Arte gráfica com uma mulher apoiando as duas mãos na barriga. Sobreposto, tem um desenho do sistema reprodutor feminino.

Câncer de colo de útero: o que fazer para erradicar a doença

 
Publicado em: 27/01/2021 - 16:01:42
Linha Fina

 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) adverte que estratégias de prevenção do câncer de colo de útero estão relacionadas a redução de mortalidade das pacientes

 

 

O câncer de colo de útero é um tipo de tumor que afeta a parte inferior do órgão reprodutor feminino, e que pode não apresentar sintomas na fase inicial. Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o Brasil teve mais de 16 mil novos casos da doença. Ou seja, são 16 casos para cada 100 mil mulheres brasileiras.

A doença, muitas vezes silenciosa, causa 311 mil óbitos por ano no mundo, e é a quarta causa mais frequente de morte por câncer em mulheres.

Prevenção do câncer de colo de útero

Para prevenir o câncer de colo de útero, a OMS recomenda três estratégias de erradicação da doença. Confira:

  • Vacinação Anti-HPV em meninos e meninas

  • Exames preventivos adequados e eficazes (papanicolau, pesquisa do DNA HPV)

  • Tratamento precoce das lesões precursoras e invasivas do câncer.

A Dra. Andrea Paiva Gadelha, oncologista clínica do A.C.Camargo Cancer Center, reforça as recomendações da OMS e pontua a importância da prevenção contra o câncer de colo de útero.

"Essas três estratégias combinadas estão diretamente ligadas a redução da mortalidade e também possibilita, em um futuro próximo, erradicar a doença de vez no mundo", diz.

Vacinação HPV

O papilomavírus humano (HPV) é um vírus que pode ser transmitido por relações sexuais sem proteção e infectar peles ou mucosas. É responsável por 99,7% dos casos de câncer de colo de útero.

Por isso é importante vacinar meninas (9 a 14 anos) e meninos (11 a 14 anos) conta os tipos mais frequentes do vírus: 6, 11, 16 e 18.
"A vacinação salva vidas. São duas doses, com intervalo de seis meses, e é distribuída gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS)", explica a especialista.

Confira mais conteúdo sobre HPV e câncer de colo de útero neste link.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

A bebida alcoólica eleva o risco de um câncer de boca?
A bebida alcoólica pode ser, sim, um fator de risco para o desenvolvimento de um câncer. Essa associação ocorre não apenas para um tumor de cabeça e pescoço, como boca, faringe e laringe. O álcool também pode implicar problemas no esôfago, mama e intestino grosso...
Pesquisa aponta aumento da incidência de câncer de orofaringe associado a infecção por vírus HPV
Neste Julho Verde, mês de conscientização sobre o combate aos tumores de cabeça e pescoço, conheça este estudo feito na cidade de São Paulo, que analisou mais de 15 mil casos de câncer de boca e orofaringe O papilomavírus humano (HPV) é um vírus que...
Podcast Rádio Cancer Center #18 - Julho Verde: sinais e sintomas do câncer de tireoide
Julho Verde: você já ouviu falar dessa campanha? Ela é a bandeira do mês de conscientização mundial sobre o combate aos tumores de cabeça e pescoço. O câncer de tireoide é um dos mais comuns: as projeções do Instituto Nacional de Câncer (INCA) apontam que...
Podcast Rádio Cancer Center #17 - Câncer de pele: atenção aos sinais e sintomas
Uma conversa para aprender a reconhecer os alertas que pedem uma consulta médica Câncer de pele: o Instituto Nacional de Câncer (Inca) classifica o tumor cutâneo não melanoma como o mais frequente no Brasil, correspondendo a cerca de 30% de todos os cânceres malignos registrados...
Podcast Rádio Cancer Center #16 - Os sinais e sintomas do câncer de mama
Câncer de mama: o Instituto Nacional de Câncer (Inca) estima 66.280 novos casos para cada ano do triênio 2020-2022. Assim, é vital que as pessoas se atentem a sinais e sintomas e, ao notá-los, procurem ajuda médica. Com a palavra, o Doutor Renato Cagnacci Neto...