Alimentação e acompanhamento nutricional fazem parte do tratamento do câncer

Publicado em: 01/03/2019 - 18:03:12

Saiba mais sobre os alimentos recomendados e aqueles que devem ser evitados 

Uma alimentação inadequada é considerada a segunda maior causa de câncer. Felizmente, ela pode ser prevenida, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA). Além disso, os alimentos também podem interferir na qualidade de vida de quem já tem a doença. Uma alimentação saudável fornece todos os nutrientes necessários para as funções do organismo, que são importantes para a resposta ao tratamento.  Sendo assim, a alimentação e o acompanhamento nutricional são considerados parte do tratamento oncológico.  

“O paciente que não se alimenta de forma saudável e começa a perder peso, reduz sua tolerância às terapias e sua qualidade de vida e aumenta o risco de toxicidade dos efeitos e de complicações”, explica a nutricionista e supervisora de Nutrição Clínica do A.C.Camargo Cancer Center, Thaís Manfrinato. Além de auxiliar na saúde do paciente, uma boa escolha alimentar pode prevenir o retorno da doença. Por isso, é importante ficar atento a algumas recomendações.  

Alimentação saudável e equilibrada é o ideal 

Ao contrário do que se pode pensar à primeira vista, não há necessidade de se adotar uma dieta específica ou restrita durante o tratamento oncológico. “Tanto para quem está em tratamento quanto para quem não está, a base da alimentação deve ser a mesma, ou seja, a mais saudável possível. A restrição deve acontecer apenas em pacientes que apresentem outra doença crônica, como diabetes ou hipertensão, mas não por conta do tratamento oncológico e sim, da doença associada”, explica a nutricionista.

Confira mais dicas sobre como montar um prato saudável 

Alimentos recomendados x alimentos que devem ser evitados ou não consumidos

O consumo de frutas, verduras, legumes, cereais integrais e carnes brancas é o adequado para uma alimentação ser considerada saudável. “Deve-se também lembrar que a higienização correta dos alimentos é fundamental para garantir a segurança alimentar, evitando a contaminação pelos alimentos”, destaca a nutricionista. 

Por outro lado, os alimentos que devem ser evitados são os ultraprocessados, como congelados, biscoitos, salgadinhos, bolachas e barra de cereal, além daqueles gordurosos, ricos em sódio e açúcares. A nutricionista também chama atenção para alguns alimentos que podem ser consumidos, mas em quantidades moderadas. “O ideal é limitar o consumo de carne vermelha para até 500 gramas por semana e reduzir ao máximo o consumo de carne processada, como linguiça, salsicha, mortadela, peito de peru, presunto e salame”, explica. 

Cuidados no pós-cirúrgico e durante radioterapia

Alguns cuidados e orientações são necessários e irão depender dos efeitos colaterais, tipo de câncer e terapia utilizada. No pós-cirúrgico, a dieta poderá ser adaptada. “Dependendo da cirurgia, como as do trato gastrintestinal, normalmente inicia-se uma dieta líquida, evoluindo para pastosa e posteriormente branda. Os alimentos vão sendo reintroduzidos gradativamente conforme a tolerância do paciente”, explica a especialista. 

Já para os pacientes que estão em tratamento de radioterapia na região do intestino, colo do útero e bexiga é comumente utilizada uma dieta isenta de alimentos que formam gases e soltam as fezes para minimizar os sintomas da diarreia, que já é provocada pelo próprio tratamento. 

Atenção aos efeitos colaterais

Durante o tratamento, o paciente poderá apresentar efeitos colaterais como enjoos, diarreia, constipação e feridas na boca (mucosite). Nestes casos, a alimentação também deverá ser alterada para minimizar essas reações. Para isso, é de suma importância que o paciente seja acompanhado por um nutricionista, profissional capacitado para orientá-lo e ajudá-lo a ter uma melhor resposta ao tratamento e qualidade de vida. 
 

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

A mamografia e o tumor de intervalo: entenda a relação
Em 5 de fevereiro, comemoramos o Dia Nacional da Mamografia. Esta data precisa mesmo ser comemorada, pois a mamografia é o exame capaz de diagnosticar o câncer de mama em seus estágios iniciais e salvar vidas de mulheres. O câncer de mama está em primeiro...
O papel do enfermeiro navegador e seu impacto na jornada oncológica
Durante a jornada oncológica, pacientes do A.C.Camargo Cancer Center podem contar com a expertise dos enfermeiros navegadores. São profissionais altamente especializados em oncologia que atuam como um elo entre o paciente e todas as equipes (assistenciais e administrativas), desenvolvendo um trabalho fundamental para melhorar os...
"O homem não pode se descuidar de jeito nenhum!"
Sou Carlos Levy, tenho 75 anos, funcionário público aposentado e pai de cinco filhos. Também sou avô dos meus quatro queridos netos e casado com o amor da minha vida, Amália. Desde meus 50 anos tenho um compromisso comigo mesmo: fazer meus exames periódicos. Sigo...
15 de setembro - Dia mundial de conscientização sobre linfomas
Como se prevenir deles? Indo ao médico assim que perceber os sintomas. Então apareceu um gânglio diferente no pescoço, ou na axila, ou na virilha, que não dói, mas você sente extremo cansaço, febre, está suando à noite e também perdendo peso sem razão aparente...
15/09 - Dia Mundial de Conscientização sobre Linfomas
A conversa de hoje é sobre linfomas. Entre os 10 tipos de câncer mais frequentes na população brasileira está o linfoma, que é caracterizado pelo aumento de um gânglio linfático, causando um "inchaço" no local. Existe até um Dia Mundial de Conscientização sobre Linfomas, que...