Rapaz negro com expressão de dúvida, mão no queixo, em montagem com o laço de Novembro Azul

Câncer de testículo é altamente curável e predominante em jovens

Publicado em: 18/11/2020 - 08:11:00
Linha Fina

Saiba tudo sobre fertilidade, atividade sexual, fatores de risco, indícios e formas de diagnóstico

Considerado raro, o câncer de testículo, curiosamente, é mais comum em jovens na faixa dos 15 aos 40 anos – predominantemente entre 20 e 34 anos.

“Pega o homem no auge de sua vida sexual, reprodutiva e de sua capacidade de trabalho, então causa um impacto grande em sua qualidade de vida e em seu entorno. A ótima notícia é que, com o avanço em tratamentos como quimioterapia e cirurgias, o câncer de testículo apresenta mais do que 95% de chances de cura nas fases iniciais”, explica o Dr. Stênio Zequi, líder do Centro de Referência em Tumores Urológicos do A.C.Camargo.


Fatores de risco

Conheça as características e comportamentos que podem aumentar o risco de um câncer de testículo:

•    Homens inférteis ou com atrofia nos testículos
•    Idade: é mais comum na faixa dos 15 aos 40 anos
•    Etnia: homens brancos têm dez vezes mais chance de tê-lo
•    Desenvolvimento anormal dos testículos
•    Criptorquidia: testículos que não desceram para o escroto antes do nascimento – homens que passaram por cirurgia para corrigir o problema também correm risco maior
•    Histórico familiar ou pessoal de câncer de testículo
•    Síndrome de Klinefelter
•    HIV
•    Uso de maconha


O câncer de testículo e a maconha

“Comum entre os jovens, o abuso da maconha por um tempo prolongado contribui para alguns tipos de câncer, como o de testículo, além de causar infertilidade”, conta o Dr. Stênio, que também é cofundador e coordenador do Latin American Renal Cancer Group, o LARCG.

Essa relação já foi comprovada em alguns estudos, entre eles um publicado em 2019 pela revista científica Journal of the American Medical Association

Tal trabalho concluiu que quem consome maconha a longo prazo pode elevar em até 36% a chance de desenvolver um câncer de testículo.


Diagnóstico do câncer de testículo 

O diagnóstico de câncer de testículo costuma vir da palpação do médico, que pede uma ultrassonografia para confirmar ou não o tumor. 

Exames de sangue, que medem a dosagem de marcadores tumorais, também colaboram para o diagnóstico.

“O que se recomenda é que não haja uma super preocupação com prevenção e autoexame, que geram ansiedade, desconforto e até dor. Mas, claro, é preciso ter atenção e procurar um médico caso haja aumento, deformidade ou endurecimento do testículo, que em geral não dói muito”, alerta o Dr. Stênio Zequi.


Fertilidade e atividade sexual 

Altamente curável, o câncer de testículo, geralmente, é sanado a partir de uma cirurgia simples. 

“Em geral, remove-se um testículo, mas o outro remanescente dá conta de todas as funções hormonais, sexuais e reprodutivas, sem grandes prejuízos para este homem”, avisa o médico. 

Todavia, vários pacientes com tumores testiculares podem apresentar alterações de sua fertilidade e poderão necessitar de fertilização assistida quando desejarem filhos. 

Stênio Zequi, líder do Centro de Referência em Tumores Urológicos do A.C.Camargo
"
Em casos avançados ou metastáticos, as taxas de cura são elevadas. Nesses quadros, associamos quimioterapia a cirurgias no abdome também. Sempre que o paciente faz quimioterapia, é importante reservar esperma nos bancos de sêmen para eventual paternidade
Dr. Stênio Zequi, líder do Centro de Referência em Tumores Urológicos do A.C.Camargo

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

Podcast Rádio Cancer Center #20 - O cirurgião oncológico
Conheça o papel deste especialista essencial A conversa de hoje é sobre o papel do cirurgião oncológico. Vamos falar da atuação desse especialista que é vital para o tratamento do câncer. Trata-se de um profissional que não somente é preparado para conduzir cirurgias de alta...
Câncer de cabeça e pescoço: artigo científico traz recomendações para cirurgias oncológicas
Estudo internacional teve a contribuição do Dr. Luiz Paulo Kowalski, líder do Centro de Referência em Tumores de Cabeça e Pescoço Câncer de cabeça e pescoço e Covid-19. Em artigo divulgado pela revista científica The Lancet Oncology, especialistas representando mais de 30 sociedades médicas do...
Tumores renais: a excelência em pesquisa no A.C.Camargo Cancer Center
Conheça o trabalho desenvolvido pelo corpo clínico O A.C.Camargo Cancer Center tem um papel de relevância e liderança no âmbito da pesquisa sobre tumores renais. “Somos o centro que mais produz literatura científica sobre câncer renal na América Latina, o que mais publica, uma tradição...
Descalonamento de terapia em câncer de orofaringe com HPV relacionado
Por Thiago Bueno de Oliveira, oncologista clínico do A.C.Camargo Cancer Center Com a utilização de tratamento inicial com cirurgia transoral robótica (TORS), técnica minimamente invasiva, disponível no A.C.Camargo Cancer Center e na qual a Instituição é pioneira e tem alta expertise, foi possível desintensificar o...
Discussão dos benefícios da cirurgia para pacientes com câncer de mama metastático ao diagnóstico
Por Solange Sanches, oncologista clínica e vice-coordenadora do Centro de Referência em Tumores da Mama Na literatura, não existe consenso se mulheres que fazem o diagnóstico com o câncer de mama já com metástase teria benefício ou não de operar a mama. Existem alguns estudos...