Entenda a diferença entre os tipos de câncer de pele Pular para o conteúdo principal

Entenda a diferença entre os tipos de câncer de pele

 
Publicado em:

Entenda a diferença entre os tipos de câncer de pele

Publicado em:
2 minuto(s) de leitura

Dr. João Duprat examina pinta de paciente

2 minuto(s) de leitura
Dr. João Duprat examina pinta de paciente

Em um mês onde olhar para e falar sobre o câncer de pele é necessário para promover proteção através do conhecimento, hoje vamos te ajudar a entender melhor a diferença entre os tipos deste câncer e os sinais da sua presença. Segundo o nosso estudo Observatório do Câncer, aqui no A.C.Camargo, entre os anos 2000 e 2020, os tumores cutâneos representaram mais de 30% (31.776) dos casos, incluindo câncer de pele não-melanoma (carcinomas basocelulares e escamocelulares) e melanoma.

Para cada ano do triênio 2023-2025, a estimativa de novos casos (não melanoma) é de 220.490, o que corresponde a um risco estimado de 101,95 por 100 mil habitantes.

Alguns sinais e sintomas pedem atenção e uma consulta com um dermatologista

Conhecer os tipos de câncer de pele e quais de suas características, são pontos importantes para a detecção precoce da doença e pode ajudar a alcançar altos índices de cura quando descoberto nos estágios iniciais.

Os tumores na pele podem ser divididos em dois grupos: melanomas e não melanomas. Dr. João Pedreira Duprat Neto, head do Centro de Referência de Tumores Cutâneos do A.C.Camargo Cancer Center, explica a diferença entre eles e quais os sinais e sintomas que indicam atenção.

Câncer de pele tipo melanoma 

Os tumores de pele do tipo melanoma têm sua origem nos melanócitos, que são as células produtoras de melanina - pigmento marrom que dá cor à pele para proteger suas camadas mais profundas contra os efeitos nocivos da radiação do sol. Apesar de serem mais comuns em pessoas de pele clara, pessoas negras, os orientais e seus descendentes não estão livres da doença.

Nos estágios iniciais, normalmente o melanoma se manifesta em forma de pinta, que se diferencia das demais por algumas características que podem ser agrupadas em uma regra chamada “ABCDE”:

ABCDE do câncer de pele tipo melanoma

 

Câncer de pele tipo não melanoma

Os tumores não melanoma representam cerca de 95% do total dos casos de câncer de pele e são os mais frequentes no Brasil. Originam da camada superficial da pele e apresentam menor mortalidade quando comparados ao melanoma. Este tipo de câncer é mais comum em pessoas acima de 40 anos.

Os sinais e sintomas variam de pessoa para pessoa, mas é preciso ficar atento às seguintes mudanças:

  • Pinta ou sinal que apresente crescimento, coceira, sangramento frequente ou mude de cor, tamanho, consistência ou espessura.
  • Lesão rosada ou avermelhada de crescimento lento, mas constante.
  • Qualquer ferida que não cicatrize em quatro semanas.
  • Qualquer mancha de nascença que mude de cor, espessura ou tamanho.

Procure um dermatologista

Caso tenha algum dos sinais e sintomas listados acima para melanoma e não melanoma, procure um dermatologista. O médico poderá avaliar melhor se será necessário fazer biópsia ou exames complementares ou se não há necessidade de preocupação.
 

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

A bebida alcoólica eleva o risco de um câncer de boca?
A bebida alcoólica pode ser, sim, um fator de risco para o desenvolvimento de um câncer. Essa associação ocorre não apenas para um tumor de cabeça e pescoço, como boca, faringe e laringe. O álcool também pode implicar problemas no...
Podcast Rádio Cancer Center #20 - O cirurgião oncológico
Conheça o papel deste especialista essencial A conversa de hoje é sobre o papel do cirurgião oncológico. Vamos falar da atuação desse especialista que é vital para o tratamento do câncer. Trata-se de um profissional que não somente é preparado...
Podcast Rádio Cancer Center #19 - Julho Verde e a reabilitação de um câncer de cabeça e pescoço
Conheça mais as possibilidades terapêuticas da fonoaudiologia e da estomatologia Neste Julho Verde, mês de conscientização para o combate aos tumores de cabeça e pescoço ( leia mais a seguir), é importante falar de reabilitação. É fundamental ressaltar as possibilidades...
Como eu me tornei uma oncologista
Para marcar este 9 de julho, Dia do Oncologista, saiba mais sobre a profissão com o depoimento da Dra. Maria Nirvana da Cruz Formiga, oncologista clínica do Departamento de Oncogenética do A.C.Camargo “A oncologia é uma área que me encantou...
Julho Verde: 9 mitos & verdades sobre o câncer de cabeça e pescoço
Julho Verde: os tumores de cabeça e pescoço representam o nono tipo de câncer mais comum no mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Incluindo todas as áreas da cavidade oral, como a língua e boca, e...