Testículos | A.C.Camargo Cancer Center

Testículos

Há dois tipos básicos de câncer dos testículos, o de células germinativas e o de estroma, que são os tumores dos tecidos produtores de hormônios, ambos com subtipos.

Podcast Rádio Cancer Center #60 - Como é ser acompanhante de um paciente oncológico

Linha Fina

Ouça este episódio cheio de dicas práticas para quem está em tratamento e para quem acompanha alguém que tem câncer – com a palavra, o Marcelo, que é acompanhante do irmão gêmeo, e a líder da Psicologia do A.C.Camargo

Ser acompanhante de um paciente oncológico é uma tarefa de extrema importância. Afinal, além de dar apoio logístico e emocional para quem está em tratamento oncológico, os acompanhantes são uma espécie de filtro entre o paciente e as pessoas menos próximas, como amigos, colegas de trabalho e vizinhos.

Assim, o acompanhante é um personagem que também precisa de cuidados, até porque a pessoa precisa estar bem para poder cuidar bem. 

Para podermos apresentar visões importantes e dicas práticas para quem nos ouve, temos dois convidados pra lá de especiais na edição 60 do podcast do A.C.Camargo:

  • Marcelo Vargas Campos, que é acompanhante e irmão gêmeo do Rodrigo, paciente do A.C.Camargo
  • Doutora Christina Haas Tarabay, Head de Psicologia do A.C.Camargo

"O importante é se mostrar sempre disponível, perguntar sempre em quê é possível ajudar", afirma Marcelo, cujo irmão, Rodrigo, está em tratamento de um câncer de testículo.

Confira abaixo o nosso podcast e, na sequência, algumas fotos dos irmãos gêmeos, inclusive dos tempos de infância.

 

Os irmãos ainda bebês:

2 bebês de 6 meses


Nas duas próximas, o Marcelo (nosso entrevistado) está à esquerda do Rodrigo (nosso paciente):

2 homens de 25 anos, de barba, bone rosa e camiseta branca - Ser acompanhante de um paciente oncológico2 homens de 25 anos, de barba, se cumprimentam na piscina


Por fim, diante de uma das construções clássicas do Ipiranga, bairro paulistano:

2 homens de 25 anos, de barba, na escadaria diante de uma mansão colonial


Se preferir, confira este podcast em nossos agregadores de streaming: Spotify, SoundCloud, Google Podcasts e Deezer.

 

Novembro Azul: uma seleção de conteúdos para você saber tudo sobre tumores urológicos (e se prevenir)

Linha Fina

Separadas pelas temáticas de prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação, pilares que definem a jornada do paciente no A.C.Camargo, confira dezenas de publicações (textos, vídeos e podcasts) que abordam a saúde masculina

Novembro Azul, o mês de conscientização para a saúde masculina. Uma campanha que reafirma a importância de focar a atenção nos tumores urológicos. 

O assunto não se resume ao câncer de próstata, embora ele seja o primeiro mais comum para os homens (exceto câncer de pele não melanoma), com previsão, segundo o INCA, de 65.840 novos casos para 2021, algo que representa 29,2% da população masculina brasileira.

Novembro Azul também tem como premissa o cuidado com os tumores de bexiga, o oitavo mais comum para os homens, com estimativa de 7.590 novos casos neste ano.

E, claro, as pautas do mês também giram em torno de tumores de pênis, rim e testículos.

Para que você saiba mais sobre o universo da campanha Novembro Azul, o A.C.Camargo Cancer Center apresenta a seguir dezenas de publicações.

Elas foram divididas pelas temáticas de prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação, os pilares que definem a jornada do nosso paciente na Instituição.

Tem textos, vídeos, podcasts... Confira:

 

Podcast - Tumores urológicos: prevenção e diagnóstico precoce
Neste Novembro Azul, a Rádio Cancer Center #29 tem dicas para minimizar os riscos

Câncer de testículo é altamente curável e predominante em jovens
Tudo sobre fertilidade, atividade sexual, fatores de risco, indícios e formas de diagnóstico

Função sexual e câncer urológico: mitos e verdades
Impotência, fertilidade e outras questões que geram dúvidas 

Novembro Azul: uma live que vai além do câncer de próstata
Os especialistas do Centro de Referência em Tumores Urológicos debatem a saúde do homem

6 informações essenciais sobre o câncer de pênis
Uma delas é que a água e o sabonete são fundamentais para a prevenção

