A relação do sistema imunológico, o câncer e a imunoterapia | A.C.Camargo Cancer Center Pular para o conteúdo principal

A relação do sistema imunológico, o câncer e a imunoterapia

 
Publicado em:

A relação do sistema imunológico, o câncer e a imunoterapia

Publicado em:

O corpo humano está diariamente exposto a diversos agentes, como bactérias e vírus, e precisa de uma barreira defensiva para se proteger. Essa é a função do sistema imunológico, que detecta células estranhas ao organismo para poder eliminá-las, tornando-se um importante mecanismo de proteção ao surgimento e progressão de diversas doenças, entre elas o câncer.



De acordo com Dr. Fábio Nasser, médico titular da Oncologia Cínica do A.C.Camargo, uma célula normal pode sofrer mutações em seu DNA que alterem suas funções originais e se transformar em uma célula cancerígena, que normalmente é reconhecida e eliminada pelo organismo. No entanto, em alguns casos, falhas do sistema imunológico permitem a sobrevivência dessa célula, possibilitando o desenvolvimento de alguns tipos de câncer.


Conhecer profundamente os mecanismos das células tumorais e como elas agem no organismo permite o desenvolvimento de medicações para o tratamento do câncer. Com base nesse princípio, estão sendo desenvolvidos novos tipos de condutas terapêuticas, como a imunoterapia. "O objetivo da imunoterapia é ensinar o sistema imunológico a reconhecer o tumor como algo a ser combatido e, assim, reduzir os mecanismos de resistência da célula tumoral", explica o especialista.

Entre as décadas de 1980 e 1990, quando passaram a ser utilizados no tratamento de melanoma e tumores renais, os medicamentos de imunoterapia disponíveis (interferon e interleucina-2) eram indicados para poucos pacientes devido aos efeitos colaterais provocados. Novas pesquisas, contudo, proporcionaram terapias menos tóxicas e mais eficazes, como os anticorpos anti-CTLA4 e anti-PD1. "Teoricamente, por não se tratar de uma ação direta da medicação no tumor, mas sobre o sistema imunológico do paciente, a imunoterapia pode ser aplicada para vários tipos de câncer e não somente no melanoma e nos tumores renais", afirma. "Publicações recentes demonstram sucessos importantes dessa estratégia em tumores de pulmão, além de ser objetos de estudos em diversos outros tipos de câncer, como mama, estômago, bexiga e linfoma". 

O principal desafio da imunoterapia, além do seu importante papel no tratamento do câncer, é evitar efeitos autoimunes, nos quais o organismo atua contra as próprias células sadias. O risco, embora menor quando comparado aos primeiros tratamentos com interferon e interleucina, ainda existe. "Hoje estamos conseguindo medicamentos mais eficazes e seguros, porque entendemos melhor como funciona o sistema imunológico", enfatiza o oncologista. 

Dr. Fábio Nasser Santos - CRM 121353
Médico Titular da Oncologia Clínica

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

Nossos índices de chance de cura são os mais altos do país
Lançado em abril de 2023, o Observatório do Câncer do A.C.Camargo avaliou mais de 98 mil casos tratados na instituição nos últimos 20 anos. E os dados apresentados mostram que, cada vez mais, alcançamos ótimos resultados junto aos pacientes. Nos...
A.C.Camargo contribui para o tratamento de câncer de cabeça e pescoço em países subdesenvolvidos
Como um cancer center, inovação e pesquisa fazem parte da nossa jornada diária. Além de ser um ato de grande orgulho para nós. Nosso corpo clínico é formado por grandes mentes pensantes que, junto a atuação em assistência, também lideram...
Linfoma de Hodgkin x Linfoma não Hodgkin
Conheça os sinais e sintomas de cada um destes tipos de câncer hematológicos O linfoma surge no sistema linfático, uma rede de pequenos vasos e gânglios que é parte tanto do sistema circulatório como do sistema imune. O sistema coleta...
Câncer colorretal tem cura e pode ser prevenido
O câncer colorretal é um dos mais frequentes no mundo todo. A boa notícia é que há prevenção para reduzir a probabilidade de desenvolver este câncer e as taxas de cura são altas quando detectadas precocemente. Por isso, conhecer e...
Ciência e conscientização para crianças: livro infantil aborda a importância da vacinação de forma lúdica
Ontem (9/5), aconteceu o pré-lançamento do livro Bel e o Admirável Escudo Invisível, do escritor Bruno Gualano, professor da Faculdade de Medicina da USP, cientista e colunista do jornal Folha de S.Paulo. O livro conta com o patrocínio do A.C.Camargo...