Câncer de pele e vitamina D: entenda tudo e beneficie-se

Publicado em: 14/01/2022 - 14:01:04
Prevenção
Foco do paciente
Hábitos saudáveis
Tumores Cutâneos
Melanoma
Não Melanoma
Linha Fina

Tenha todos os cuidados necessários para prevenir um tumor cutâneo e aproveitar ao máximo os dias mais quentes – e aprenda a escapar das fake news

Câncer de pele e vitamina D: melanomas e tumores não melanoma são uma preocupação para aquelas pessoas que amam tomar sol, ainda mais em um país tropical como o Brasil.

Isso ajuda a explicar o fato de a “vitamina D” estar entre os termos mais comentados, sobretudo nesta época do ano, seja nas redes sociais ou mesmo no consultório.

Também pudera: o câncer de pele não melanoma é o mais frequente no Brasil: corresponde a cerca de 30% de todos os tumores malignos registrados no país. 


Câncer de pele e vitamina D: a receita segura

A vitamina D é muito importante para a saúde. 

Quando o raio ultravioleta entra em contato com a nossa pele, existe uma reação fotoquímica que induz a produção de vitamina D, que, assim, faz o cálcio se fixar nos ossos.

No entanto, o mesmo raio ultravioleta que provoca essa reação do bem para os nossos ossos pode causar câncer de pele quando você se expõe ao sol em excesso, principalmente das 10 às 16 horas.

O segredo é a moderação: como estamos num país tropical, você não precisa ficar 15 minutos todos os dias neste sol de rachar que bate das 10 às 16 horas, e, assim, arriscar ter um câncer.

Tome sol fora desse horário e faça exames de sangue periódicos para dosar a vitamina D. Se estiver baixa, você irá repor em comprimidos ou gotas. 


Fake news sobre vitamina D

Como dito anteriormente, a vitamina D é fundamental para os nossos ossos, mas esse é o único benefício que ela nos dá.

Ao contrário do que dizem alguns boatos, a vitamina D não tem função antienvelhecimento e anticâncer, muito menos anticovid-19, isso não existe. 

Houve outras fake news que colocam que as pessoas deveriam abusar de vitamina D, mas isso é um perigo: pode causar até danos nos rins


Protetor solar atrapalha a produção de vitamina D?

Não. Inclusive saiu um estudo recentemente que afirma que o fato de a pessoa ter aplicado o protetor solar não impede a produção de vitamina D.

Portanto, não corra riscos e aplique diariamente, no mínimo, a cada quatro horas.

É melhor tomar um pouquinho de sol todos os dias do que tentar resolver toda a sua vitamina D num dia só de verão. 


Quem se curou de um câncer de pele pode tomar sol pela vitamina D?

Quem passou, por exemplo, por um carcinoma, que é o mais comum, tem 50% de chances de desenvolver outro câncer em cinco anos.

Então, não é recomendável que essa pessoa vá para o sol para produzir vitamina D.

Ela vai repor a vitamina D por comprimido ou gotas. Isso também é indicado para pessoas muito claras que estejam com baixa dosagem de vitamina D.

No entanto, apenas o oncologista pode dar uma recomendação mais precisa sobre um determinado indivíduo. 

Para conhecer os principais sinais e sintomas para um câncer de pele, clique aqui.


Fonte: Doutor Marco Antonio de Oliveira, dermatologista do Centro de Referência em Tumores Cutâneos do A.C.Camargo

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Entenda a relação entre o HIV e o câncer
Alguns pacientes portadores do vírus HIV têm o desafio de fazer o tratamento contra o câncer e o vírus da imunodeficiência humana ao mesmo tempo. Os cuidados para esses pacientes são especiais, pois o HIV interfere na capacidade do corpo de combater infecções. Por isso...
Carnes e câncer: a vermelha é mais perigosa que a branca?
Carnes e câncer: muita gente tem dúvidas em relação ao consumo dos diferentes tipos de proteína e o perigo de desenvolver um tumor. Os estudos epidemiológicos feitos até agora não conseguem medir os riscos da carne vermelha e da carne branca separadamente quando elas são...
HPV: vacina previne vários tipos de câncer
O HPV, também conhecido como papilomavírus humano, é uma doença sexualmente transmissível (DST). Esse vírus pode ser transmitido por relações sem proteção e infectar pele ou mucosas. A boa notícia é que há uma vacina para inibir o HPV, mas o problema é que existe...
Bem-estar longe do cigarro
O tabagismo e a exposição passiva ao tabaco estão entre os principais responsáveis pelo desenvolvimento do câncer de pulmão e que, felizmente, podem e devem ser evitados. É responsável por 80% das mortes por câncer de pulmão e 30% das mortes por outros tipos de...
Colonoscopia: rastreamento eficaz, expansão difícil
Segundo estimativas do Instituto Nacional de Câncer (Inca), o câncer colorretal está entre os três tumores mais comuns na população brasileira, com 16,66 casos para cada 100 mil homens e 17,62 para 100 mil mulheres. No entanto, o principal exame de rastreamento da doença, a...