Jovem negra sorri meditando num parque

Psicologia na jornada oncológica é um importante diferencial para o paciente que enfrenta o câncer

Publicado em: 27/08/2021 - 11:08:30
Reabilitação
Tratamento
Suporte e Reabilitação
Linha Fina

No Dia do Psicólogo, conheça a importância deste profissional para os pacientes nas fases do tratamento 

No dia 27 de agosto, celebramos o Dia do Psicólogo, profissional dedicado a tratar, analisar e estudar a mente humana, seus processos e comportamentos.

Em um Cancer Center como o A.C.Camargo, o papel do psicólogo é atender pacientes com câncer nas diversas fases do tratamento, considerando os aspectos emocionais e o sofrimento psíquico, trazendo acolhimento e suporte psicológico para promover a melhora no enfrentamento da doença.

Em nosso departamento de Psico-Oncologia, temos à disposição 18 profissionais da saúde mental especializados em câncer. Além disso, temos grupos de apoio no enfrentamento da doença para compartilhar experiências e esclarecer dúvidas.

Atualmente, atendemos grupos dedicados às pacientes com câncer de mama e também àqueles que desejam parar de fumar.

Atuamos em todos os departamentos da Instituição. Muitas das vezes atendemos como interconsulta, ou seja, no atendimento ao paciente internado, chamado de atendimento beira-leito”, explica a Dra. Christina Haas Tabaray, head do Serviço de Psicologia do Departamento de Saúde Mental do A.C.Camargo Cancer Center.

Também ofereceremos suporte psicológico para a família do paciente, que muitas vezes necessita de um espaço para trabalhar seu sofrimento emocional”, acrescenta a especialista. O atendimento de suporte aos familiares é realizado quando o paciente está internado.

A equipe de psicólogos da Instituição realiza avaliações ambulatoriais como pré-cirúrgica, pré-transplante de medula óssea e de pacientes com dificuldade de enfrentar o momento que estão vivenciando.

Na primeira sessão de quimioterapia, fazemos uma avaliação psicológica do paciente, a fim de tranquilizá-lo em cada fase do tratamento, por exemplo”.


Saúde mental x câncer

Dar uma atenção cuidadosa para a saúde mental, em especial a do paciente oncológico, é importante para o tratamento e está longe de ser um tabu.

Antes, o atendimento psicológico era visto como fraqueza. Creio que esse é nosso maior desafio: demonstrar que fazer psicoterapia, ao contrário do que algumas pessoas pensam, é demonstração de força interior, de não temer em lidar com as possíveis fragilidades de um momento difícil”, conta Dra. Christina.


Diagnóstico de câncer

Claro que receber o diagnóstico para câncer não é uma notícia fácil, mas a psicoterapia ajuda – e muito – a enfrentar o medo e a encarar a situação com outro olhar, sem julgamentos. 

Vivenciar um processo de adoecimento pode desviar o paciente de sua rotina, assim como ocasionar sentimentos confusos e muita incerteza. É uma vivência marcada pela subjetividade e assim não há o ‘certo e o errado’ em como o paciente está se sentindo”, aconselha.

O medo da morte é um pensamento frequente em pacientes diagnosticados com câncer. “Durante muito tempo, a palavra câncer significava ‘morte’, e felizmente hoje não é mais assim. A evolução dos tratamentos oncológicos, técnicas cirúrgicas e de todas as especialidades que atuam junto ao paciente que recebe o diagnóstico de câncer vêm desmistificando essa ‘sentença’”, diz.

O importante é que haja um momento acolhedor e seguro para o paciente falar sobre o que desejar de forma confortável.

O psicólogo está ali, presente, para acompanhar o movimento emocional do paciente, e conversar sobre o que lhe aflige. A dica que posso dar nesta hora é: dê atenção aos sentimentos que se fazem presentes nesta fase inicial do diagnóstico. Podem surgir questionamentos sobre várias coisas... Se sentir que o enfrentamento está difícil, não hesite em procurar suporte psicológico”.

Você conhece nosso Serviço de Psicologia do Departamento de Saúde Mental? Desde 1997, realizamos um trabalho pioneiro: levar atendimento psicológico e psiquiátrico aos pacientes com câncer.

Foto da Dra. Christina, uma mulher magra de cabelos loiros.
"
O que me move é saber que, de alguma maneira por meio da psicoterapia, há um alívio do sofrimento, um encontro ‘consigo mesmo’, um diálogo interno do paciente com suas emoções e, assim, uma evolução emocional que possibilita viver melhor
Dra. Christina Haas Tabaray, head de Serviço de Psicologia do Departamento de Saúde Mental
Linha Aspas Simples
"

O que me move como profissional da psicologia é poder estar com os pacientes no momento mais difícil que é a descoberta do diagnóstico, de poder acompanhá-lo durante o tratamento e contribuir com o fortalecimento dos recursos psíquicos para enfrentamento da situação vivida. É o poder fazer a diferença na vida de um ser humano

Dra. Giseli Maria Neto, psicóloga do departamento de Saúde Mental do A.C.Camargo Cancer Center

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Seis dicas para aliviar a mente e manter o paciente confortável durante a sessão de quimioterapia
A quimioterapia é uma das mais importantes formas de tratamento do câncer, que utiliza medicamentos para destruir ou inibir o desenvolvimento de células tumorais. Pode ser aplicada por via oral ou de forma intravenosa, ou seja, diretamente na veia por meio de cateteres. Como o...
Estudo multicêntrico latino-americano avalia desfechos em pacientes com câncer de canal anal metastático
O câncer de canal anal, apesar de ser considerado uma neoplasia rara, vem apresentando um aumento de sua incidência, mas conta com poucos dados na literatura a respeito do prognóstico e de um melhor tratamento. Ele apresenta como fatores de risco a infecção pelo HPV...
A diferença entre um hospital e o Cancer Center
O tratamento oncológico não pode esperar. Postergar a ida ao médico, causando demora no diagnóstico ou mesmo fragmentar o tratamento, aumentando o tempo de desfecho, pode impactar severamente no resultado final. “O diagnóstico tardio e a fragmentação do sistema são, sem dúvida, as maiores dificuldades...
Histórias reais sobre o câncer: conheça Amanda Benites
Assista ao quarto capítulo da série de vídeos em parceria com a Revista Claudia: são vivências inspiradoras de mulheres que lutam contra o câncer Quando se tem 21 para 22 anos, é difícil imaginar um revés na saúde. Era o caso da professora paranaense Amanda...