Oncologistas alertam para incidência 3 vezes maior nesta década dos casos de câncer de boca e garganta ligados ao HPV

Publicado em: 08/04/2015 - 21:04:00
Prevenção
Pesquisa
Epidemiologia
Tumores de Cabeça e Pescoço

GRÁTIS - Encontro com Especialistas – 14 de abril de 2015 – Como Proteger do Câncer sua Boca e Garganta

Estudo publicado pelo A.C.Camargo Cancer Center na revista científica International Journal of Cancer aponta que 32% dos tumores de boca em jovens têm associação com o papilomavírus (HPV). Além disso, estudo em andamento mostra que, em amígdala, até 80% dos casos estão associados ao vírus. Há dez anos, essa associação existia em apenas 25% dos casos, representando um crescimento superior a 300%. Um dos participantes desses estudos, o cirurgião oncológico e diretor do Núcleo de Cabeça e Pescoço da instituição, Luiz Paulo Kowalski, alerta de que historicamente os cânceres de boca e garganta afetavam homens mais velhos, tabagistas/e ou alcoólatras, mas esse perfil foi invertido. "Hoje esses tumores também atingem os mais jovens (entre 30 e 45 anos), que não fumam nem bebem em excesso. Entre eles, alguns praticam sexo oral desprotegido. Somado a isso, está o fato de que a incidência esteja aumentando porque a tecnologia que permite o diagnóstico melhorou com o desenvolvimento de mais exames de biologia molecular capazes de detectar o HPV, o que antes não acontecia", destaca Kowalski.

Com base nesses números, na próxima terça, 14, às 17h30, Kowalski e os demais titulares do Departamento de Cabeça e Pescoço do A.C.Camargo responderão às dúvidas do público sobre questões relacionadas a prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação de câncer dessa região. Com linguagem voltada ao público leigo, o evento será aberto com a palestra Como Proteger do Câncer sua Boca e Garganta. As inscrições, gratuitas, podem ser feitas pelo e-mail [email protected].

De acordo com Kowalski, que coordenará os trabalhos, o objetivo é chamar a atenção da população para a importância da prática de sexo seguro para prevenção do vírus HPV. Por sua vez, ressaltar também que ter sido contaminado com o vírus está longe de ser uma certeza de que o câncer se desenvolverá. "Queremos deixar claro que o HPV é um vírus muito presente na pele ou em mucosas e afeta homens e mulheres. Muitas pessoas já se infectaram, mas não tiveram verrugas nem câncer. Há mais de cem subtipos de HPV, sendo que apenas 30 a 40 deles podem causar doenças como verrugas genitais e tumores no pênis, ânus, vulva, boca, garganta e, o mais comum, no colo do útero", explica Kowalski.

O especialista acrescenta que os tumores de garganta relacionados ao HPV têm um melhor prognóstico em relação àqueles provocados pelo fumo. Eles respondem melhor à quimioterapia e à radioterapia e, muitas vezes, não há necessidade de cirurgia. "Com base nisso, vamos também reforçar que o cigarro segue sendo um fator de risco importante e, quando associado ao consumo de álcool o risco se potencializa e ambos causam tumores que costumam responder pior ao tratamento", esclarece.

HPV x Câncer – Se hoje é sabido que o HPV é um fator de risco importante para tumores de boca e garganta, esta relação é ainda mais consolidada quando falamos em câncer de colo do útero. Isso porque 99% dos casos de câncer de colo uterino estão relacionados com esse vírus. No entanto, o fato de ter sido contaminada com o vírus não significa necessariamente que a mulher desenvolverá o tumor. De acordo com o cirurgião oncologista e diretor do Núcleo de Ginecologia Oncológica do A.C.Camargo, Glauco Baiocchi Neto, ao longo da vida adulta, a maioria das mulheres terá contato com o vírus. "Felizmente, 90% delas apresentarão imunidade natural e 10% apenas terão chances de desenvolver lesões pré-malignas que poderiam se tornar câncer", destaca o especialista. 

vacina anti-HPV, cujas pesquisas tiveram início no A.C.Camargo – então sede do Instituto Ludwig –, é disponibilizada no Brasil para meninas de 9 a 13 anos na rede pública, protegendo contra os 2 subtipos do vírus mais associados com câncer e outras doenças nos genitais. "Há 40 tipos de HPV que infectam a região genital, sendo que catorze estão relacionados com o câncer. Porém, os do tipo 16 e 18 são responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer do colo de útero. Existem também os tipos 6 e 11, que provocam verrugas genitais. A vacina, portanto, não protege 100%, mas previne a maioria dos casos por abranger estes quatro tipos", destaca Glauco Baiocchi. O HPV também é fator de risco para câncer de pênis e ânus.

SERVIÇO
Encontro com Especialistas do A.C.Camargo Cancer Center
Tema: Como Proteger do Câncer sua Boca e Garganta
Data: terça-feira, 14 de abril de 2015
Local: A.C.Camargo - Auditório Sen. José Ermírio de Moraes
Endereço: Rua Professor Antônio Prudente, 211, Liberdade, São Paulo

HORÁRIOS:
17h30: Recepção
18h00: Palestra 
18h30: Abertura para perguntas
Inscrições gratuitas: [email protected]

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

HPV: tudo o que você queria saber da doença, mas tinha vergonha de perguntar
O HPV ou papilomavírus humano é um vírus que pode ser transmitido por relações sexuais sem proteção e infectar pele ou mucosas, como boca, vulva, vagina, colo do útero e pênis. É considerado uma infecção sexualmente transmissível (IST) e é a causa de mais de...
Menopausa: um sangramento poderia ser sinal de câncer?
Na menopausa, qualquer tipo de sangramento, por menor que seja, pode ser considerado anormal. Assim, é prudente que a mulher, ao observar uma ocorrência de sangramento durante a menopausa, consulte um médico com urgência. É que existe a possiblidade de haver um câncer de endométrio...
Tumor de tireoide pode ter origem na metástase de outros órgãos
Análise evidencia a importância do conhecimento dos aspectos morfológicos dos pacientes para identificar a origem da doença, cujo dia é lembrado em 25 de maio O Dia Internacional da Tireoide, em 25 de maio, é mais uma ocasião para lembrar que o câncer nessa glândula...
Podcast Rádio Cancer Center #38 - O Cuidado com o Câncer de Cólon e Reto em Tempos de Covid-19
O câncer de cólon e reto é muito comum no Brasil. Sem contar os tumores de pele não melanoma, ele é o segundo mais comum entre os homens, com previsão de 20.540 novos casos para 2020, de acordo com o INCA, e também é o...
Biobanco, a ciência que faz diferença
Assista ao vídeo e entenda melhor como ele contribui para o combate ao câncer Um Biobanco é mantido no A.C.Camargo Cancer Center desde 1997, afinal, a pesquisa em oncologia depende da identificação das características e dos perfis dos tumores, informações essas obtidas por meio da...