Você sabe o que é a Estomatologia?

Publicado em: 25/07/2018 - 21:07:00

Entenda o papel dessa especialidade no diagnóstico, tratamento e reabilitação do paciente com câncer

Quando identificamos algum problema na boca, procuramos o dentista, certo? Certo. O que poucas pessoas sabem é que dentro da odontologia existem várias especialidades, cada uma responsável por uma questão específica e, entre elas, está a estomatologia. Os estomatologistas são especialistas no diagnóstico das doenças da boca. Eles são, por exemplo, os profissionais indicados para analisar e, se necessário, realizar biopsias das lesões da boca e dos ossos maxilares. Desta forma, são grandes aliados no diagnóstico precoce do câncer de boca.

O Dr. Fábio de Abreu Alves, Líder do Departamento de Estomatologia do A.C.Camargo Cancer Center, explica que identificado o câncer de boca o paciente será tratado por uma equipe multidisciplinar composta por cirurgiões de cabeça e pescoço, oncologistas clínicos e radioterapeutas. Contudo, o Estomatologista participa também no manejo dos efeitos colaterais que aparecem na boca do paciente em tratamento oncológico. "Eles acontecem principalmente em quem faz radioterapia na região da cabeça e pescoço, quimioterapia, iodoterapia (sialoadenites), além daqueles que fazem uso de algumas drogas específicas", diz.

Entre os principais efeitos encontrados na boca dos pacientes oncológicos estão: Mucosite -inflamação da parte interna da boca que pode levar à feridas na região; Xerostomia - sensação de boca seca; Osteorradionecrose - necrose óssea, mais comumente na mandíbula, causada pelo efeito da radioterapia; e Osteonecrose associada a medicamentos - necrose óssea na região do maxilar associada ao uso de medicamentos (principalmente por Bifosfonatos e Denosumabe). "Em todos os casos podemos atuar tanto preventivamente, quanto tratar o problema diretamente", afirma Fábio de Abreu Alves.

A atuação preventiva consiste em uma avaliação odontológica criteriosa antes de começar o tratamento. É avaliada a condição das gengivas e dos dentes e feito todo o tratamento necessário antes do início de um medicamento ou da radioterapia, por exemplo. "Consequentemente, os índices de necrose nesses pacientes é muito mais baixo quando comparado com aqueles que não fizeram essa avaliação odontológica", observa o especialista.

A equipe de estomatologia também atua na reabilitação do paciente. "Fazemos todo o tratamento odontológico, desde a parte periodontal, que envolve o cuidado com as gengivas, como a colocação de próteses e, se houver necessidade e indicação, os implantes", explica.

Tumores benignos - Além de dar todo o suporte no diagnóstico, tratamento e reabilitação dos pacientes com câncer de boca, a equipe (estomatologista e cirurgiões bucomaxilofaciais) ainda atua no tratamento de tumores benignos que aparecem na cavidade oral. O mais comum deles é chamado ameloblastoma, um tumor que, apesar de benigno, é localmente agressivo, sendo capaz de destruir a mandíbula, causando deformidades e perda dentária. Ele é mais comum em pacientes jovens, em torno dos 20 anos.

Outros tumores benignos e cistos também chamam atenção dentro desse cenário, não pela agressividade, mas pelos sinais que eles dão para o especialista. Os osteomas, por exemplo, quando surgem em grande número podem indicar a presença da Síndrome de Gardner, condição que favorece o crescimento de pólipos no intestino e, com isso, o desenvolvimento de câncer colorretal. "Esses pacientes são encaminhados para avaliação da área especializada em tumores colorretais e acompanhados de perto por eles", esclarece Fábio de Abreu Alves.

Outra síndrome relacionada ao câncer que pode ser identificada a partir da boca é a Síndrome de Gorlin. Crianças e adolescentes que apresentam queratocistos nessa região precisam fazer uma investigação para a síndrome que favorece o desenvolvimento de tumores de pele em idade precoce. "Nesses casos é preciso passar com a equipe de oncologia cutânea para fazer a prevenção e o diagnóstico precoce", destaca o estomatologista.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

O papel do enfermeiro navegador e seu impacto na jornada oncológica
Durante a jornada oncológica, pacientes do A.C.Camargo Cancer Center podem contar com a expertise dos enfermeiros navegadores. São profissionais altamente especializados em oncologia que atuam como um elo entre o paciente e todas as equipes (assistenciais e administrativas), desenvolvendo um trabalho fundamental para melhorar os...
"O homem não pode se descuidar de jeito nenhum!"
Sou Carlos Levy, tenho 75 anos, funcionário público aposentado e pai de cinco filhos. Também sou avô dos meus quatro queridos netos e casado com o amor da minha vida, Amália. Desde meus 50 anos tenho um compromisso comigo mesmo: fazer meus exames periódicos. Sigo...
15 de setembro - Dia mundial de conscientização sobre linfomas
Como se prevenir deles? Indo ao médico assim que perceber os sintomas. Então apareceu um gânglio diferente no pescoço, ou na axila, ou na virilha, que não dói, mas você sente extremo cansaço, febre, está suando à noite e também perdendo peso sem razão aparente...
1º lugar Qualihosp na categoria Educação
Estamos felizes em anunciar o reconhecimento do A.C.Camargo na edição 2021 do QualiHosp, um importante congresso internacional de qualidade em serviços e sistemas de Saúde, que reúne profissionais e hospitais renomados do Brasil. Recebemos o prêmio de primeiro lugar na categoria Educação em Saúde com...
2020, O Ano do Profissional de Enfermagem
Saiba mais sobre essa especialidade vital para o cuidado. Clique aqui caso tenha problemas para acessar o vídeo abaixo. video { width: 100%; height: auto; }