A relação entre a mortalidade por Covid-19 e o câncer

Publicado em: 26/06/2021 - 15:06:27
Diagnóstico
Tratamento
Epidemiologia
Linha Fina

Epidemiologista do A.C.Camargo apresenta dois estudos que consideram a relação entre as duas doenças em pacientes de São Paulo

No terceiro dia do congresso Next Frontiers to Cure Cancer 2021, do A.C.Camargo Cancer Center, Gisele Aparecida Fernandes, epidemiologista do Grupo de Epidemiologia e Estatística da Instituição, abordou a relação entre mortalidade por Covid-19 e o câncer. Foram apresentados dois artigos de sua autoria publicados sobre o tema: 

Excess mortality by specific causes of deaths in the city of São Paulo, Brazil, during the COVID-19 pandemic

Differences in mortality of cancer patients with COVID-19 in a Brazilian cancer center

O primeiro artigo abordou o excesso de óbitos durante a pandemia de Covid-19 no ano de 2020, comparado ao ano de 2019 na cidade de São Paulo. Decorrente da letalidade da doença, o grande número de óbitos também reflete a sobrecarga dos serviços de saúde com a consequente pior evolução de pacientes com doenças crônicas, como o câncer. 

Segundo Gisele, “como há poucos estudos sobre o tema no Brasil, investigar o efeito da Covid-19 no aumento de mortalidade poderá elucidar o impacto desta doença nas causas de óbito, assim como conhecer o perfil de óbitos permitirá traçar estratégias de redução de mortalidade na população de risco”.

Após analisar dados populacionais e de mortalidade extraídos do DATASUS, o estudo concluiu que no município de São Paulo, o excesso de óbitos no primeiro semestre de 2020 foi de 24,99%. Desses, 94,4% tiveram como causa básica a Covid-19. Para ambos os sexos, houve aumento na mortalidade geral (30% para homens e 20% para mulheres). A mortalidade por Sars-Cov-2 foi o dobro para os homens em relação às mulheres.

“Com estes dados, podemos concluir que é provável que uma parte das mortes classificadas como Covid-19 também possa ter um diagnóstico de câncer e doenças cardiovasculares listado no atestado de óbito, e isso pode ser responsável pela aparente diminuição da mortalidade por câncer, por exemplo”, explica Gisele.

Por isso, é importante que pessoas com comorbidades associadas ao risco de morte pela novo coronavírus busquem ações preventivas e adequações contínuas no tratamento, já que as incertezas sobre a Covid-19 permanecem.

Estudo com pacientes do A.C.Camargo

O estudo Differences in mortality of cancer patients with COVID-19 in a Brazilian cancer center considerou dados apenas de pacientes do A.C.Camargo, a fim de contribuir para delinear o perfil do paciente brasileiro em um dos maiores centros de tratamento do país e, assim, fundamentar políticas de saúde adaptadas à realidade brasileira.

O estudo considerou 411 pacientes com em tratamento oncológico e com Covid-19 e apresentou uma taxa de letalidade de 12,4%. Não houve diferença da mortalidade em relação ao sexo ou tipo de seguro e na sobrevida global dos pacientes.

“Concluímos que os pacientes com câncer não são afetados igualmente pelo novo coronavírus. É preciso realizar mais estudos detalhados para compreender o mecanismo da Covid-19 na mortalidade de pacientes oncológicos, a fim de desenhar estratégias diferenciadas que poderão ajudar a reduzir as chances de morte e não haver interrupção dos tratamentos”, finaliza Gisele.
 

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

O diagnóstico por imagem no manejo do câncer de mama – Next Frontiers to Cure Cancer 2021
A imagem tem papel fundamental no manejo de pacientes com câncer de mama. Por isso, o programa do Next Frontiers to Cure Cancer 2021 terá um pre-meeting específico sobre Imagem da Mama, a ser realizado no dia 24 de junho (quinta-feira) pela manhã. Neste evento...
Sarcomas: A.C.Camargo integra grandiosa pesquisa para entender melhor esses raros tumores
Sarcomas são tumores raros. Os mais comuns atingem as chamadas partes moles, como músculos, gordura, tendões, ligamentos, vasos sanguíneos, nervos periféricos e outros tecidos. Com o objetivo de entender melhor esses raros tumores e implementar melhores práticas que possam ser replicadas em vários países, o...
Suco gástrico dos pacientes com câncer de estômago pode ser útil para identificação de tumor
Estudo inédito pode ajudar na avaliação da resposta ao tratamento e trazer novas informações que a biópsia comum não é capaz de fazer A biópsia de um tumor obtida na endoscopia é um procedimento comum na rotina médica, porém, por conter apenas fragmentos isolados do...
Prebiótico x probiótico: saiba a diferença e por que são importantes para a saúde
Componentes ajudam na prevenção de tumores colorretais Nos últimos anos, duas palavras ganharam destaque na mídia e na internet quando o assunto é nutrição: os prebióticos e os probióticos. À primeira vista, pode parecer mais um modismo alimentar, porém o assunto vai além disso: eles...
Seguimento de longo prazo de Lifileucel – terapia com TILs para pacientes com melanoma avançado que falharam em múltiplos tratamentos
Por Milton José de Barros e Silva, oncologista clínico do A.C.Camargo Cancer Center O tratamento do melanoma metastático avançou muito na última década com a imunoterapia, através dos inibidores de pontos de verificação e da terapia-alvo para os pacientes com a mutação do gene BRAF...