Venda de medicamentos oncológicos cresce 32%

 
Publicado em: 06/09/2022 - 16:09:53
Linha Fina

Segundo o estudo, os Estados que lideram esta alta são, Distrito Federal, com 135% e Espírito Santo, com 64%. Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul também registraram altas, 31% e 19% respectivamente

Entre junho de 2021 e julho deste ano, a venda de medicamentos oncológicos no Brasil cresceu 32%. O levantamento foi realizado pela consultoria InterPlayers e divulgado esta semana.

Segundo o estudo, os Estados que lideram a alta na venda de medicamentos oncológicos são, Distrito Federal, com 135% e Espírito Santo, com 64%. Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul também registraram altas, 31% e 19% respectivamente. Já os Estados de São Paulo e Ceará foram na contra mão registrando queda na aquisição dos medicamentos de 2% e 15%.

Para o médico urologista e gerente médico do A.C.Camargo Cancer Center, Dr. Walter Henriques da Costa, umas das razões para este crescimento é o represamento de procedimentos por conta da pandemia de Covid-19. “Esses números chamam muito a atenção e expõem mais uma triste consequência que a pandemia de Covid-19 nos trouxe. Nos últimos dois anos, observamos uma diminuição do número de consultas preventivas e exames diagnósticos em decorrência da insegurança e do receio dos pacientes em procurar um serviço de saúde a fim de realizar estes procedimentos”.

Costa ainda acrescenta que, além de uma demanda represada de diagnósticos oncológicos que agora se expõe claramente, observamos também tumores sendo diagnosticados em estágios mais avançados, o que compromete o sucesso do tratamento e o trona mais complexo.

Durante o primeiro pico da pandemia, em 2020, clínicas e hospitais públicos e privados foram obrigados a suspender ou cancelar consultas e exames. Esta movimentação atrasou o diagnóstico de novos casos, causando um represamento na assistência.

Estimativas divulgadas pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA), indicam que, entre 2020 e 2022, aproximadamente 625mil novos casos serão diagnosticados no Brasil. Depois do câncer de pele não melanoma, que representa cerca de 177 mil novos casos, os mais incidentes serão, o câncer de mama e de próstata com 66 mil casos cada, câncer de cólon e reto, com 41 mil, pulmão com 30 mil casos e estômago com 21 mil.


Assistência durante a pandemia

Durante toda a pandemia de Covid-19, o A.C.Camargo Cancer Center manteve as portas abertas para todos os pacientes oncológicos e não suspendeu nenhum procedimento. Com protocolos de segurança do paciente reforçados e um time assistencial comprometido, o hospital manteve sua operação e dobrou seus esforços para reduzir o gargalo gerado pela pandemia no acesso ao tratamento oncológico no Brasil. 

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

Leucemia mieloide aguda: novo método calcula com precisão a sobrevida do paciente
Pioneiro no campo da onco-hematologia, ele foi desenvolvido em estudo multicêntrico internacional, que teve a liderança de médico do A.C.Camargo Cancer Center Quando um paciente é diagnosticado com leucemia mieloide aguda, os médicos usam uma variedade de métricas para determinar a gravidade da doença. As...
Pesquisa aponta aumento da incidência de câncer de orofaringe associado a infecção por vírus HPV
Neste Julho Verde, mês de conscientização sobre o combate aos tumores de cabeça e pescoço, conheça este estudo feito na cidade de São Paulo, que analisou mais de 15 mil casos de câncer de boca e orofaringe O papilomavírus humano (HPV) é um vírus que...
Síndrome de Li-Fraumeni: estudo que envolveu o A.C.Camargo pode mudar o aconselhamento genético da doença de forma marcante
Pesquisa internacional analisou dois tipos de mutações que estão ligadas à predisposição ao câncer A Síndrome de Li-Fraumeni (SLF) é uma doença hereditária de predisposição ao câncer, relacionada a mutações no gene TP53. Uma das mutações neste gene, denominada R337H, é encontrada apenas no Brasil...
Dia Mundial do Câncer de Rim: atividade física ajuda a reduzir o risco da doença
A adoção de hábitos saudáveis durante o dia diminui a incidência de tumores renais e ainda atua na melhoria de problemas cardiovasculares ou diabetes Câncer de rim e prevenção. Segundo dados mais recentes do Instituto Nacional de Câncer (Inca), a incidência de câncer renal no...
Câncer de cabeça e pescoço: artigo científico traz recomendações para cirurgias oncológicas
Estudo internacional teve a contribuição do Dr. Luiz Paulo Kowalski, líder do Centro de Referência em Tumores de Cabeça e Pescoço Câncer de cabeça e pescoço e Covid-19. Em artigo divulgado pela revista científica The Lancet Oncology, especialistas representando mais de 30 sociedades médicas do...