A relação do sistema imunológico, o câncer e a imunoterapia

Publicado em: 19/08/2015 - 21:08:00

O corpo humano está diariamente exposto a diversos agentes, como bactérias e vírus, e precisa de uma barreira defensiva para se proteger. Essa é a função do sistema imunológico, que detecta células estranhas ao organismo para poder eliminá-las, tornando-se um importante mecanismo de proteção ao surgimento e progressão de diversas doenças, entre elas o câncer.



De acordo com Dr. Fábio Nasser, médico titular da Oncologia Cínica do A.C.Camargo, uma célula normal pode sofrer mutações em seu DNA que alterem suas funções originais e se transformar em uma célula cancerígena, que normalmente é reconhecida e eliminada pelo organismo. No entanto, em alguns casos, falhas do sistema imunológico permitem a sobrevivência dessa célula, possibilitando o desenvolvimento de alguns tipos de câncer.


Conhecer profundamente os mecanismos das células tumorais e como elas agem no organismo permite o desenvolvimento de medicações para o tratamento do câncer. Com base nesse princípio, estão sendo desenvolvidos novos tipos de condutas terapêuticas, como a imunoterapia. "O objetivo da imunoterapia é ensinar o sistema imunológico a reconhecer o tumor como algo a ser combatido e, assim, reduzir os mecanismos de resistência da célula tumoral", explica o especialista.

Entre as décadas de 1980 e 1990, quando passaram a ser utilizados no tratamento de melanoma e tumores renais, os medicamentos de imunoterapia disponíveis (interferon e interleucina-2) eram indicados para poucos pacientes devido aos efeitos colaterais provocados. Novas pesquisas, contudo, proporcionaram terapias menos tóxicas e mais eficazes, como os anticorpos anti-CTLA4 e anti-PD1. "Teoricamente, por não se tratar de uma ação direta da medicação no tumor, mas sobre o sistema imunológico do paciente, a imunoterapia pode ser aplicada para vários tipos de câncer e não somente no melanoma e nos tumores renais", afirma. "Publicações recentes demonstram sucessos importantes dessa estratégia em tumores de pulmão, além de ser objetos de estudos em diversos outros tipos de câncer, como mama, estômago, bexiga e linfoma". 

O principal desafio da imunoterapia, além do seu importante papel no tratamento do câncer, é evitar efeitos autoimunes, nos quais o organismo atua contra as próprias células sadias. O risco, embora menor quando comparado aos primeiros tratamentos com interferon e interleucina, ainda existe. "Hoje estamos conseguindo medicamentos mais eficazes e seguros, porque entendemos melhor como funciona o sistema imunológico", enfatiza o oncologista. 

Dr. Fábio Nasser Santos - CRM 121353
Médico Titular da Oncologia Clínica

Veja também

O papel do enfermeiro navegador e seu impacto na jornada oncológica
Durante a jornada oncológica, pacientes do A.C.Camargo Cancer Center podem contar com a expertise dos enfermeiros navegadores. São profissionais altamente especializados em oncologia que atuam como um elo entre o paciente e todas as equipes (assistenciais e administrativas), desenvolvendo um trabalho fundamental para melhorar os...
"O homem não pode se descuidar de jeito nenhum!"
Sou Carlos Levy, tenho 75 anos, funcionário público aposentado e pai de cinco filhos. Também sou avô dos meus quatro queridos netos e casado com o amor da minha vida, Amália. Desde meus 50 anos tenho um compromisso comigo mesmo: fazer meus exames periódicos. Sigo...
2020, O Ano do Profissional de Enfermagem
Saiba mais sobre essa especialidade vital para o cuidado. Clique aqui caso tenha problemas para acessar o vídeo abaixo. video { width: 100%; height: auto; }
7 passos para pacientes com câncer manterem a mente calma
Pacientes com câncer são afetados em qualquer idade. Existem, porém, formas de eles se manterem calmos e positivos, conforme se vê nas dicas abaixo. São ideias que valem não apenas para quem está em tratamento, mas também para quem faz parte desses pacientes com câncer...
A atuação dos Cuidados Paliativos em pacientes adultos e pediátricos
Esse departamento do A.C.Camargo Cancer Center busca promover melhor qualidade de vida aos pacientes e familiares que enfrentam questões associadas à doença O Departamento de Cuidados Paliativos, com seu trabalho voltado à prevenção e ao alívio do sofrimento do paciente, tenta identificar seus problemas precocemente...