabilidade com você e com os outros. 

Veja um passo a passo para a higienização das mãos:

Se for água e sabão:
1. Inicie molhando as mãos e espalhando o sabão líquido com movimentos circulares: friccionando a palma da outra
2. Para higienizar as “costas” das mãos e a parte entre os dedos, entrelace os dedos das duas mãos
3. Com as palmas juntas, como se estivesse rezando, repita o processo
4. Para limpar as unhas, ponha as mãos em forma de concha e faça movimentos verticais uma na outra – enquanto uma sobe, a outra desce
5. Não esqueça os polegares, “abrace” o polegar direito com a mão esquerda e faça movimentos circulares e vice-versa.
6. Friccione as polpas digitais e unhas da mão esquerda contra a palma da mão direita, fechada em concha (e vice versa), fazendo movimento circular.
7. Utilize água corrente para remover o produto da sua pele 
8. Feche a torneira, se possível, com papel toalha ou lenço descartável.
9. Seque as mãos com papel-toalha descartável, iniciando pelas mãos e seguindo pelos punhos.

Passo a passo


Se for álcool em gel:
1. Aplique o álcool em uma mão que esteja em formato de concha
2. Esfregue as mãos, palma sobre palma
3. Com os dedos entrelaçados, esfregue a palma direita sobre o dorso esquerdo e vice-versa
4. Ainda com os dedos entrelaçados, esfregue as costas dos dedos com as palmas das mãos
5. Com a palma de uma mão, esfregue os dedos das outras, da base para as pontas, um dedo por vez
6. Para limpar as unhas, ponha as mãos em forma de concha e faça movimentos verticais uma na outra – enquanto uma sobe, a outra desce
7. “Abrace" o polegar direito com a mão esquerda e faça movimentos circulares e vice-versa.
8. Espere secar e pronto.

Passo a passo


Fonte: Doutor Ivan França, Head de Infectologia do A.C.Camargo 

Baixe nosso e-book repleto de dicas práticas!

Linha Fina

Gratuito, material reúne ideias de prevenção, alimentação e bem-estar

Como parte das nossas ações com os pacientes, elaboramos um material em comemoração ao Dia Mundial da Saúde.

O dia 7 de abril é muito especial para nós. É uma ocasião para relembrar a todos sobre a importância dos cuidados com a saúde, proporcionando, assim, uma melhor qualidade de vida.

Por conta disso, preparamos um e-book especial com matérias, conteúdos, vídeos e podcasts para que você possa ter acesso a informações importantes sobre saúde, prevenção, bem-estar e alimentação saudável.

A leitura pode ser realizada diretamente no computador, tablet ou celular.

 

Câncer de boca: 4 fatos que aumentam o risco

Linha Fina

Assista ao vídeo, saiba como se proteger e espalhe a ideia de conscientização do Dia Mundial de Saúde Bucal, lembrado todos anos em 20 de março

O câncer da boca, também conhecido como câncer de cavidade oral, afeta lábios, gengiva, bochechas, céu da boca e o chamado assoalho da boca.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer, a previsão de novos casos neste ano é de 15.190 , sendo 11.180 em homens e
4.010 em mulheres 

Fumantes de cigarro, cachimbo, charuto ou narguilé representam 90% dos casos de câncer de boca. O risco é proporcional à quantidade de fumo consumida: quanto maior o consumo, maior o risco. 

A chance de essas pessoas desenvolverem câncer de boca é de 6 a 16 vezes maior que entre as não fumantes.

Em tempos de Dia Mundial de Saúde Bucal, lembrado todos anos em 20 de março, preparamos um vídeo objetivo com quatro fatos que aumentam o risco.

Assista e não se esqueça de compartilhar essas informações tão importantes, que podem ajudar muita a gente na prevenção e no diagnóstico precoce. 

 

Podcast Rádio Cancer Center #58 - O que o paciente oncológico deve comer?

Linha Fina

Assista ao vídeo, tire suas dúvidas sobre como melhorar os efeitos colaterais e não se esqueça de compartilhar essas informações tão importantes, que podem ajudar muitas pessoas em tratamento de câncer

O que o paciente oncológico deve comer? É disso que tratamos neste podcast com a Letícia Nascimento Carniatto, nutricionista do A.C.Camargo, que já nos contou quais os alimentos que ajudam a prevenir um câncer.

Entre os tópicos, a nutricionista fala de alimentos para melhorar efeitos adversos como:

  • Imunidade baixa e anemia
  • Perda de peso involuntária
  • Náusea e vômito
  • Diarreia 
  • Intestino preso
  • Falta de apetite, boca seca e alteração no paladar

Nesta edição, fizemos o podcast em vídeo, como você vê no player abaixo e em nosso canal no YouTube

Assista e não se esqueça de compartilhar estas informações tão importantes, que podem ajudar os pacientes. 

 

Se preferir, confira apenas o áudio aqui abaixo ou em nossos agregadores de streaming: Spotify, SoundCloud, Google Podcasts e Deezer.