Tuberculose pode causar câncer de pulmão? 

Publicado em: 26/03/2019 - 17:03:25
Prevenção
Tratamento
Sinais e Sintomas
Tumores do Pulmão e Tórax

Pneumologista explica as diferenças entre as duas doenças, como é feito o diagnóstico e cuidados para prevenção

De 24 a 31 de março é comemorada a Semana Nacional de Mobilização e Luta Contra a Tuberculose, uma doença pulmonar que ainda é um problema de saúde pública no mundo e no Brasil. A data foi criada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e é reforçada todos os anos por meio de campanhas de prevenção. No Brasil, a doença é considerada endêmica: segundo dados da OMS, em 2017, foram notificados aproximadamente 70 mil novos casos de tuberculose, que resultaram em quase cinco mil mortes no País.

Por outro lado, inicialmente, a tuberculose pode ser confundida com o câncer de pulmão, já que alguns sintomas são parecidos e as lesões nos exames de imagem também podem ser similares em alguns casos. “Nas duas doenças, o paciente pode apresentar perda de peso, tosse com sangue e falta de ar. Já na tomografia, às vezes uma lesão cavitada, que é uma característica clássica de tuberculose, pode ser causada por alguns tipos de câncer também”, explica a médica pneumologista, Dra. Carolina Salim, do A.C.Camargo Cancer Center. 

De olho nisso, diante de qualquer sintoma é importante procurar o médico pneumologista, que irá solicitar alguns exames para conclusão do diagnóstico. “Para investigarmos se é tuberculose, é feita a pesquisa da microbactéria (causadora da doença) pela análise do escarro. Se não for conclusiva, pode-se lançar mão de uma broncoscopia e, em raros casos, partimos para uma biópsia da lesão”, conta Dra. Carolina. Em caso positivo, o tratamento da tuberculose é totalmente gratuito e fornecido pelo Sistema Público de Saúde (SUS).

Tuberculose pode levar ao câncer?

“Não, são doenças diferentes. A tuberculose é causada por uma bactéria, enquanto o câncer envolve outras causas como o cigarro, exposições à substâncias tóxicas e herança genética”, conta a pneumologista. No entanto, quem já tem câncer de pulmão deve ficar atento: a imunidade fragilizada pelo tratamento oncológico pode ser um terreno fértil para o aparecimento da tuberculose e de outras complicações. 

“O tratamento do câncer por meio da radioterapia e da quimioterapia pode prejudicar o pulmão, favorecendo o aparecimento da tuberculose e infecções como as pneumonias de repetição, que podem agravar a saúde do paciente. Também pode deixar sequelas como a fibrose pulmonar”, explica a médica. Pensando nisso, o A.C.Camargo oferece, em parceria com a oncologia clínica, acompanhamento com o pneumologista que cuida e trata do pulmão como um todo, de forma a garantir e preservar o órgão e a qualidade de vida do paciente durante e pós-tratamento. 

Prevenção e diagnóstico 

A tuberculose tem cura e prevenção. A vacina BCG, que é oferecida gratuitamente no SUS e aplicada aos bebês recém-nascidos, previne somente as formas mais graves da doença. Por isso, alguns cuidados devem ser tomados ao longo da vida como forma de prevenção contínua, entre eles evitar o contato com pessoas que tenham a doença e lugares fechados e com pouca ventilação. 

“Geralmente, o contato com a bactéria acontece ainda na infância e ela fica latente no pulmão, sem causar nenhum sintoma. Quando cai a imunidade, a doença pode se manifestar, mesmo, por exemplo, 20 anos depois do contato prévio”, explica a pneumologista. 

Já o câncer de pulmão tem diversas causas, no entanto 90% estão associadas ao tabaco. Outros fatores como histórico familiar, exposição à substâncias tóxicas e até mesmo a poluição do ar têm relação com o aparecimento do tumor.  Adotar hábitos de vida saudáveis é um bom começo para a prevenção deste tipo de câncer, como de tantos outros. 

Saiba mais sobre diagnóstico, tratamento e estadiamento do câncer de pulmão. 

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Oncologista explica: transplante de medula óssea pode ajudar no tratamento de tumor de testículo
Este tipo de câncer é mais comum em jovens entre 15 e 35 anos Considerado incomum, um em cada 250 homens desenvolverá câncer de testículo em algum momento da vida. Nos Estados Unidos, a estimativa é de 9.560 novos casos, com 410 mortes, para o...
Prevenção primária x prevenção secundária
O tema prevenção contra o câncer aborda desde adotar hábitos saudáveis a fazer os exames de rastreamento recomendados para cada faixa etária. Ou seja, a prevenção pode ser feita de forma primária e secundária. Por isso, é importante conhecê-las para, junto com seu médico, cuidar...
Vigilância Ativa em câncer de tireoide: o tratamento acompanhado de perto
Monitoramento para o carcinoma papilífero pode proporcionar uma terapia mais benéfica e evitar a retirada da glândula Alguns tipos de câncer de tireoide, como o carcinoma papilífero, possuem uma evolução muito lenta e com poucas repercussões ao(à) paciente. Estudos de pesquisadores japoneses e americanos indicaram...
HPV x Papanicolau
A investigação do vírus HPV não substitui a realização do papanicolau. Ambos são feitos por meio do mesmo material. Por sua vez, a análise do HPV tem se mostrado mais sensível. “Ao investigarmos a infecção pelo vírus, quando o resultado dá negativo nós podemos afirmar...
Decisões colegiadas e baseadas na oncologia de precisão contribuem para tratamentos personalizados e mais assertivos
A oncologia personalizada deixou de ser o futuro da medicina para estar cada vez mais presente no dia a dia dos pacientes oncológicos por meio de uma grande quantidade de testes genéticos disponíveis. Por isso, para discutir as alterações genéticas dos tumores e sua influência...