“A vida, para mim, está apenas começando! E eu estou cheia de planos!”

“A vida, para mim, está apenas começando! E eu estou cheia de planos!”

Publicado em: 21/10/2020 - 11:10:01
Tratamento
Diagnóstico
Quimioterapia
Tumores de Mama
Linha Fina

Neste Outubro Rosa, conheça a história da nossa paciente Diana Zaraya, professora que trata um câncer de mama no A.C.Camargo Cancer Center

 

“Sempre me considerei uma mulher ativa e saudável, de bem com a vida. E tenho motivos para isso: sou mãe da pequena Laura, de 12 anos, e professora do segundo ano do ensino fundamental, em uma escola em São Paulo. Ainda que a vocação exija muita resiliência, eu amo educar, faz parte de quem eu sou.

Durante meus exames periódicos, em 2019, realizei um ultrassom que detectou alguns miomas no útero, que me causavam bastante desconforto. Era a chance de retirar o órgão e seguir com minha vida.

Mas também foi detectado algo de anormal na minha mama esquerda. Confesso que não acreditei de início, mas minha médica ficou com uma pulga atrás da orelha e pediu uma biópsia. Até pensei: que exagerada!

O exame da mama deu negativo para câncer e pude, enfim, retirar meu útero após a confirmação. Entretanto, minha médica continuou desconfiada e pediu outro exame, desta vez, um imuno-histoquímico. Como o resultado demorou, retirei o útero e só depois da cirurgia recebi o resultado: carcinoma nas mamas.

Receber a notícia de um câncer é sempre muito difícil. Passa um monte de coisas na cabeça! E se acontecer alguma coisa? E se minha filha precisar de mim? Se não fosse o apoio da minha família, em especial do meu "namorido", o Roberto, talvez seria muito mais complicado.


Início do tratamento

Fui encaminhada ao médico mastologista Dr. Eduardo Petribu, do A.C.Camargo Cancer Center. Estava com medo, mas ele me passou muita tranquilidade e disse que meu câncer era um dos mais fáceis de serem tratados, pois não era agressivo.

Essa segurança que o doutor me passou trouxe esperanças e fiquei muito confiante em superar o câncer. Eu posso conseguir!

Minha maior vontade era tirar aquilo de mim, eu queria muito. E assim foi feito, lembro-me bem do dia: 11 de maio de 2019.

Retirei todos os nódulos na mama sem precisar fazer mastectomia. Tive muita sorte em descobrir meu caso com bastante antecedência.

No mesmo dia, eu já estava em casa e, na outra semana, voltei a trabalhar. Claro, com algumas limitações – precisei de ajuda para escrever na lousa. Estava confiante, ainda que o câncer mexa muito com a gente, no meu caso, com meu feminino. É uma mistura de diversas sensações.

Alguns dias depois, fui encaminhada para a médica oncologista Dra. Solange Sanches, para realizar a quimioterapia. E qual foi a minha surpresa: ela era mãe de dois ex-alunos meus, em uma escola que dei aula há quase 25 anos e que tenho muito carinho. Quando olhei para ela, me senti em casa: aquele sentimento bom da época me revigorou ainda mais!

Novamente, fui muito tranquilizada e me senti segura para enfrentar as sessões de radioterapia, em junho daquele ano. Antes de iniciar, a equipe da radioterapia me levou até o lugar onde faria os procedimentos, me mostraram a máquina e como tudo é feito... Isso me trouxe uma calma! Tive ainda mais certeza de que estava em boas mãos.


Apoio da família

E, ao meu lado, no meio de tudo isso, lá estava ele: meu companheiro Roberto. Dando-me toda a força, apoio e amor que precisava. Com ele, não tinha tempo ruim: em cada sessão de rádio, a gente aproveitava para tomar um café gostoso em alguma padaria da cidade. Ou sair pela casa cantarolando a dois, para espantar qualquer sentimento ruim. Afinal, eu estou vencendo!

Desde a notícia de que estava com câncer até o tratamento, mudei muito. A doença me fez respeitar mais meu corpo, dar valor para o que a gente gosta, priorizar nossas demandas para o que nos faz bem.

Hoje, pratico atividade física constantemente, que, além de me fazer um bem danado, ajuda a diminuir os efeitos dos remédios. É um dia de cada vez, vivendo da melhor maneira – me sentindo realizada ao lado das pessoas que amo.

Se eu pudesse tranquilizar alguém que está passando pelo que passei, diria para não se assustar. Com certeza não é um momento fácil, mas os médicos estão dispostos a nos ajudar da melhor maneira possível. Siga o que a equipe pede, confie em você e na sua força de vencer.

A vida, para mim, está apenas começando! E eu estou cheia de planos.”
 

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Estudo PRADO introduz grande melhoria no atendimento de pacientes com melanoma e metástase em gânglios
Por João Pedreira Duprat Neto, head da Oncologia Cutânea do A.C.Camargo Cancer Center Estudo PRADO: pacientes com metástase de melanoma para linfonodos palpável têm prognósticos ruins, em torno de 30% de sobrevida. A imunoterapia por tempo curto com apenas 2 ciclos ainda com o tumor...
Médico residente do A.C.Camargo conquista premiação na European Society for Medical Oncology (ESMO)
Caso clínico apresentado pelo futuro oncologista, Rodrigo Taboada, conquistou o quinto lugar entre 80 inscritos Um caso clínico do A.C.Camargo Cancer Center liderado pelo Dr. Marcelo Corassa e pelo residente de oncologia clínica, Dr. Rodrigo Taboada, foi escolhido um dos cinco melhores cases pela European...
O Coronavírus e o paciente oncológico
A situação requer atenção – no entanto, o mais importante é não interromper o tratamento A manutenção do tratamento oncológico é fundamental para o sucesso terapêutico. “O Coronavírus é mais um item que o paciente deve considerar em sua rotina de precauções, que já é...
Novembro Azul: uma seleção de conteúdos para você saber tudo sobre tumores urológicos (e se prevenir)
Novembro Azul, o mês de conscientização para a saúde masculina. Uma campanha que reafirma a importância de focar a atenção nos tumores urológicos. O assunto não se resume ao câncer de próstata, embora ele seja o primeiro mais comum para os homens (exceto câncer de...
Dia Nacional da Saúde (5/8): veja um guia de prevenção contra o câncer
Saiba como cada faixa etária pode reduzir os riscos de tumores A Organização Mundial da Saúde (OMS) informa que mais de 14 milhões de pessoas desenvolvem câncer todos os anos e esse número pode ultrapassar 21 milhões de pessoas em 2030. Atualmente, diz a OMS...