Carne vermelha crua e temperada sobre uma mesa de madeira

Carnes e câncer: a vermelha é mais perigosa que a branca?

Publicado em: 20/04/2021 - 09:04:21
Prevenção
Pesquisa
Hábitos saudáveis
Tumores do Aparelho Digestivo Alto
Linha Fina

Entenda se algum dos tipos de proteína animal apresenta risco maior para o desenvolvimento de um tumor

Carnes e câncer: muita gente tem dúvidas em relação ao consumo dos diferentes tipos de proteína e o perigo de desenvolver um tumor.

Os estudos epidemiológicos feitos até agora não conseguem medir os riscos da carne vermelha e da carne branca separadamente quando elas são processadas. 

“No entanto, quando olhamos para o consumo de carne, independentemente do processamento ou do preparo da proteína, o risco aumentado de câncer está mais associado com o consumo de carne vermelha”, explica o Dr. Victor Hugo Fonseca de Jesus, vice-líder do Centro de Referência em Tumores do Aparelho Digestivo Alto do A.C.Camargo. 


Preparo, o cuidado essencial 

Alguns estudos correlacionam o radical heme, presente na carne vermelha – ele contém ferro e está associado à coloração da carne –, com um risco maior de câncer, pois o heme provoca a formação de mais radicais livres, que podem lesar o DNA. 

Por outro lado, é importante salientar que a carne branca, quando preparada de maneira semelhante à usual para a carne vermelha, com cura ou defumação, apresenta riscos aumentados para o câncer. 

É que, no processo de preparo da carne no churrasco, são gerados dois tipos de substâncias: as aminas policíclicas aromáticas (APA) e os hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPA). 

Estas substâncias, após serem metabolizadas no nosso organismo, geram compostos químicos que lesam o nosso DNA e que são mutagênicos.

“Assim sendo, não podemos negligenciar a importância do preparo das carnes no risco de desenvolver câncer. Ou seja, não adianta, simplesmente, mudar para a carne branca e manter os mesmos hábitos de preparo da proteína, como a defumação em um churrasco, pois isso será um equívoco”, analisa o Dr. Victor Hugo.


Solução: saiba como equilibrar a dieta

O mais importante é manter uma dieta balanceada

“De forma alguma estes dados devem ser interpretados como uma evidência de que não se deva comer carne vermelha ou carne processada. Aqui, a palavra-chave é moderação. De maneira geral, deve-se evitar o consumo de carne vermelha ou processada mais de duas a três vezes por semana”, avisa o Dr. Victor Hugo. 

Além disso, é importante privilegiar o consumo de frutas e vegetais. Adicionalmente, outros aspectos da dieta parecem tão relevantes quanto a carne. 

“A obesidade é um fator de risco tão ou mais importante do que o consumo de carne para o desenvolvimento de câncer. Desta forma, não podemos nos descuidar com os doces ou alimentos muito ricos em carboidratos, pois estes também podem conferir indiretamente um risco aumentado de câncer”, finaliza o especialista. 

Doutor Victor Hugo Fonseca de Jesus, branco, cabelos negros, óculos e jaleco
"
Independentemente do processamento ou do preparo da proteína, o risco aumentado de câncer está mais associado com o consumo de carne vermelha.
Doutor Victor Hugo Fonseca, vice-líder do CR em Tumores do Aparelho Digestivo Alto

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Betacaroteno preventivo: faça muffin integral de cenoura
Confira o vídeo, aprenda esta receita prática e se beneficie das propriedades antioxidantes de um jeito saboroso Betacaroteno é uma das propriedades antioxidantes que ajudam a prevenir doenças e a compor uma alimentação saudável. Ele é abundante na cenoura, alimento que é protagonista nesta receita...
Câncer de cabeça e pescoço: artigo científico traz recomendações para cirurgias oncológicas
Estudo internacional teve a contribuição do Dr. Luiz Paulo Kowalski, líder do Centro de Referência em Tumores de Cabeça e Pescoço Câncer de cabeça e pescoço e Covid-19. Em artigo divulgado pela revista científica The Lancet Oncology, especialistas representando mais de 30 sociedades médicas do...
Dr. Luiz Paulo Kowalski atinge a impressionante marca de 600 estudos publicados
O Prof. Dr. Luiz Paulo Kowalski, líder do Centro de Referência em Tumores de Cabeça e Pescoço do A.C.Camargo, atingiu a impressionante marca de 600 estudos publicados ao longo dos seus mais de 40 anos de carreira. Estas publicações, que serviram de referência para outros...
Presença de bactéria H.pylori, relacionada ao câncer de estômago, chega a 57% na América Latina e Caribe
Condições ruins de saneamento básico e a ingestão de alimentos crus ou mal condicionados são as principais causas de infecção pela bactéria, que pode ser evitada e tratada As taxas de incidência e de mortalidade do câncer gástrico são altas na América Latina e a...
Participamos de um estudo de tumores de timo (timoma) que envolveu 14 instituições de 11 países
O propósito do estudo foi demonstrar que uma classificação simplificada, aplicada a 1.470 casos cirúrgicos, se correlaciona com o prognóstico dos pacientes. Simplificar é a palavra-chave desse estudo. Entretanto, para simplificar, era preciso começar grande: foram revistos 1.470 casos cirúrgicos de timoma, de 14 respeitadas...