Câncer de rim: atividade física ajuda a reduzir este risco
A adoção de hábitos saudáveis ainda atua na melhoria de problemas cardiovasculares ou diabetes

Podcast Rádio Cancer Center - Um guia de prevenção
Ouça o episódio, adote estes hábitos simples e proteja a sua saúde

HPV, a vacina vital que previne vários tipos de câncer
Segura, essencial e subutilizada, a imunização pode evitar tumores como os de pênis, entre outros 

O manual sobre o câncer de pênis
O problema é evitável, já que suas principais causas são a falta de higiene e a fimose 

Novembro Azul em tirinhas
Cartunistas deixam a piada de lado para conscientizar sobre o câncer de próstata

Prevenção primária e prevenção secundária
É importante conhecer as formas de proteção para cuidar bem da saúde

Mitos e verdades: a função urinária e o tratamento oncológico 
Esclareça suas principais dúvidas sobre incontinência e afins

Câncer de rim: pesquisa do A.C.Camargo recebe prêmio internacional
Com base em xenoenxertos, conheça esta técnica importante para a oncologia personalizada 

Coluna Fala, Doutor: o câncer de próstata
Saiba mais sobre as mutações genéticas e como se antecipar ao problema

Câncer de pênis: estudo mostra alta infecção por HPV na Amazônia
Trabalho apoiado pelo A.C.Camargo Cancer Center analisou tecidos de pacientes da região 

A detecção precoce do câncer de testículo salva vidas
É importante o homem conhecer o corpo para, caso perceba alterações no órgão, procurar um médico

Novembro Azul: atente-se ao diagnóstico precoce
Fique ligado nos exames que você deve fazer para monitorar a próstata

Mitos & verdades sobre o câncer de próstata
7 fatos que informam a população neste Novembro Azul

Um manual sobre o câncer de bexiga
Sinais, sintomas, fatores de risco, tratamentos e reabilitação

Um manual sobre o câncer de próstata
Sinais, sintomas, fatores de risco, tratamentos e reabilitação

Um manual sobre o câncer de rim
Sinais, sintomas, fatores de risco, tratamentos e reabilitação

Um manual sobre o câncer de testículos 
Sinais, sintomas, fatores de risco, tratamentos e reabilitação

Câncer de rim: pesquisa é reconhecida internacionalmente
Projeto visa descobrir biomarcadores de prognóstico usando xenoenxertos em camundongos

O câncer de rim e sua relação com a renina
A nova perspectiva sobre a função endócrina: este hormônio seria fator prognóstico para câncer?

No A.C.Camargo Cancer Center, a tecnologia salva vidas
Conheça as vantagens tecnológicas que operam a serviço do paciente e garantem as melhores práticas no combate ao câncer 

Câncer de rim: estudos do A.C.Camargo são o trunfo para personalizar ainda mais o tratamento
Saiba como o modelo integrado de um Cancer Center, que une assistência, ensino e pesquisa, está produzindo achados inéditos mundialmente 

Transplante de medula óssea para tratamento contra o câncer de testículo
Saiba como este tratamento contribui no combate à doença

Vantagens da cirurgia robótica para câncer de próstata
Redução no número de complicações é uma das diversas vantagens

Podcast Rádio Cancer Center - Tumores urológicos: as evoluções no tratamento
Ouça esta conversa e conheça as novidades que salvam vidas

Podcast Rádio Cancer Center - Tumores urológicos: os avanços em radioterapia
Uma conversa objetiva que mostra as vantagens desse tipo de terapia

Novembro Azul: é possível “não tratar” um câncer de rim ou de próstata
Saiba quando a melhor alternativa é apenas monitorar um tumor urológico 

Vídeo: tendências no tratamento do câncer de próstata
Assista e conheça as possibilidades para o segundo tumor mais comum entre os homens

Vídeo: o Novembro Azul e a evolução no tratamento sistêmico
Assista e saiba sobre avanços como a imunoterapia para tumores urológicos

Vídeo: a radioterapia para tumores urológicos
Assista e compreenda como esta terapia age durante o tratamento

Covid-19: A.C.Camargo ajuda a definir condutas oncológicas nacionais e internacionais
Corpo clínico participou da elaboração de diretrizes em especialidades como a urologia

Vídeo: o Novembro Azul e os caminhos para tratar o câncer de rim
Assista e entenda as tendências terapêuticas para os tumores renais

