Touca de resfriamento, disponível no A.C.Camargo Cancer Center, reduz queda de cabelo em pacientes que recebem quimioterapia

Publicado em: 13/11/2019 - 21:11:00

Um dos efeitos colaterais mais comuns entre os pacientes que são tratados com quimioterapia é a perda parcial ou total de cabelo. Tecnologia implantada no A.C.Camargo Cancer Center tenta minimizar esse efeito evitando que a droga chegue até a raiz do cabelo

Um dos efeitos colaterais mais comuns e temidos pelos pacientes que recebem a indicação de quimioterapia é a perda parcial ou total de cabelo. A maioria das drogas utilizadas, ao passar pela corrente sanguínea danifica as células capilares, provocando a queda. Isso acontece porque a quimioterapia tem como alvo todas as células de divisão rápida no organismo e a divisão celular acontece de forma muito rápida nos fios. Os cabelos costumam cair em duas semanas após o início do tratamento com quimioterapia.

Uma tecnologia recente, introduzida no A.C.Camargo Cancer Center, está se mostrando eficaz em reduzir essa queda de cabelo. A técnica consiste em uma touca acoplada a uma serpentina que sai de uma caixa de resfriamento. O líquido de refrigeração circula na serpentina a uma temperatura de 4 ºC para que o couro cabeludo se mantenha em torno de 11ºC. Essa baixa temperatura é capaz de diminuir o diâmetro dos vasos sanguíneos, dificultando assim que a droga utilizada na quimioterapia penetre e danifique a raiz do cabelo.

Em âmbito geral, a touca é indicada para todos os pacientes que recebem quimioterápicos que têm a queda de cabelo como um efeito colateral associado. No entanto, os benefícios são mais evidentes para os pacientes que são tratados com duas classes específicas de drogas, os taxanos e as antraciclinas.

A touca é indicada também para homens, mas a procura é maior por parte das mulheres, sendo que os casos de câncer de mama representam 75% da procura das pacientes por essa tecnologia. A eficácia do controle da queda varia entre uma paciente e outra. “Em média, 50% dos fios são preservados”, observa Solange Sanches, oncologista clínica do A.C.Camargo.

De acordo com a especialista, alguns pacientes podem sentir dor no início e desconforto com a sensação de frio intenso no couro cabeludo, mas a maioria se adapta. “Depende de qual é o padrão de tolerância pessoal que o paciente tenha ao frio. É importante que estejam agasalhados e com cobertores. Em alguns casos, podem apresentar sintomas como dor de cabeça e sensação de dor no seio da face”, acrescenta a oncologista clínica.

Autoestima e privacidade

Além de focar no sucesso do tratamento, a paciente deseja desfrutar de uma boa qualidade de vida. Dentre os fatores que tornam esse desejo uma realidade, a autoestima positiva é um dos protagonistas. Se sentir mais bonita e até mais forte para seguir com os cuidados necessários são pontos que contribuem para a melhor evolução de todo o tratamento oncológico. “Embora muitas mulheres se adaptem a lenços, perucas, chapéus, ou mesmo a sair careca, outras sentem que estar careca é sinônimo de ficar estigmatizada. Para essas pacientes, ficar com os cabelos é algo muito mais importante do que a estética. Permite fazer a quimioterapia com discrição, sem precisar se expor a respeito da doença”, comenta Solange Sanches.

Como funciona

  • A touca é colocada 30 minutos antes da sessão de quimioterapia. O paciente permanece com ela durante toda a sessão e ainda por mais 90 minutos. Depois disso, fica ainda 10 minutos.

  • Deve ser usada em todas as sessões de quimioterapia.

  • A touca é bem leve e protegida por uma capa de neoprene. O paciente pode ler, se ocupar de atividades e até ir ao banheiro sem afetar o seu tratamento.

Conheça as redes sociais do A.C.Camargo:

Facebook: http://www.facebook.com/accamargocancercenter
Twitter: http://www.twitter.com/haccamargo
YouTube: http://www.youtube.com/accamargovideos
LinkedIn: http://www.linkedin.com/company/accamargo
Instagram: https://instagram.com/accamargocancercenter/

Clique aqui para acessar o formulário de atendimento 

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

A.C.Camargo Cancer Center Consolida Centro de Excelência em Assistência e Pesquisa em Imunoterapia
Com mais de 70 profissionais entre o corpo clínico, cientistas e da assistência de diversas áreas, o Centro de Imunoterapia oferece atendimento personalizado aos pacientes, ampliando as possibilidades terapêuticas e seus benefícios. Com experiência de sete anos na utilização da imunoterapia e cerca de 400...
A.C.Camargo Cancer Center tem novo olhar para o tratamento de adolescentes e adultos jovens
Uma nova área surge na Oncologia e permite a instituições que tratam o câncer infantil e adulto discutir abordagens terapêuticas em pacientes de 12 a 30 anos. A.C.Camargo leva os casos para as discussões de tumor board com o envolvimento de oncologistas pediatras e equipe...
A.C.Camargo Cancer Center alerta para baixa adesão ao exame de sangue oculto nas fezes
Câncer letal de maior incidência no país depois de próstata e mama, tumor colorretal pode ser curado em 90% dos casos quando diagnosticados precocemente. Por negligência, três em quatro dos casos são detectados tardiamenteEstudo do A.C.Camargo Cancer Center que acompanhou 1.200 homens e mulheres residentes...
Estudo do A.C.Camargo Cancer Center aponta evolução na sobrevida de pacientes com metástase cerebral
A implementação e difusão de uma técnica de radioterapia cranial focal precisa que possibilita administração de uma alta dose de radiação restrita à lesão em fração única (radiocirurgia) ou poucas frações (radioterapia estereotática fracionada), assim como o aumento das opções de tratamento sistêmico (novas classes...
A.C.Camargo Cancer Center reforça a importância da prevenção e do acesso à informação para o combate ao câncer
Um relatório da Sociedade Americana de Câncer confirmou no início de janeiro que continuam em queda as mortes por câncer nos Estados Unidos: 26% quando comparados os números de 1991 (215 para cada 100 mil pessoas) e 2015 (158 por 100 mil), resultado das ações...