Medo de recidiva: nova forma de terapia melhora vida de pacientes após o tratamento | A.C.Camargo Cancer Center Pular para o conteúdo principal

Medo de recidiva: nova forma de terapia melhora vida de pacientes após o tratamento

 
Publicado em:

Medo de recidiva: nova forma de terapia melhora vida de pacientes após o tratamento

Publicado em:

Estudo australiano mostra eficiência de abordagem para controlar o medo da volta da doença, que impacta a qualidade de vida emocional e profissional de mais da metade dos pacientes que sobrevivem ao câncer.

Cerca de 50% dos pacientes que passaram por tratamento de câncer e 70% das mulheres jovens que tiveram câncer de mama sofrem de medo de recidiva da doença em níveis moderados a elevados.

Esse quadro, que pode impactar a atividade profissional e os relacionamentos pessoais, está associado a:

  • Baixa qualidade de vida
  • Angústia e ansiedade
  • Falta de planejamento do futuro
  • Evitar avaliação médica ou procurá-la excessivamente
  • Maior uso do sistema de saúde

Um teste clínico fase II realizado com 222 pacientes na Austrália mostrou que uma intervenção psicológica chamada Conquer Fear (Vencer o Medo) produz bons resultados logo após a ação e nos 3 e 6 meses posteriores a ela.

"A diminuição do medo de recorrência da doença foi o bastante para melhorar o bem-estar emocional e psicológico", afirmou a oncologista Dra. Jane Beith, da Universidade de Sufney, na Austrália, principal autora do estudo "Long Term Results of a Phase II Randomized Controlled Trial (RCT) of a Psychological Intervention (Conquer Fear) to Reduce Clinical Levels of Fear of Recurrence (GOR) in Breast, Colorectal and Melanoma Cancer" e que foi um dos destaques do ASCO 2017.

A técnica Conquer Fear foi desenvolvida pelos autores e, por enquanto, está sendo utilizada apenas em estudos e não na prática clínica. O processo envolve terapia em cinco sessões presenciais e individuais com duração entre 60 e 90 minutos ao longo de dez semanas.

A intervenção tem cinco focos principais:

  • Aceitação da incerteza quanto ao retorno ou não do câncer
  • Ensino de estratégias para controlar preocupação e ansiedade
  • Maior controle sobre o foco de atenção dos sobreviventes
  • Clareza sobre o que a pessoa deseja da vida
  • Escolha e adesão de um esquema razoável de acompanhamento clínico

O estudo envolveu sobreviventes de câncer de mama, colorretal e melanoma, com níveis de medo considerados de médio a alto, que foram aleatoriamente encaminhados ao Conquer Fear e ao Take it Easy, com técnicas de relaxamento e que funcionou como grupo de controle.

Os sobreviventes foram avaliados logo após a intervenção. Após 3 e 6 meses, o Conquer Fear se mostrou mais eficaz do que as técnicas de relaxamento. A nova técnica também se mostrou eficaz para reduzir pensamentos recorrentes sobre câncer, ansiedade, depressão, angústia e melhorar a qualidade de vida, em termos de maior autonomia, dor, saúde mental, relacionamentos e autoestima.

A técnica foi aplicada por psicólogos especializados em câncer, mas, segundo os pesquisadores, terapeutas podem ser treinados inclusive para oferecer a intervenção online, não presencial. O próximo passo da equipe é avaliar o impacto econômico do Conquer Fear.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

Adolescentes e adultos jovens em tratamento de câncer podem ter fertilidade preservada
A expertise acumulada em oncopediatria ao longo das últimas décadas trouxe avanços no atendimento de pacientes com diagnóstico de câncer na faixa etária de 12 a 30 anos. É uma nova área chamada câncer em Adolescente e Adulto Jovem, conhecida...
A.C.Camargo mostra que avaliação genética poderá prever perda auditiva em crianças tratadas por câncer
Um grupo de pesquisadores do A.C.Camargo Cancer Center, em São Paulo, trouxe uma descoberta que pode refletir na mudança da atual conduta terapêutica prescrita para crianças diagnosticadas com câncer. Ao analisar o DNA de 61 pacientes tratados com cisplatina e...
Fisioterapia contribui para a qualidade de vida de mulheres com câncer de mama e tumores ginecológicos
Uma das grandes preocupações da mulher em tratamento de câncer de mama ou tumores ginecológicos é o linfedema – acúmulo de líquido nos braços ou nas pernas, que causa inchaço e pode dificultar o movimento. A fisioterapia tem o papel...
Cuidados na recuperação após tratamento cirúrgico de câncer colorretal
A cirurgia é o principal método de tratamento para casos de câncer colorretal (sem metástases). No A.C.Camargo Cancer Center, mais de 70% dessas cirurgias são minimamente invasivas, isto é, realizadas por videolaparoscopia ou por meio de equipamentos robóticos, como o...
Guia da Mulher: dicas e alertas para mulheres durante o tratamento oncológico
Os cuidados com a saúde devem ser intensificados durante o tratamento de câncer. Algumas condutas terapêuticas, como a quimioterapia, podem aumentar o nível de sensibilidade da pele, tornando-a mais propensa a irritações ou lesões. Entre as dúvidas mais comuns dos...