Tumores renais: a excelência em pesquisa no A.C.Camargo
Estudos analisam técnicas minimamente invasivas como a cirurgia robótica

Transplante de medula óssea pode ajudar no tratamento de um tumor de testículo
Oncologista explica sobre este tipo de câncer, que é mais comum em jovens entre 15 e 35 anos

Teranóstica, a medicina nuclear no tratamento do câncer
Inovador, este conceito usa materiais radioativos para obter informações sobre tumores 

Imunoterapia: medicamento para o câncer renal é aprovado pela ANVISA
Outros dois tratamentos se mostram eficazes para o combate a tumores de rim

Terapia-alvo é um dos pilares contra o câncer de rim
Pesquisa identificou biomarcadores tumorais que determinam se o tratamento é indicado

A.C.Camargo Cancer Center, um especialista em cirurgia robótica
Mais precisa, ela reduz o tempo no hospital e o tamanho de cicatrizes, entre outras vantagens

Nefrostomia guiada por tomografia é eficaz para melhorar a função renal
Pesquisa avalia procedimento necessário quando há obstrução das vias urinárias na pelve

Os principais trabalhos da ASCO 2020 em tumores urológicos
As novidades em tratamento apresentadas no congresso norte-americano

Estudo consolida benefício da terapia hormonal combinada no câncer de próstata metastático 
Apresentada na ASCO, a análise envolveu 1125 pacientes divididos em dois grupos

Os avanços no tratamento do câncer de próstata metastático 
Pesquisa internacional que envolve o A.C.Camargo mostra melhora significativa 

“Depois de 18 anos curado de um câncer, quero viver uma vida mais leve”
Conheça a história do Adelso, que tratou e curou um tumor de próstata no A.C.Camargo

Podcast Rádio Cancer Center - Tumores urológicos e atividade física
Você não precisa virar maratonista para ter prevenção e reabilitação: vale até passear com o cachorro

Fisiatra, o médico que promove mobilidade e qualidade de vida
Conheça este profissional de essencial importância para o “ir e vir”

A qualidade de vida e a reabilitação do paciente oncológico
Um olhar sobre o papel da fisioterapia na vida das pessoas

Transplante de medula óssea para tratamento contra o câncer de testículo

Linha Fina

Confira na coluna “Fala, Doutor”, que traz as dúvidas mais frequentes entre os pacientes no consultório, por Daniel Garcia, oncologista clínico do A.C.Camargo Cancer Center

O câncer de testículo é o tumor sólido mais comum em homens entre os 15 e 35 anos de idade, embora seja responsável por apenas 1% de todos os cânceres em homens quando não se leva em conta a idade. Existem diversos tipos de tumores que podem se originar nos testículos. Os tumores do tipo células germinativas representam 95% dos cânceres testiculares e são classificados em duas grandes categorias: tumores do tipo seminoma puro e tumores do tipo não seminoma.

Enquanto o seminoma puro é composto apenas por tumores do tipo seminoma, o não seminoma pode ter um tipo tumoral predominante ou uma mistura de vários tipos, como, por exemplo, o carcinoma embrionário, coriocarcinoma, tumor de seio endodérmico e teratoma. 

Devido aos avanços notáveis no tratamento a partir do final dos anos 1970, o câncer de testículo tornou-se uma das neoplasias sólidas mais curáveis. Antes disso, o câncer testicular era responsável por 11% de todas as mortes por câncer em homens entre 25 e 34 anos e a taxa de sobrevivência em cinco anos era de 64%. Em 2020, espera-se que o câncer testicular seja responsável por apenas 0,1% de todas as mortes por câncer em homens nos Estados Unidos, e a taxa de sobrevivência em cinco anos seja superior a 95%. No Brasil, o Instituto Nacional de Câncer (INCA) não dispõe de estimativas para o câncer de testículo. 

Em meados de 1970, a quimioterapia em alta dose seguida de transplante de medula óssea (TMO) mostrou-se eficaz no tratamento de neoplasias hematológicas, como por exemplo, as leucemias e os linfomas. Baseados nestas experiências, os pesquisadores começaram a investigar a utilidade de tal tratamento em tumores sólidos, como o de testículo. Os ensaios iniciais foram realizados no início da década de 1980 e, após resultados encorajadores em alguns pacientes, protocolos dedicados para este tipo de tumor foram realizados tanto na Europa como nos EUA. A quimioterapia utilizada para TMO em pacientes com câncer de testículo é baseada em carboplatina, um quimioterápico da família da cisplatina.

