Apoio do farmacêutico aos pacientes em radioterapia minimiza efeitos colaterais | A.C.Camargo Cancer Center Pular para o conteúdo principal

Apoio do farmacêutico aos pacientes em radioterapia minimiza efeitos colaterais

 
Publicado em:

Apoio do farmacêutico aos pacientes em radioterapia minimiza efeitos colaterais

Publicado em:

Além do médico radioterapeuta, oncologista clínico, físico médico, estomatologista, nutricionista e da enfermagem, a equipe multidisciplinar na radioterapia tem farmacêuticos. Eles trabalham para trazer ainda mais segurança ao procedimento e minimizar possíveis desconfortos dos pacientes durante o tratamento. Mais um benefício da atuação integrada de nosso Cancer Center. A descrição desse trabalho aparece no artigo "Atuação do Farmacêutico Clínico no Ambulatório de Radioterapia", publicado na revista da Sociedade Brasileira de Farmacêuticos em Oncologia (Sobrafo). A autora é Eliana Guadalupe Morganti do Lago, Supervisora de Farmácia.

"Faz dois anos que começamos esse trabalho específico no ambulatório de Radioterapia", conta Eliana. Como funciona? No momento do planejamento da radioterapia, o farmacêutico já pode acompanhar a equipe para prever possíveis efeitos colaterais e o que pode ser feito para amenizá-los. Efeitos adversos comuns como dermatite – que pode ir de uma leve coceira a uma ulceração severa – atingem 85% dos pacientes e, dependendo da extensão, comprometem muito a sua qualidade de vida. A atuação da equipe multiprofissional é fundamental para a detecção precoce, o manejo adequado e a redução de sintomas.

Pacientes em tratamento do câncer de cabeça e pescoço, por exemplo, têm dificuldades para deglutir ou sentem dores na boca, que atrapalham a administração de medicamentos. Hora de o farmacêutico entrar em cena e sugerir outras formas e vias de dar a medicação, seja para aliviar a xerostomia, que resseca a boca, seja com analgésicos para a dor. O farmacêutico ainda pode orientar os pacientes sobre como armazenar e utilizar os medicamentos em casa, além dos horários corretos de tomar a medicação; educar os pacientes sobre a administração de medicamentos via sonda nasoenteral; orientar sobre a profilaxia prescrita pelo estomatologista com flúor, água bicarbonatada, protetor labial etc. E ainda aconselhar as equipes sobre riscos de alterações medicamentosas.

"O farmacêutico clínico na Radioterapia atende em média 30 pacientes por mês, o que só é possível com o apoio da equipe de Enfermagem, que aciona a nossa presença para questões relacionadas aos medicamentos. Temos um retorno muito positivo, espontâneo, deles. Os pacientes agradecem muito a atuação da nossa equipe", diz Eliana.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

Câncer colorretal tem cura e pode ser prevenido
O câncer colorretal é um dos mais frequentes no mundo todo. A boa notícia é que há prevenção para reduzir a probabilidade de desenvolver este câncer e as taxas de cura são altas quando detectadas precocemente. Por isso, conhecer e...
Linfoma de Hodgkin x Linfoma não Hodgkin
Conheça os sinais e sintomas de cada um destes tipos de câncer hematológico O linfoma surge no sistema linfático, uma rede de pequenos vasos e gânglios que é parte tanto do sistema circulatório como do sistema imune. O sistema coleta...
Tumores cerebrais e do sistema nervoso central: tudo sobre esses tipos de câncer
Tumores cerebrais são pouco comuns: as estatísticas mundiais apontam que, do total de tipos de câncer que existem, menos de 2% se localizam no cérebro. Mais frequentes, porém, são as metástases cerebrais de outros tumores mais incidentes, como mama ou...
Tumores digestivos: uma seleção de conteúdos para você saber tudo e se proteger
Tumores digestivos são aqueles que atingem estômago, esôfago, fígado, pâncreas, intestino delgado, GIST (tumor estromal gastrointestinal) e vesícula biliar e vias biliares. No A.C.Camargo Cancer Center, eles são tratados por uma equipe multidisciplinar no Centro de Referência em Tumores do...
Câncer colorretal: saiba o que dizem nossos especialistas nestes tipos de tumores
O câncer colorretal ( intestino e reto) é mais comum do que muitos pensam: ocupa a terceira posição entre os tipos de tumores mais frequentes no Brasil, sem considerar os de pele não melanoma. Segundo o Instituto Nacional de Câncer...