Reduza o desconforto da mamografia

Reduza o desconforto da mamografia

Publicado em: 14/10/2020 - 08:10:11
Foco do paciente
Diagnóstico
Exames
Tumores de Mama
Linha Fina

Confira dicas para tornar o exame mais tranquilo

A mamografia é uma das principais formas de detecção precoce do câncer de mama. O exame pode ser incômodo para algumas pacientes, pois é necessário comprimir a mama para conseguir uma boa imagem. Mas, a questão da dor é relativa: enquanto algumas mulheres têm a mama altamente sensível, outras passam pelo exame e sentem apenas um desconforto.

Dra. Fabiana Makdissi, líder do Centro de Referência de Tumores da Mama, dá algumas dicas para tornar a mamografia menos desconfortável. Confira:

  • Programe a sua mamografia: evite a semana que antecede a menstruação, pois, como a mama estará mais inchada, as dores podem ser maiores. Por isso, dê preferência para fazer o exame após o ciclo menstrual.

  • Pacientes com mamas muito sensíveis podem conversar com o médico: ele pode indicar um analgésico para tomar antes do exame para aliviar a dor.

  • Alguns alimentos podem tornar a mama mais sensível. Por isso, se você percebe que você tem maior sensibilidade nas mamas quando ingere café, chocolate, bebidas energéticas ou outros alimentos com cafeína, evite-os próximo da data do seu exame. 

  • Tente relaxar. Com uma postura tensa, os músculos do peitoral podem ficar contraídos e tornar o exame mais dolorido. Respire fundo e tente manter a postura ereta, com ombros e braços relaxados.

  • Fique de olho na sua posição. Qualquer movimentação pode interferir na captura da imagem e, se for necessário, o técnico pode pedir para repetir a mesma posição.

  • Prefira roupas com duas peças, como blusa com calça ou saia, pois é preciso ficar nua da cintura para cima, usando apenas o avental fornecido pela equipe de enfermagem.

Indicação da mamografia

A mamografia, como forma de rastreamento do câncer, é indicada anualmente para mulheres acima dos 40 anos, como recomendação da nossa Instituição e da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM). O Ministério da Saúde recomenda a cada dois anos entre os 50 e 69 anos. Abaixo dos 40 anos, a mamografia pode ser indicada para mulheres com suspeita de síndromes hereditárias ou para complementar o diagnóstico, em caso de nódulos palpáveis e se o médico determinar essa necessidade.  

Em caso de mamas muito densas, o médico poderá solicitar exames complementares, como o ultrassom. Em nossa Instituição, em caso de mama densa, faz parte do protocolo fazer o ultrassom complementar de rotina.


 

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Coronavírus: como se proteger?
Mais Coronavírus - Recomendações importantes - Dúvidas mais frequentes - O paciente oncológico - O que é
Vídeo: Tratamento de câncer de intestino diminuiu por conta da pandemia
O Dr. Samuel Aguiar Junior, head do Centro de Referência em Tumores Colorretais e Sarcoma do A.C.Camargo Cancer Center, participou ontem (18/02) da reportagem exibida no Jornal Nacional (Rede Globo) comentando a dificuldade de acesso ao diagnóstico e tratamento por parte da população durante a...
A.C.Camargo recebe o Prêmio IBHE Hospitalidade Empresarial
Silvia Voullieme, gerente de experiência do paciente, também foi premiada na categoria Profissionais Mais Hospitaleiros de 2019 O A.C.Camargo Cancer Center recebeu o Prêmio IBHE Hospitalidade Empresarial, concedido pelo Instituto Brasileiro de Hospitalidade Empresarial (IBHE). Junto com a Instituição, outras quatro empresas que também receberam...
A.C.Camargo Cancer Center serve cardápio especial para dar boas-vindas à primavera
No A.C.Camargo Cancer Center, o início da primavera foi marcado com uma refeição especial para os pacientes. Para trazer alegria e conforto aos nossos pacientes no início de uma nova estação, a equipe de Nutrição preparou um coquetel de frutas (sem álcool) e uma deliciosa...
Tratamento oncológico e libido: uma relação delicada
A diminuição da libido é normalmente uma questão pouco abordada quando se fala em efeitos colaterais do tratamento oncológico. No entanto, é comum entre os pacientes com câncer. Costuma afetar principalmente mulheres cujo tratamento da doença gera mutilações, como os tumores ginecológicos ou de mama...