Como funciona o transplante de medula óssea para combater o câncer de testículo?

Em uma analogia, imagine um computador infectado por um vírus. Com o intuito de não perder os arquivos importantes, é realizado primeiramente um “back-up”, ou seja, os arquivos chave não infectados pelo vírus são guardados em um disco separado. O computador é então formatado, apagando-se todos os dados do sistema, que inclui o vírus e os arquivos saudáveis. 

É realizada, então, a reintrodução daqueles dados armazenados no “back-up” de volta para o computador, restaurando o sistema. No caso do TMO, o “back-up” são as células-tronco presentes na medula óssea do paciente, que são coletadas e armazenadas em um freezer especial, capaz de congelar estas células a uma temperatura de -80°C, preservando-as. 

É realizada, então, a quimioterapia em altas doses, que elimina o tumor, mas também destrói as células saudáveis da medula óssea. Após o término da quimioterapia, as células tronco armazenadas no freezer - o “back-up” – são reinfundidas no paciente, restaurando a medula óssea. Não é, portanto, necessário um doador de medula neste procedimento, uma vez que é utilizada a medula do próprio paciente.
 

Urologia em Oncologia: Programa de Aperfeiçoamento (Fellow)

Linha Fina

Assista ao vídeo e conheça os diferenciais do A.C.Camargo Cancer Center 

Urologia em oncologia: uma especialidade fundamental.

A começar pelo cuidado com o câncer de próstata, o segundo mais comum para os homens, com previsão, segundo o INCA, de 65.840 novos casos para 2020, algo que representa 29,2% da população masculina brasileira.

Tem ainda o câncer de bexiga, o oitavo mais comum para os homens, com estimativa de 7.590 novos casos neste ano.

E, claro, a urologia prevê ainda cuidar de tumores de pênis, rim e testículos.

Por isso, o Dr. Stênio Zequi, líder do Centro de Referência em Tumores Urológicos, destaca os principais diferenciais do nosso Programa de Aperfeiçoamento na área de Urologia em Oncologia.

Assista:


Mais:

- Agende sua consulta

Câncer de testículo é altamente curável e predominante em jovens

Linha Fina

Saiba tudo sobre fertilidade, atividade sexual, fatores de risco, indícios e formas de diagnóstico

Considerado raro, o câncer de testículo, curiosamente, é mais comum em jovens na faixa dos 15 aos 40 anos – predominantemente entre 20 e 34 anos.

“Pega o homem no auge de sua vida sexual, reprodutiva e de sua capacidade de trabalho, então causa um impacto grande em sua qualidade de vida e em seu entorno. A ótima notícia é que, com o avanço em tratamentos como quimioterapia e cirurgias, o câncer de testículo apresenta mais do que 95% de chances de cura nas fases iniciais”, explica o Dr. Stênio Zequi, líder do Centro de Referência em Tumores Urológicos do A.C.Camargo.


Fatores de risco

Conheça as características e comportamentos que podem aumentar o risco de um câncer de testículo:

•    Homens inférteis ou com atrofia nos testículos
•    Idade: é mais comum na faixa dos 15 aos 40 anos
•    Etnia: homens brancos têm dez vezes mais chance de tê-lo
•    Desenvolvimento anormal dos testículos
•    Criptorquidia: testículos que não desceram para o escroto antes do nascimento – homens que passaram por cirurgia para corrigir o problema também correm risco maior
•    Histórico familiar ou pessoal de câncer de testículo
•    Síndrome de Klinefelter
•    HIV
•    Uso de maconha


O câncer de testículo e a maconha

“Comum entre os jovens, o abuso da maconha por um tempo prolongado contribui para alguns tipos de câncer, como o de testículo, além de causar infertilidade”, conta o Dr. Stênio, que também é cofundador e coordenador do Latin American Renal Cancer Group, o LARCG.

Essa relação já foi comprovada em alguns estudos, entre eles um publicado em 2019 pela revista científica Journal of the American Medical Association

Tal trabalho concluiu que quem consome maconha a longo prazo pode elevar em até 36% a chance de desenvolver um câncer de testículo.


Diagnóstico do câncer de testículo 

O diagnóstico de câncer de testículo costuma vir da palpação do médico, que pede uma ultrassonografia para confirmar ou não o tumor. 

