Mitos & verdades sobre câncer colorretal Pular para o conteúdo principal

Mitos & verdades sobre câncer colorretal

 
Publicado em:

Mitos & verdades sobre câncer colorretal

Publicado em:

Tire suas dúvidas sobre quais hábitos são mais arriscados

O tumor de cólon e reto, mais conhecido como câncer colorretal, é o segundo mais frequente entre as mulheres e entre os homens no Brasil, descontando-se o câncer de pele não-melanoma. 

De acordo com as estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA), para este ano de 2020 são esperados 40.990 novos casos, dos quais 20.470 em mulheres e 20.520 em homens..

Por ser um dos cânceres mais comuns, o A.C.Camargo esclarece alguns mitos ou verdades sobre a doença. Confira:

A colonoscopia é um exame arriscado e doloroso?

Mito. O paciente é sedado para não sentir desconfortos durante o exame endoscópico do intestino grosso. O procedimento é seguro, dura de 15 a 30 minutos e é realizado por um profissional especializado. Não é aconselhável dirigir, trabalhar ou realizar alguma atividade que exija atenção após o exame e a presença de um acompanhante é indispensável.

O temor sobre a colonoscopia ocorre por ser considerado invasivo e exigir um preparo desagradável: além do jejum líquido, é preciso realizar uma limpeza do intestino com a ingestão de laxantes horas antes do exame. Porém, trata-se do procedimento mais apropriado para a prevenção e diagnóstico precoce do câncer colorretal.
 

Mesmo sem apresentar sintomas, preciso realizar exames de diagnóstico?

Verdade. O câncer colorretal costuma ser uma doença silenciosa e assintomática no estágio inicial. Sinais como alterações nas fezes, sangramentos ou dores abdominais podem surgir quando a doença já está em um estágio mais avançado. Por isso, recomenda-se o exame da colonoscopia a partir dos 50 anos, ou a partir dos 40 em caso de histórico de câncer na família.
 

Alimentação é o único fator de risco para o desenvolvimento de câncer colorretal?

Mito. Realmente há alimentos que podem aumentar o risco de desenvolvimento do câncer e outros que ajudam a prevenir. No entanto, essa não é a única causa da incidência do câncer de intestino e do reto: há um conjunto de fatores, como sedentarismo, obesidade, tabagismo e excesso de bebidas alcoólicas, que pode contribuir para o surgimento de um tumor maligno.

Portanto, os principais fatores de prevenção do câncer colorretal são, além de evitar o consumo de embutidos e o excesso de carne vermelha, é uma alimentação equilibrada com frutas, verduras, legumes e cereais, praticar exercícios físicos e não fumar.

Dr. Samuel Aguiar Jr. - CRM 84495
Diretor do Núcleo de Tumores Colorretais
Especialista em Cancerologia Cirúrgica - RQE nº 43422

Doutor Samuel Aguiar e o câncer colorretal

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

A bebida alcoólica eleva o risco de um câncer de boca?
A bebida alcoólica pode ser, sim, um fator de risco para o desenvolvimento de um câncer. Essa associação ocorre não apenas para um tumor de cabeça e pescoço, como boca, faringe e laringe. O álcool também pode implicar problemas no...
Podcast Rádio Cancer Center #20 - O cirurgião oncológico
Conheça o papel deste especialista essencial A conversa de hoje é sobre o papel do cirurgião oncológico. Vamos falar da atuação desse especialista que é vital para o tratamento do câncer. Trata-se de um profissional que não somente é preparado...
Podcast Rádio Cancer Center #19 - Julho Verde e a reabilitação de um câncer de cabeça e pescoço
Conheça mais as possibilidades terapêuticas da fonoaudiologia e da estomatologia Neste Julho Verde, mês de conscientização para o combate aos tumores de cabeça e pescoço ( leia mais a seguir), é importante falar de reabilitação. É fundamental ressaltar as possibilidades...
Como eu me tornei uma oncologista
Para marcar este 9 de julho, Dia do Oncologista, saiba mais sobre a profissão com o depoimento da Dra. Maria Nirvana da Cruz Formiga, oncologista clínica do Departamento de Oncogenética do A.C.Camargo “A oncologia é uma área que me encantou...
Julho Verde: 9 mitos & verdades sobre o câncer de cabeça e pescoço
Julho Verde: os tumores de cabeça e pescoço representam o nono tipo de câncer mais comum no mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Incluindo todas as áreas da cavidade oral, como a língua e boca, e...