Projeto de pesquisa sobre melanoma tratado com imunoterapia Pular para o conteúdo principal

Conheça este projeto inovador de pesquisa sobre melanoma e seu tratamento com imunoterapia

 
Publicado em:

Conheça este projeto inovador de pesquisa sobre melanoma e seu tratamento com imunoterapia

Seja protagonista: você pode fazer a diferença e ajudar a salvar vidas que tratam um câncer de pele – saiba como 

Publicado em:

Doutora examina pinta nas costas desnudas de uma mulher branca

Doutora examina pinta nas costas desnudas de uma mulher branca

Seja protagonista: você pode fazer a diferença e ajudar a salvar vidas que tratam um câncer de pele – saiba como 

Alguns pacientes com melanoma metastático ou localmente avançado que passam por cirurgia são tratados a seguir com imunoterapia pelo período de um ano. 

A imunoterapia é uma forma de tratamento que visa recuperar o controle do sistema imune do paciente contra o tumor. E, para diversas pessoas, essa terapia consegue prevenir o retorno do câncer.

Infelizmente, a imunoterapia não funciona para todos os pacientes e, também, pode gerar, em alguns casos, efeitos colaterais importantes – além de envolver um custo muito alto.

Assim, o desafio neste projeto de pesquisa é tentar identificar os pacientes que vão se beneficiar desse tratamento e apontar aqueles que têm maior risco de sofrer com efeitos colaterais. 

“Ao atingirmos esses objetivos, otimizaremos os recursos e pouparemos os pacientes que, infelizmente, não se beneficiariam da imunoterapia. Para tanto, estudaremos biomarcadores de resposta ou toxicidade ao tratamento em amostras de sangue, fezes ou do tumor de cada paciente, isso a partir de diversas técnicas inovadoras disponíveis em nossos laboratórios de pesquisa”, explica o Dr. Milton José de Barros e Silva, oncologista clínico do A.C.Camargo.

Este projeto de pesquisa foi batizado como Marcadores Imunológicos Sistêmicos Relacionados à Recidiva da Doença em Pacientes com Melanoma Submetidos ao Tratamento Adjuvante com Anti-PD-1.


Como funciona o projeto

Este delineamento experimental reúne pacientes com melanoma operados e com alto risco de recidiva (estadio III e IV), que receberam terapia adjuvante (preventiva) com um anticorpo anti-PD-1. 

Segundo o Dr. Kenneth Gollob, imunologista e head do Grupo de Pesquisa em Imuno-oncologia Translacional do A.C.Camargo, no momento anterior ao início do tratamento, serão coletadas amostras de sangue e tecido tumoral, que permitirão avaliar o perfil imune solúvel dos pacientes. 

Além disso, o Dr. Emmanuel Dias Neto, head do Grupo de Genômica Médica, investigará a microbiota (composição das bactérias) presente em amostras do tumor. 

“Os pacientes serão seguidos durante o tratamento e divididos em grupos de respondedores e não respondedores, segundo avaliação radiológica e clínica”, detalha o Dr. Kenneth Gollob.

“Nesta primeira fase de descoberta, esperamos encontrar biomarcadores e populações celulares-chave para o controle ou a progressão do tumor. Numa segunda fase, pretendemos purificar essas populações celulares por sorting e fazer experimentos de estimulação in vitro para avaliar a função real dessas células”, acrescenta o especialista. 

Desta forma, esses biomarcadores solúveis ou celulares no sangue, além dos perfis de microbiota, poderão ser usados para entender quais pacientes irão se beneficiar do tratamento e também aqueles com risco de enfrentar efeitos tóxicos colaterais.

Não está incluído ainda neste projeto, mas, futuramente, será avaliado o infiltrado imune do tumor por microscopia de fluorescência e o perfil genético por transcriptoma e exoma.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

A.C.Camargo recebe o Prêmio IBHE Hospitalidade Empresarial
Silvia Voullieme, gerente de experiência do paciente, também foi premiada na categoria Profissionais Mais Hospitaleiros de 2019 O A.C.Camargo Cancer Center recebeu o Prêmio IBHE Hospitalidade Empresarial, concedido pelo Instituto Brasileiro de Hospitalidade Empresarial (IBHE). Junto com a Instituição, outras...
Síndrome de Li-Fraumeni: estudo que envolveu o A.C.Camargo pode mudar o aconselhamento genético da doença de forma marcante
Pesquisa internacional analisou dois tipos de mutações que estão ligadas à predisposição ao câncer A Síndrome de Li-Fraumeni (SLF) é uma doença hereditária de predisposição ao câncer, relacionada a mutações no gene TP53. Uma das mutações neste gene, denominada R337H...
Sinais e sintomas de câncer que merecem cuidado e investigação
Fique atento(a), pois o diagnóstico precoce de um tumor pode fazer dobrar a chance de sobrevida – conte com o Atendimento Oncológico Protegido do A.C.Camargo Cancer Center A Covid-19 nos obrigou a permanecer em casa. Quando uma vida está em...
Mulher branca deitada em uma cadeira doando sangue.
Dia Mundial do Doador de Sangue: faça sua parte e salve vidas!
Doação de sangue, uma atitude mais que essencial, que ajuda a salvar vidas. Saiba mais neste vídeo: Doação de sangue: agendamento online Com o objetivo de oferecer mais segurança e agilidade em nosso Banco de Sangue, é possível fazer o...