Covid-19: aprenda a higienizar os alimentos

 
Publicado em: 06/05/2020 - 09:05:20

Confira dicas práticas para a prevenção – inclusive em vídeos – e use a nutrição a seu favor em meio à pandemia 

A Covid-19 também gera dúvidas em relação à higienização dos alimentos.

Até o momento, não há evidências de contaminação dos mesmos por causa do novo Coronavírus.

“A higienização dos alimentos, porém, deve ser realizada sempre com o objetivo de reduzir o risco de contaminação no momento da manipulação do que se come”, afirma Thais Manfrinato Miola, Supervisora de Nutrição Clínica do A.C.Camargo Cancer Center.

É que, caso tenham sido manuseados por alguém diagnosticado com a Covid-19, o alimento ou sua embalagem podem ter a superfície contaminada pelo vírus.


Como evitar a contaminação

Deve-se higienizar as mãos antes de comer e tocar alimentos, além de manter pias, bancadas e utensílios sempre limpos e secos, bem como geladeira, fogão e afins.

Há ainda outras medidas para minimizar os riscos destacadas pela nutricionista Letícia Carniatto, também do A.C.Camargo. A elas:

- É necessário que, antes de armazenar os insumos nos armários ou nas despensas, as embalagens sejam higienizadas com água e sabão ou álcool líquido 70% ou solução clorada;
- Frutas, verduras e legumes devem ser retirados das embalagens originais, higienizados em água corrente e deixados de molho. Depois, podem ser armazenados dentro da geladeira em recipientes plásticos com tampa ou em sacos próprios para refrigeração;
- Caso você mantenha vegetais em fruteiras, a higienização deve ser feita apenas antes do consumo deles;
- Também é preciso observar sempre a validade dos alimentos, ter atenção à data daqueles que são abertos e colocados na geladeira – por exemplo, o leite e derivados;
- Ovos frescos devem ser mantidos sob refrigeração em recipientes com tampa.

Se preferir, veja um vídeo que resume como fazer a higienização dos alimentos:

 

Covid-19: dá para se prevenir via alimentação?

Uma dieta saudável é primordial para manter a saúde e o sistema imunológico em ótimas condições. Entretanto, não existe um alimento que isoladamente aumente a imunidade e blinde a pessoa durante a pandemia.

O importante, segundo Thais Miola, é manter uma alimentação saudável que contenha todos os grupos alimentares:
- Carboidratos, com preferência para os integrais;  
- Verduras e legumes;
- Frutas;
- Leite e derivados, com prioridade para os desnatados;
- Carnes – se possível, as magras – e ovos;
- Leguminosas e oleaginosas.
“É fundamental salientar que hábitos alimentares saudáveis não nos livram da responsabilidade de adotar as medidas preventivas recomendadas”, lembra Thais.


Vitaminas essenciais

Por fim, a nutricionista alerta para dois itens importantes – a suplementação deve ser realizada apenas sob orientação e prescrição do médico ou nutricionista.


Vitamina D

“Grande parte da população adulta, mesmo que saudável, apresenta níveis baixos de vitamina D devido à exposição limitada à luz solar, mas ela auxilia na manutenção da integridade óssea e na maturação de células, inclusive células imunes”, explica Thais.


Zinco

“Ele é um mineral obtido na dieta com oleaginosas, ostras, linhaça e feijão. Hoje, a prescrição da suplementação de zinco é feita somente por especialistas para determinadas condições específicas de saúde. Estudos que relacionam o zinco ao tratamento da Covid-19 estão em fase inicial, ‘in vitro’, ainda sem resultados definidos”, encerra a nutricionista Thais.

Confira mais no vídeo:


Mais sobre o novo Coronavírus:
- O Fluxo Oncológico Protegido do A.C.Camargo Cancer Center

- Confira tudo o que você precisa saber sobre a pandemia

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

A bebida alcoólica eleva o risco de um câncer de boca?
A bebida alcoólica pode ser, sim, um fator de risco para o desenvolvimento de um câncer. Essa associação ocorre não apenas para um tumor de cabeça e pescoço, como boca, faringe e laringe. O álcool também pode implicar problemas no esôfago, mama e intestino grosso...
Podcast Rádio Cancer Center #20 - O cirurgião oncológico
Conheça o papel deste especialista essencial A conversa de hoje é sobre o papel do cirurgião oncológico. Vamos falar da atuação desse especialista que é vital para o tratamento do câncer. Trata-se de um profissional que não somente é preparado para conduzir cirurgias de alta...
Podcast Rádio Cancer Center #19 - Julho Verde e a reabilitação de um câncer de cabeça e pescoço
Conheça mais as possibilidades terapêuticas da fonoaudiologia e da estomatologia Neste Julho Verde, mês de conscientização para o combate aos tumores de cabeça e pescoço (leia mais a seguir), é importante falar de reabilitação. É fundamental ressaltar as possibilidades de tratamento e até mesmo conhecer...
Como eu me tornei uma oncologista
Para marcar este 9 de julho, Dia do Oncologista, saiba mais sobre a profissão com o depoimento da Dra. Maria Nirvana da Cruz Formiga, oncologista clínica do Departamento de Oncogenética do A.C.Camargo “A oncologia é uma área que me encantou desde o 5° ano da...
Julho Verde: 9 mitos & verdades sobre o câncer de cabeça e pescoço
Julho Verde: os tumores de cabeça e pescoço representam o nono tipo de câncer mais comum no mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Incluindo todas as áreas da cavidade oral, como a língua e boca, e órgãos como laringe, faringe, seios...