Exames de sangue, que medem a dosagem de marcadores tumorais, também colaboram para o diagnóstico.

“O que se recomenda é que não haja uma super preocupação com prevenção e autoexame, que geram ansiedade, desconforto e até dor. Mas, claro, é preciso ter atenção e procurar um médico caso haja aumento, deformidade ou endurecimento do testículo, que em geral não dói muito”, alerta o Dr. Stênio Zequi.


Fertilidade e atividade sexual 

Altamente curável, o câncer de testículo, geralmente, é sanado a partir de uma cirurgia simples. 

“Em geral, remove-se um testículo, mas o outro remanescente dá conta de todas as funções hormonais, sexuais e reprodutivas, sem grandes prejuízos para este homem”, avisa o médico. 

Todavia, vários pacientes com tumores testiculares podem apresentar alterações de sua fertilidade e poderão necessitar de fertilização assistida quando desejarem filhos. 

Stênio Zequi, líder do Centro de Referência em Tumores Urológicos do A.C.Camargo
"
Em casos avançados ou metastáticos, as taxas de cura são elevadas. Nesses quadros, associamos quimioterapia a cirurgias no abdome também. Sempre que o paciente faz quimioterapia, é importante reservar esperma nos bancos de sêmen para eventual paternidade
Dr. Stênio Zequi, líder do Centro de Referência em Tumores Urológicos do A.C.Camargo

Novembro Azul: uma live que vai além do câncer de próstata

Linha Fina

Os especialistas do Centro de Referência em Tumores Urológicos do A.C.Camargo debatem a saúde do homem; assista

Novembro Azul, o mês de conscientização para a saúde masculina. Uma campanha que reafirma a importância de focar a atenção nos tumores urológicos. 

O assunto não se resume ao câncer de próstata, embora ele seja o segundo mais comum para os homens, com previsão, segundo o INCA, de 65.840 novos casos para este 2020, algo que representa 29,2% da população masculina brasileira.

Novembro Azul também tem como premissa o cuidado com os tumores de bexiga, o oitavo mais comum para os homens, com estimativa de 7.590 novos casos neste ano.

E, claro, as pautas do mês também giram em torno de tumores de pênis, rim e testículos.

Neste Novembro Azul, saiba tudo sobre os tumores urológicos e a saúde do homem no vídeo:

 

Wilson Bachega Jr

Sobre

Ensino Superior em Medicina, concluído em 1985, na Faculdade de Medicina de Santo Amaro

Mestrado em Oncologia, concluído em 2000, no A.C.Camargo Cancer Center

Registro
CRM 53560
Especialidade
Urologia
Departamento
Urologia
Centro de Referência
Tumores Urológicos
Wilson Bachega Jr

Avaliações deste médico

 

Walter Henriques da Costa

Sobre

Ensino Superior em Medicina, concluído em 2001, na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa

Mestrado em Oncologia, concluído em 2011, no A.C.Camargo Cancer Center

Doutorado em Oncologia, concluído em 2013, no A.C.Camargo Cancer Center

Especialização em Urologia, concluída em 2006, na Sociedade Brasileira de Urologia

 

Contato para candidatos a mestrado e doutorado

[email protected]

 

Registro
CRM 105567
Especialidade
Urologia
Departamento
Urologia
Centro de Referência
Tumores Urológicos
Walter Henriques da Costa

Avaliações deste médico

 

Victor Espinheira Santos

Sobre

Ensino superior em Medicina, concluído em 2009, na Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

Especialização em Cirurgia Geral e Urologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo

Fellowship em Uro-Oncologia, Laparoscopia e Robótica, concluído em 2017, no A.C.Camargo Cancer Center

Membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia - SBU

Registro
CRM 146590
Especialidade
Urologia
Departamento
Urologia
Centro de Referência
Tumores Urológicos
Victor Espinheira Santos

Avaliações deste médico

 

Thiago Borges Marques Santana

Sobre

Graduação em Medicina concluída em 2002 na Universidade de São Paulo. 

Residência em Cirurgia Geral cursada entre 2004 e 2006 na Universidade de São Paulo. 

Residência em Oncologia Cirúrgica cursada entre 2008 e 2011 no A.C.Camargo Cancer Center. 

Registro
CRM 108364
Especialidade
Urologia
Departamento
Urologia
Centro de Referência
Tumores Urológicos
Thiago Borges Marques Santana

Avaliações deste médico