Tumores gastrointestinais: resultados promissores Pular para o conteúdo principal

Tumores gastrointestinais: resultados promissores para o adenocarcinoma esofagogástrico

 
Publicado em:

Tumores gastrointestinais: resultados promissores para o adenocarcinoma esofagogástrico

Publicado em:

Por Victor Hugo Fonseca de Jesus, oncologista clínico do A.C.Camargo Cancer Center

Foi apresentado o DESTINY-Gastric01, um estudo randomizado, de fase II, envolvendo 187 pacientes com adenocarcinoma esofagogástrico avançado HER2 positivo. Ele comparou o Trastuzumabe Deruxtecan com a quimioterapia de escolha do investigador.

O estudo foi realizado em 48 instituições no Japão e outras 18 na Coreia do Sul. 

Significa uma evolução, pois não havia dados a respeito da efetividade de terapias anti-HER2 para pacientes com adenocarcinoma esofagogástrico previamente tratados com Trastuzumabe.


Como funciona

O Trastuzumabe Deruxtecan consiste em um anticorpo monoclonal humanizado conjugado a um quimioterápico inibidor de topoisomerase I.

Após ligação da medicação ao HER2 (membrana localizada na membrana celular do tumor), a droga é internalizada e a ligação entre o Trastuzumabe e o quimioterápico é quebrada por ação de enzimas nos lisossomos. Depois, o quimioterápico é liberado dentro da célula, desencadeando a morte da célula.


Objetivo 

Terapias anti-HER2 foram testadas em pacientes com adenocarcinoma esofagogástrico previamente tratados com Trastuzumabe, sem sucesso. Tratamentos com Lapatinibe e TDM-1 falharam em trazer benefícios aos pacientes.

O campo de agentes conjugados anticorpo-quimioterápico sofreu grandes avanços nos últimos anos. Isso culminou no desenvolvimento de moléculas com maior afinidade aos receptores e melhores características físico-químicas, otimizando a atividade anti-tumoral. 

Foi nesse cenário que o Trastuzumabe Deruxtecan foi desenvolvido por pesquisadores japoneses da Daiichi Sankyo.


Principal novidade e benefícios

O estudo demonstrou ganhos significativos em termos de sobrevida global (mediana: 12,5 vs. 8,4 meses) e de taxa de resposta radiológica (51 vs. 14%).

Como o adenocarcinoma esofagogástrico HER2 positivo é uma doença de comportamento agressivo, esta nova terapia de alta efetividade traz esperanças aos 15-20% de pacientes com tumores de esôfago ou estômago que expressam essa proteína.

Assim, o estudo demonstra grande potencial para tratamento, e aponta o caminho para o desenvolvimento de terapias voltadas contra outras proteínas presentes em células tumorais.

Um dos aspectos negativos da droga é o risco de 10% de desenvolver pneumonite (inflamação no pulmão) ou doença intersticial pulmonar. Outras toxicidades também foram mais frequentes quando comparadas à quimioterapia de escolha do investigador, como a toxicidade hematológica (anemia, queda de glóbulos brancos e queda de plaquetas) e náuseas/vômitos.


Conclusões 

Esta droga é extremamente promissora. O impacto positivo é enorme, abrindo caminho para uma nova geração de drogas e para o tratamento de doenças graves e consideradas anteriormente refratárias ao tratamento.

Victor Hugo Fonseca de Jesus

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

Leucemia mieloide aguda: novo método calcula com precisão a sobrevida do paciente
Pioneiro no campo da onco-hematologia, ele foi desenvolvido em estudo multicêntrico internacional, que teve a liderança de médico do A.C.Camargo Cancer Center Quando um paciente é diagnosticado com leucemia mieloide aguda, os médicos usam uma variedade de métricas para determinar...
Pesquisa aponta aumento da incidência de câncer de orofaringe associado a infecção por vírus HPV
Neste Julho Verde, mês de conscientização sobre o combate aos tumores de cabeça e pescoço, conheça este estudo feito na cidade de São Paulo, que analisou mais de 15 mil casos de câncer de boca e orofaringe O papilomavírus humano...
Síndrome de Li-Fraumeni: estudo que envolveu o A.C.Camargo pode mudar o aconselhamento genético da doença de forma marcante
Pesquisa internacional analisou dois tipos de mutações que estão ligadas à predisposição ao câncer A Síndrome de Li-Fraumeni (SLF) é uma doença hereditária de predisposição ao câncer, relacionada a mutações no gene TP53. Uma das mutações neste gene, denominada R337H...
Dia Mundial do Câncer de Rim: atividade física ajuda a reduzir o risco da doença
A adoção de hábitos saudáveis durante o dia diminui a incidência de tumores renais e ainda atua na melhoria de problemas cardiovasculares ou diabetes Câncer de rim e prevenção. Segundo dados mais recentes do Instituto Nacional de Câncer (Inca), a...
Câncer de cabeça e pescoço: artigo científico traz recomendações para cirurgias oncológicas
Estudo internacional teve a contribuição do Dr. Luiz Paulo Kowalski, líder do Centro de Referência em Tumores de Cabeça e Pescoço Câncer de cabeça e pescoço e Covid-19. Em artigo divulgado pela revista científica The Lancet Oncology , especialistas representando...