CAR-T Cells: mudança de paradigma para o tratamento do câncer Pular para o conteúdo principal

CAR-T Cells podem se firmar como uma mudança de paradigma para o tratamento do câncer

 
Publicado em:

CAR-T Cells podem se firmar como uma mudança de paradigma para o tratamento do câncer

Conferência Magna do Next Frontiers to Cure Cancer contou com uma aula do Dr. Cameron Turtle, do Fred Hutchinson Cancer Research Center, de Seattle 

Publicado em:

Conferência Magna do Next Frontiers to Cure Cancer contou com uma aula do Dr. Cameron Turtle, do Fred Hutchinson Cancer Research Center, de Seattle 

A terapia com CAR-T Cells é uma das grandes novidades no tratamento para cânceres hematológicos, entre eles, leucemias e linfomas. 

Essa inovação, inclusive, motivou o tema da segunda Conferência Magna do Next Frontiers to Cure Cancer: Fatores que Governam os Desfechos da Imunoterapia com Células CAR-T

Um painel protagonizado pelo Dr. Cameron Turtle, do Fred Hutchinson Cancer Research Center, de Seattle. 


CAR-T Cells: o que são 

As CAR-T Cells são terapias personalizadas e agem em alvos específicos, usando células do paciente e não medicamentos sintéticos. 

Trata-se de células de defesa do organismo, que são extraídas do paciente e moldadas em laboratório para combaterem seu próprio tumor. 

Depois, são infundidas de volta no paciente. Ou seja, elas atuam reprogramando as próprias células do paciente contra a doença. 
 

Achados 

De acordo com o Dr. Cameron Turtle, a terapia com CAR-T Cells CD19 é um exemplo de tratamento com células efetoras imunes que podem se firmar como uma mudança de paradigma para o câncer. 

“No caso da leucemia linfoide aguda e do linfoma não Hodgkin, há muito entusiasmo em relação à taxa global de resposta da CD19”, afirma o Dr. Cameron. 
 

Complexidades  

“Estamos ainda começando a entender as complexidades das abordagens com CAR-T Cells. Apesar dos sucessos em muitos casos, um dos problemas de modificar e ativar as células em laboratório é causar sua exaustão, pois são necessárias de umas a duas semanas para se fazer as modificações genéticas nos receptores ativos das células imunes (CAR-T), que reconhecem o tumor”, explica o Dr. Cameron Turtle.  

“A identificação das CAR-T Cells competentes e a previsão da resposta são questões complexas”, acrescenta. 
Segundo o especialista, a proliferação das CAR-T Cells nos pacientes está associada à dose de células infundidas, à carga de antígeno, à resposta imune e à qualidade intrínseca de células. 

“Esta proliferação e a sobrevivência das células nos pacientes são a chave para a boa resposta ao tratamento e à toxicidade”, encerra o Dr. Cameron. 

Doutor Cameron Turtle, branco, cabelo castanho
"
A proliferação e a sobrevivência das células nos pacientes são a chave para a boa resposta ao tratamento e à toxicidade.
Doutor Cameron Turtle, do Fred Hutchinson Cancer Research Center

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

Câncer de mama, estudos e seus achados
Confira os resultados promissores de três publicações realizadas pelos especialistas A.C.Camargo Cancer Center Câncer de mama, o tipo de tumor que mais acomete mulheres no Brasil – está atrás do câncer de pele não melanoma. De acordo com o Instituto...
Câncer colorretal metastático: células tumorais circulantes como prognóstico
Conduzido pelo corpo clínico do A.C.Camargo Cancer Center, trabalho foi apresentado na ASCO GI 2020, em San Francisco O câncer colorretal é, no Brasil, o segundo mais frequente entre as mulheres e entre os homens, descontando-se os tumores de pele...
Descobrindo a Ciência, um projeto que visa aproximar o público jovem do tema
No material existem experiências e outras atividades lúdicas sobre o universo científico Aproximar a ciência do público jovem por meio da difusão de conhecimentos sobre pesquisa científica e inovação aplicadas ao câncer. Eis o objetivo do caderno Descobrindo a Ciência...
Everolimo pode oferecer controle prolongado em pacientes com tumores neuroendócrinos
Publicado no Journal of Gastrointestinal Oncology , estudo sugere que medicamento atuaria quando esse raro tipo de câncer atinge o pâncreas de forma metastática Tumores neuroendócrinos pancreáticos metastáticos (pNETs) costumam ser tratados com everolimo, um inibidor oral da via mTOR...
Equipe do A.C.Camargo Cancer Center participa do San Antonio Breast Cancer Symposium
Médicas e cientista estiveram presentes para discussões sobre câncer de mama Uma equipe de médicas e pesquisadoras do A.C.Camargo Cancer Center participou da 42ª edição do San Antonio Breast Cancer Symposium, no Texas (EUA). Estiveram presentes Dra. Fabiana Makdissi (head...