Atuação integrada beneficia o diagnóstico e o tratamento de pacientes acometidos por câncer de cabeça e pescoço

Publicado em: 28/02/2013 - 21:02:00
Diagnóstico
Tratamento
Suporte e Reabilitação
Tumores de Cabeça e Pescoço

O Núcleo de Cabeça e Pescoço do A.C.Camargo Cancer Center realiza, por mês, cerca de três mil atendimentos ambulatoriais e duas mil cirurgias por ano. Nesse universo, estão pacientes acometidos por um grupo heterogêneo de tumores que podem se desenvolver em regiões da boca, faringe, laringe, cavidade nasal e seios paranasais, glândulas salivares e tireoide. Estimativas do Instituto Nacional de Câncer (Inca) apontam mais de 28 mil novos casos no Brasil de câncer de boca, de laringe ou de tireoide em 2016, os três tipos de tumores malignos mais comuns nessa região. No mundo, se considerar todos os tipos de câncer da região, são registrados cerca de 700 mil novos casos anualmente.

Segundo o Diretor do Núcleo de Cabeça e Pescoço, Dr. Luiz Paulo Kowalski, além de contar com uma equipe capacitada, principalmente em procedimentos de alta complexidade, como as cirurgia endoscópicas ou convencionais da base de crânio (foram cerca de 400 casos no últimos dez anos), os pacientes são beneficiados por contarem com a estrutura de um Cancer Center. "Fomos a primeira instituição oncológica brasileira a adotar a denominação Cancer Center, em 2013, expressando o posicionamento histórico de um centro que concentra em um só lugar, de forma integrada, todas as modalidades de diagnóstico, tratamento e reabilitação em oncologia, além de pesquisa, ensino e iniciativas de prevenção da doença.
 

Time multidisciplinar

Os pacientes contam com um time composto por dez cirurgiões de cabeça e pescoço, cinco otorrinolaringologistas, quatro cirurgiões plásticos (dois especializados em microcirurgia reconstrutiva e dois em cirurgia crânio-maxilo-facial). "Muitas vezes lidamos com tumores raros de difícil diagnóstico e, portanto, é fundamental a atuação integrada e multidisciplinar", afirma Dr. Kowalski, destacando a importância da parceria com a Anatomia Patológica e a Imagem no diagnóstico e estadiamento da doença, bem como das equipes de Fonoaudiologia, Fisioterapia, Nutrição, Psicologia, Odontologista, participantes, principalmente, na reabilitação do paciente pós-tratamento.

Essa atuação integrada e multidisciplinar, aliada à expertise da equipe de especialistas, reflete diretamente em melhores resultados terapêuticos para o paciente. Dr. Kowalski lembra que a qualidade da cirurgia oncológica de cabeça e pescoço realizada no A.C.Camargo foi, recentemente, objeto de um estudo que comparou os resultados obtidos na instituição brasileira com os do MD Anderson Cancer Center, instituição reconhecida como referência nesse segmento nos Estados Unidos.

Para isso, foram analisados os resultados de cirurgias realizadas em 360 pacientes no A.C.Camargo, das quais 332 de pequeno porte e 28 de grande porte, no período de 2012 e 2013. Para avaliar esses resultados, foi utilizada uma metodologia já consolidada no MD Anderson. Os indicadores da pesquisa revelaram que, na área de Cabeça e Pescoço, o A.C.Camargo apresenta resultados semelhantes à instituição norte-americana.
 

Atualização constante

Ensino e Pesquisa também constituem atividades importantes do departamento. A residência médica em cirurgia geral de cabeça e pescoço recebe três alunos brasileiros e dois fellows estrangeiros por ano. O Núcleo desenvolve cursos de pós-graduação em oncologia de cabeça e pescoço. Nos últimos 20 anos, a equipe de Cabeça e Pescoço publicou mais de 500 artigos em revista científicas nacionais e internacionais. "Atualmente, publicamos entre 20 e 25 papers em revistas internacionais por ano. Produzir conhecimento é importante porque mantém a equipe atualizada e isso sempre reverte em benefícios para nossos pacientes", afirma Dr. Kowalski.

Dr. Luiz Paulo Kowalski - CRM 36404
Diretor do Núcleo de Cabeça e Pescoço
Especialista em Cirurgia de Cabeça e Pescoço - RQE nº 56910

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Fevereiro Laranja: entenda mais sobre as leucemias neste vídeo
Assista e conheça as diferenças entre os tipos linfoide e mieloide Fevereiro Laranja é o mês da conscientização sobre as leucemias. Leucemia é o câncer que tem origem na medula óssea, onde são produzidas as células do sangue. Muita gente diz que a leucemia é...
Afinal o que causa e como lidar com os efeitos tardios do tratamento do câncer?
Estudo apresentado no AACR Meeting 2017, em Washington, mostra como sobreviventes de longo tempo do tratamento de câncer podem ter sua qualidade de vida melhorada. Nos últimos cinco anos, o tratamento de 27 diferentes sítios tumorais elevou o número de sobreviventes de câncer no planeta...
Cientistas focam em evitar desnecessárias cirurgias de tireoide
Com espectrometria de massas e alterações genéticas, pesquisas visam elucidar maior conhecimento da biologia do tumor Quase seis vezes mais comum nas mulheres, o câncer de tireoide, segundo estimativas do Instituto Nacional de Câncer (INCA), deverá acometer mais de 8 mil brasileiras em 2019, sendo...
Sinais e sintomas de câncer que merecem cuidado e investigação
Fique atento(a), pois o diagnóstico precoce de um tumor pode fazer dobrar a chance de sobrevida – conte com o Atendimento Oncológico Protegido do A.C.Camargo Cancer Center A Covid-19 nos obrigou a permanecer em casa. Quando uma vida está em jogo, porém, é preciso prestar...
A relação do sistema imunológico, o câncer e a imunoterapia
O corpo humano está diariamente exposto a diversos agentes, como bactérias e vírus, e precisa de uma barreira defensiva para se proteger. Essa é a função do sistema imunológico, que detecta células estranhas ao organismo para poder eliminá-las, tornando-se um importante mecanismo de proteção ao...