Pesquisa indica mudança imediata no tratamento de pacientes com câncer gástrico avançado

Publicado em: 11/06/2017 - 21:06:00
Tratamento
Pesquisa
Epidemiologia
Tumores do Aparelho Digestivo Alto

Um novo estudo apresentado no ASCO 2017 sinaliza mudanças no tratamento dos tumores gástricos e de junção gastroesofágica operáveis. Até recentemente, o padrão era quimioterapia baseada em platina e fluoropirimidina, por 2 a 3 meses antes da cirurgia e 2 a 3 meses depois.

A pesquisa "Perioperative chemotherapy with docetaxel, oxaliplatin, and fluorouracil/ leucovorin (FLOR) versus epirubicin, cisplatin, and fluorouracil/ capecitabine (ECF/ECX) for resectable gastric or gastroesophageal junction (GEJ) adenocarcinoma (FLOT4-AIO): a multicenter, randomized phase 3 trial", chefiada pelo Dr. Salah-Eddin Al-Batran, do University Cancer Center, de Frankfurt, apresenta um novo esquema, capaz de aumentar o período sem progressão da doença e a sobrevida global.

O estudo (um ensaio clínico de fase 3 multicêntrico) envolveu 716 pacientes: 74% deles homens, com idade média de 62 anos, com tumores com estadiamento T3/T4. Eles foram divididos aleatoriamente em dois grupos:

  • Grupo 1: recebeu o tratamento tradicional (esquema ECF ou ECX).
  • Grupo 2: recebeu o tratamento experimental (FLOT), composto por Docetaxel, Oxaliplatina e 5-FLuorouracil/Leucovorin por 2 meses antes da cirurgia (4 ciclos) e mais 2 meses depois da cirurgia (4 ciclos).

A ideia de acrescentar o Docetaxel surgiu de alguns estudos sobre câncer gástrico metastático, indicando que sua inclusão aumentava a eficácia da quimioterapia tradicional, para esses casos.

"O estudo demonstrou aumento de sobrevida livre de progressão mediana (30 meses para esquema FLOT vs. 18 meses para o tradicional) e sobrevida global mediana (50 meses para esquema FLOT vs. 35 para o convencional)", relata Dr. Victor Hugo Fonseca, da nossa equipe de Oncologia Clínica, que esteve presente na apresentação da pesquisa, em Chicago.

De acordo com ele, a nova estratégia de tratamento aumenta a frequência de efeitos colaterais como diarreia, infecções, queda de imunidade (neutropenia), mas nada que leve a complicações graves. "Esses dados têm consequência direta e indicam uma imediata mudança no manejo dos pacientes com câncer gástrico e de junção esôfago-gástrica, com a adoção do novo protocolo de tratamento," afirma.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

A.C.Camargo Cancer Center: há 68 anos lutando pela cura do câncer no Brasil
No dia 23 de abril, o A.C.Camargo Cancer Center completa 68 anos combatendo o câncer, paciente a paciente. Essa luta começou com Antônio Prudente, Carmen Prudente e Antônio Cândido de Camargo e ganhou continuidade em cada profissional da Instituição, com destaque para nomes como Ricardo...
Tumores gastrointestinais: resultados promissores para o adenocarcinoma esofagogástrico
Por Victor Hugo Fonseca de Jesus, oncologista clínico do A.C.Camargo Cancer Center Foi apresentado o DESTINY-Gastric01, um estudo randomizado, de fase II, envolvendo 187 pacientes com adenocarcinoma esofagogástrico avançado HER2 positivo. Ele comparou o Trastuzumabe Deruxtecan com a quimioterapia de escolha do investigador. O estudo...
Interações medicamentosas: avanços na investigação
Publicado em periódico do European Institute of Oncology, artigo analisa impactos de se associar inibidores da bomba de prótons ao tratamento Interações medicamentosas representam um risco relativamente alto para pacientes oncológicos. Estima-se que cerca de 30% deles estão expostos a combinações de drogas potencialmente perigosas...
Novos agentes imuno-oncológicos em desenvolvimento
Um dos paradoxos da oncologia é que a combinação de tratamentos, se, por um lado, pode melhorar os resultados, por outro, também apresenta o risco de aumento da toxicidade, ou seja, de causar mais efeitos adversos. Um estudo apresentado no AACR Meeting 2017, em Washington...
Telemedicina: mais segurança e conforto para os pacientes oncológicos seguirem seus tratamentos e diagnósticos em tempos de Covid-19
Pensando na segurança e no conforto dos nossos pacientes em tempos de Covid-19, lançamos a plataforma de Telemedicina do A.C.Camargo Cancer Center, que oferece um atendimento inovador para que o paciente não interrompa o seu tratamento, proporcionando mais comodidade e praticidade no combate ao câncer...