Oncogeriatria: o desafio de tratar uma população com cada vez mais idosos

Publicado em: 22/09/2016 - 21:09:00
Tratamento
Foco do paciente
Epidemiologia

Sessão educativa do ASCO mostrou a necessidade de produzir dados específicos para o tratamento do paciente idoso e adotar comunicação mais clara que facilite a tomada de decisão

Estima-se que, em 2040, 70% dos diagnósticos de câncer serão de pessoas com mais de 65 anos, e isso significa dez vezes mais pacientes na faixa dos 75 aos 84 anos e 17 vezes na faixa acima dos 85 anos, em relação a 1975.

Esse é um desafio para o tratamento, já que existem poucas evidências sobre as condutas terapêuticas desse grupo, que, geralmente, já sofre de outras doenças crônicas e convive com as fragilidades da idade.

Para eles, o tratamento deve levar em conta não apenas o tumor, mas também o impacto dessas outras doenças e a autonomia e independência do doente.

A importância desse grupo é tão grande que o ASCO 2017 realizou uma sessão educacional, Improving Quality and Value of Cancer Care for Older Adults, para debater e melhorar qualidade valor no cuidado oncológico a idosos.

Qualidade é a medida da adesão a protocolos de tratamento, e o problema aqui é que existem poucos dados científicos para essa população. Um estudo realizado em 2013, por exemplo, constatou que 60% dos medicamentos novos aprovados pela Food and Drug Administration (FDA) não ofereciam informações sobre seu uso em idosos.

"Valor é uma forma de medir a eficiência da assistência à saúde e, na oncogeriatria, é importante levar em conta alguns fatores, como independência para funções do dia a dia e manutenção da capacidade cognitiva", explica o Dr. Aldo Dettino, oncologista clínico do A.C.Camargo Cancer Center, que acompanhou a sessão.

"Qualidade de vida pode ser mais importante do que sobrevida global e isso pode significar optar por cuidados paliativos menos agressivos, em vez de tratamentos mais tóxicos", acrescenta.

A sessão, apresentada pelas Dras. Beverly Canin, da Breast Cancer Option, Arash Naeim, da Universidade da Califórnia, Erika Ramsdale, da Universidade da Virgínia, e Andrew Chapman, da Universidade Thomas Jefferson, destacou também a importância de as necessidades específicas dessa população idosa serem reconhecidas e consideradas nos processos de decisão de políticas de saúde e de uma comunicação mais eficiente e clara.

"Nesse sentido, a tecnologia da informação pode contribuir bastante, com melhorias na comunicação, condições de acesso, novos métodos de coletas de dados e pesquisas e aumento de decisões compartilhadas na assistência à saúde", afirma Dr. Dettino.

De acordo com os especialistas, pacientes e cuidadores, ao lado dos profissionais de saúde, podem decidir quais as melhores opções de tratamento, de acordo com os desejos e as necessidades pessoais.

Cansados de enfrentar as dificuldades e os altos custos do tratamento, pacientes tendem a ver conceitos como valor e qualidade como desumanizadores e querem ser tratados como indivíduos.

Por isso, a troca de informações entre toda a equipe multidisciplinar que o atende é tão fundamental e precisa ser clara e acessível para facilitar a tomada de decisão a cada passo dessa jornada.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Next Frontiers em Urologia: saiba mais sobre os recentes usos da teranóstica no câncer de próstata
Abordagem da medicina personalizada é um dos grandes destaques do painel Teranóstica é um conceito que une terapêutica (tratamento) e diagnóstico na mesma palavra e na mesma prática. Uma abordagem contemporânea da medicina personalizada e de precisão: durante um exame de imagem (PET-CT), células tumorais...
Dia Nacional de Atenção à Disfagia (20/3): problemas na deglutição devem ser tratados
Além de comprometer o bem-estar do paciente, alteração pode levar à pneumonia A disfagia é caracterizada por qualquer alteração no ato de engolir e pode trazer uma série de riscos à saúde, como aspirações de alimentos ou saliva que, se atingirem os pulmões, levam à...
Tumor de tireoide pode ter origem na metástase de outros órgãos
Análise evidencia a importância do conhecimento dos aspectos morfológicos dos pacientes para identificar a origem da doença, cujo dia é lembrado em 25 de maio O Dia Internacional da Tireoide, em 25 de maio, é mais uma ocasião para lembrar que o câncer nessa glândula...
Câncer de próstata: sinais, sintomas e um manual completo de informações sobre cirurgia
O câncer de próstata deverá acometer 65.840 brasileiros e causar quase 15.576 mortes em 2020, segundo estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca). É o segundo tumor mais comum entre os homens no país, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. Na maioria das vezes...
Podcast Rádio Cancer Center #38 - O Cuidado com o Câncer de Cólon e Reto em Tempos de Covid-19
O câncer de cólon e reto é muito comum no Brasil. Sem contar os tumores de pele não melanoma, ele é o segundo mais comum entre os homens, com previsão de 20.540 novos casos para 2020, de acordo com o INCA, e também é o...