Uma revisão da literatura científica sobre genética que ajuda a identificar os melhores candidatos e os diversos tratamentos no câncer de cabeça e pescoço

Publicado em: 16/07/2017 - 21:07:00
Pesquisa
Prevenção
Genética

Os cientistas analisaram artigos de 2008 a 2016 sobre microRNAs – sequências que regulam a expressão de vários genes – para entender como essas sequências podem ajudar no prognóstico.

O grupo de tumores do carcinoma de células escamosas é heterogêneo: laringe, faringe, cavidade oral, cavidade nasal. É conhecido como câncer de cabeça e pescoço, que no ranking mundial da doença é o 6º mais comum e o 7º em mortalidade. A dificuldade no seu tratamento começa pela demora no diagnóstico – muitas vezes esses tumores também apresentam metástases distantes. Para identificar potenciais marcadores genéticos que possam estar associados ao prognóstico do câncer de cabeça e pescoço, um grupo de especialistas aqui do A.C.Camargo e de instituições internacionais mergulhou na análise de trabalhos publicados de 2008 a 2016 sobre o papel dos microRNAS nesses tumores. Essas moléculas contêm sequências que regulam a expressão de vários dos nossos genes. Podem ser identificados em amostras de tecido tumoral, plasma ou saliva.

"A revisão dessa literatura é para nos ajudar a identificar os microRNAs que são melhores marcadores para apontar quais pacientes têm maior risco de apresentar recorrência da doença ou maior sensibilidade aos diferentes tipos de tratamento, o que vai funcionar ou não para cada pessoa, como age determinado tipo de quimioterápico ou novas drogas-alvo", explica Dr. Luiz Paulo Kowalski, Diretor do Departamento de Cabeça e Pescoço.

A profunda investigação resultou no artigo "Meta-analysis of microRNAs expression in head and neck cancer: uncovering association with outcome and mechanisms" (Meta-análise da expressão de microRNAs em tumores de cabeça e pescoço apontando os resultados e mecanismos dessa associação), publicado no periódico Oncotarget.

O artigo é o resultado da avaliação de 116 estudos que analisaram a relação entre a expressão dos microRNAs e o prognóstico do câncer de cabeça e pescoço. É parte do trabalho de pós-doutorado de Sabrina Daniela da Silva e de estudo para novas drogas-alvo conduzido pela McGill University. A conclusão é a de que os microRNAs têm grande potencial de correlação com a relevância  clínica. "Eles podem funcionar como marcadores de resposta de eventos-chave na progressão da doença, se algo muda durante o tratamento. Podem servir para diagnósticos, prognósticos, para a medicina personalizada."

Para conferir a pesquisa completa, clique aqui. 

Dr. Luiz Paulo Kowalski - CRM 36404
Diretor do Departamento de Cabeça e Pescoço
Especialista em Cirurgia de Cabeça e Pescoço - RQE nº 56910

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Coronavírus: saiba como preservar o cateter
Dispositivo para infusão de quimioterápicos, ele é muito utilizado por grande parte dos pacientes oncológicos Neste cenário de pandemia do novo Coronavírus, é comum que o paciente oncológico, que já precisa de um cuidado diferenciado com a saúde, tenha dúvidas específicas. Coisas como a forma...
Pesquisadores do A.C.Camargo afirmam que fumar reduz as "bactérias do bem" da boca
É sabido que o consumo regular de álcool e tabaco pode levar a uma ampla gama de problemas de saúde, como câncer e cirrose. O que não se sabia é que essas drogas são responsáveis por vitimar também centenas de espécies de bactérias da boca...
Cuidados com a pele durante a radioterapia
A radioterapia é um importante método de combate ao câncer que utiliza a radiação para destruir as células tumorais. Apesar da sua eficácia, alguns efeitos colaterais podem surgir e são até mesmo esperados. Em linhas gerais, os efeitos mais comuns são cansaço e alterações na...
Podcast Rádio Cancer Center #23 - Nutrição e oncologia
Ouça e conheça as informações para as principais dúvidas sobre alimentação Nas nossas mídias sociais, muitas pessoas mandaram dúvidas sobre nutrição no dia a dia e também relacionada à oncologia. Neste episódio, Ana Carolina Cantelli, nutricionista oncológica, e José Luiz Gasparini Júnior, enfermeiro da Educação...
Churrasco e câncer: há relação?
Churrasco e câncer, uma relação que gera muitas dúvidas nas cabeças dos brasileiros. Afinal, aquela carninha que você (que não é vegetariano ou vegano) come com os amigos e a família poderia estar sabotando a sua saúde? Certo é que o consumo de carne vermelha...