Dia Mundial do Câncer de Rim: a importância de médicos e pacientes tomarem decisões juntos

 
Publicado em: 16/06/2022 - 00:06:37
Linha Fina

A campanha internacional “Precisamos Falar sobre Opções de Tratamento” chama a atenção para que haja mais conversas que discutam as diferentes possibilidades terapêuticas para se tratar um tumor renal – conheça as seis perguntas que todo paciente deve fazer a seu médico

O Dia Mundial do Câncer de Rim, que neste 2022 está marcado para 16 de junho, chama a atenção para os tumores renais, cuja ocorrência é de 431 mil novos casos por ano mundo afora.

Inciativa da International Kidney Cancer Coalition, a IKCC (Coalizão Internacional do Câncer de Rim, em tradução livre), a campanha “Precisamos Falar sobre Opções de Tratamento” é tão clara quanto fundamental, pois é muito importante que médicos e pacientes tomem decisões juntos, algo que acontece no A.C.Camargo. 


Por que médicos e pacientes não conversam?

A depender das características do paciente – como sua situação clínica (comorbidades), o estadiamento de seu tumor, sua idade e sua expectativa de vida, por exemplo –, há uma variedade de tratamentos disponíveis.

Segundo a IKCC, estudos mostram que há melhores resultados quando médico e paciente tomam a decisão juntos. No entanto, essas decisões compartilhadas não ocorrem com a frequência necessária. 

Entre os motivos, o paciente não pergunta sobre as possibilidades de tratamento porque não sabe que há um leque de opções ou tem medo de incomodar o médico. Já os doutores, muitas vezes, não expõem os diferentes caminhos por acharem que o paciente não vai entender.


Opções de tratamento para o câncer de rim

O câncer de rim apresenta diversos graus de agressividade e formas de apresentação, definidas através do estadiamento clínico.

Curiosamente, há casos de pacientes que têm tumores que estão no mesmo estadiamento, mas evoluem de forma diferente – um apresenta boa evolução e o outro, não.

Entre as formas mais comuns de tratamento estão as cirurgias (da convencional à robótica, que garante os melhores resultados), a imunoterapia e as terapias-alvo, por exemplo.

Há ainda tumores renais de agressividade baixa cujo tratamento poderia até ser adiado, mas a equipe e o paciente mantêm a chamada “vigilância ativa”, repetindo periodicamente exames de imagem, como tomografia, ressonância ou ultrassom. Depois, reavaliam o caso. Se houver qualquer sinal de progressão, o tratamento é rapidamente realizado.


6 perguntas que todo paciente deveria fazer ao médico

Esta é uma proposta que a IKCC tem para o Dia Mundial do Câncer de Rim. São elas:

•    Quais são as minhas opções de tratamento e quais são meus benefícios e riscos?
•    Como vou me sentir com este tratamento?
•    Quanta experiência você tem com este tratamento?
•    Existe algum estudo clínico que eu possa fazer parte?
•    Como saberemos se este tratamento está funcionando?
•    Posso buscar uma segunda opinião?

Para saber mais, baixe gratuitamente o PDF que dá mais detalhes sobre esses questionamentos e leve em sua próxima consulta.


O Dia Mundial do Câncer de Rim e os estudos clínicos

Outro ponto importante da campanha são os estudos clínicos, pesquisas que visam descobrir tratamentos inovadores. 

O principal objetivo de um estudo clínico é gerar conhecimento médico-científico, protegendo o participante da pesquisa, enquanto busca-se avaliar se o medicamento realmente apresenta a eficácia a que se propõe.

Muitos pacientes não querem participar porque têm medo de serem “cobaias”, mas não é o caso: além de poderem se beneficiar de um medicamento mais moderno e das melhores alternativas terapêuticas existentes, eles podem sair do estudo quando quiserem.

Seu médico pode convidar você a participar se notar que você está dentro dos critérios de elegibilidade para um determinado estudo. 
Você também pode perguntar diretamente a ele sobre a possibilidade de participar de um estudo. 

Para saber se você está apto integrar algum de nossos estudos clínicos, mande um e-mail para [email protected]. Nosso time irá avaliar a mensagem e responder com todos os esclarecimentos.


Fonte: Doutor Stênio Zequi, líder do Centro de Referência em Tumores Urológicos do A.C.Camargo, membro do Medical Advisory Board da IKCC e coordenador do Latin American Renal Cancer Group (LARCG)

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

Adolescentes e adultos jovens em tratamento de câncer podem ter fertilidade preservada
A expertise acumulada em oncopediatria ao longo das últimas décadas trouxe avanços no atendimento de pacientes com diagnóstico de câncer na faixa etária de 12 a 30 anos. É uma nova área chamada câncer em Adolescente e Adulto Jovem, conhecida mundialmente pelos especialistas como AYA...
A.C.Camargo mostra que avaliação genética poderá prever perda auditiva em crianças tratadas por câncer
Um grupo de pesquisadores do A.C.Camargo Cancer Center, em São Paulo, trouxe uma descoberta que pode refletir na mudança da atual conduta terapêutica prescrita para crianças diagnosticadas com câncer. Ao analisar o DNA de 61 pacientes tratados com cisplatina e carboplatina durante a infância, entre...
Fisioterapia contribui para a qualidade de vida de mulheres com câncer de mama e tumores ginecológicos
Uma das grandes preocupações da mulher em tratamento de câncer de mama ou tumores ginecológicos é o linfedema – acúmulo de líquido nos braços ou nas pernas, que causa inchaço e pode dificultar o movimento. A fisioterapia tem o papel de promover a reabilitação da...
Cuidados na recuperação após tratamento cirúrgico de câncer colorretal
A cirurgia é o principal método de tratamento para casos de câncer colorretal (sem metástases). No A.C.Camargo Cancer Center, mais de 70% dessas cirurgias são minimamente invasivas, isto é, realizadas por videolaparoscopia ou por meio de equipamentos robóticos, como o robô Da Vinci. Os benefícios...
Medo de recidiva: nova forma de terapia melhora vida de pacientes após o tratamento
Estudo australiano mostra eficiência de abordagem para controlar o medo da volta da doença, que impacta a qualidade de vida emocional e profissional de mais da metade dos pacientes que sobrevivem ao câncer. Cerca de 50% dos pacientes que passaram por tratamento de câncer e...