Estamos entre os 30 melhores hospitais oncológicos do mundo

Tudo sobre PET-CT

O PET-CT é um exame de diagnóstico por imagem muito importante e que auxilia o oncologista no momento do diagnóstico, do estadiamento e do tratamento.

Por meio de substâncias que liberam radiação, o equipamento faz um exame de corpo inteiro do paciente e traz diversas informações essenciais para a tomada de decisão.

“O PET-CT mostrou-se como uma ferramenta incrível para responder perguntas sobre o futuro do tratamento dos pacientes, pois produz cerca de 1.500 imagens em 3D do corpo inteiro, em um único exame. No Brasil, o A.C.Camargo é pioneiro para a realização deste exame. Começamos este serviço em 2001 e, atualmente, atendemos um volume muito grande de pacientes por mês. Além de muito experiente, nossa equipe é especializada e faz uma atualização anual dos protocolos de PET-CT, a fim de garantir a melhor qualidade do exame para nossos pacientes”, explica Dr. Eduardo Nóbrega Pereira Lima, head da área de Medicina Nuclear.

Dr. Eduardo também explica que muitas pessoas têm dúvidas sobre o exame e um medo sem sentido em relação às substâncias radioativas utilizadas, pois traz à tona o tabu em torno do tema radiação. Para isso, a informação é a melhor solução.

Nesta página, você encontra todas as informações necessárias sobre o exame de PET-CT, as substâncias utilizadas, os procedimentos no dia do exame, como as medidas do Atendimento Oncológico Protegido garante a segurança dos pacientes contra a Covid-19, entre outros. Confira!

 

PET-CT

Entendendo o PET-CT

PET-CT é um exame de diagnóstico por imagem capaz de detectar tumores em todos os lugares do corpo. A sigla PET vem do inglês e significa "tomografia por emissão de pósitrons" (partícula radioativa), e CT vem de "tomografia computadorizada", que produz imagens enquanto o outro observa o metabolismo do corpo. Ou seja, o exame reúne duas tecnologias de ponta para analisar o estágio de qualquer tumor com eficácia para planejar o melhor tratamento ao paciente.

O procedimento é totalmente indolor, não invasivo e dura menos de 20 minutos. Após o paciente chegar na Instituição, ele é entrevistado por um dos médicos da Medicina Diagnóstica, depois recebe uma substância intravenosa e, logo após, é conduzido ao equipamento. O paciente fica deitado durante todo o procedimento e é preciso fazer jejum de quatro a seis horas antes de iniciar o exame. Um lanche é oferecido pela Instituição após a realização do PET-CT.

O exame é uma das ferramentas tecnológicas mais sensíveis disponíveis no mundo para detectar qualquer tipo de lesão no corpo inteiro do paciente. O PET-CT mostra onde há uma atividade metabólica aumentada associada com o uso de imagem, que provém mais detalhes e assertividade na hora de oferecer o tratamento adequado.

Em casos oncológicos, o PET-CT analisa o estágio do tumor do paciente e, a partir daí, é possível avaliar qual o melhor tratamento considerando a fase do câncer.
 

O PET-CT é indicado para todos os tipos de cânceres e pode ser realizado no começo, meio e fim do tratamento oncológico, a fim de avaliar o avanço da doença no paciente. 

Antes de ser conduzido ao equipamento, o paciente recebe uma substância intravenosa para a realização do exame, que pode ser:

FDG-18: um deles é o fluorodesoxiglicose (FDG), um material parecidíssimo com a glicose que consumimos no chocolate ou açúcar, por exemplo, mas que não é degradada ao entrar no organismo. A substância é importante para medir a quantidade de glicose que as células estão consumindo: quanto mais agressivo o tumor, mais glicose é concentrada. Quanto menos agressivo, menos ele concentra.

Dotatate-Gálio 68: outro comumente utilizado é o gálio-68, que atua na detecção de tumores neuroendócrinos, em especial, os bem diferenciados. A substância "se conecta" em receptores na somatostatina, um hormônio do pâncreas, tornando-se possível encontrar facilmente todos os lugares onde existam tumores com a materialização desses receptores da somatostatina.

PSMA-Gálio 68: para o diagnóstico e controle de tratamento de tumores da próstata, é usado a proteína antígeno de membrana específico para próstata (PSMA). Essa substância é um marcador específico da membrana de células prostáticas, que serve para diagnosticar se o tumor se disseminou e qual seu tamanho. Seu diferencial é que o PSMA é capaz de detectar precocemente a disseminação de células tumorais prostáticas.
 

De forma alguma. Toda radiação emitida pelo equipamento é calculada e não há riscos durante o procedimento. As quantidades de radiação envolvidas nos exames são mínimas, muitas vezes inferiores às de um exame de raios X.

Qualquer paciente pode realizar o exame, em qualquer idade. O PET-CT não é recomendado para pessoas grávidas ou com suspeita de gravidez

A imunidade não é influenciada pelo exame PET-CT. Para proteger nossos pacientes contra a Covid-19, foi criado o Atendimento Oncológico Protegido – um conjunto de processos para o paciente prosseguir com seu tratamento de forma segura em tempos de pandemia.

Você pode conhecer mais de nossos protocolos de segurança aqui.

Todas as práticas adotadas estão de acordo com as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde. 

O PET-CT é um exame muito mais completo e detalhado sobre o corpo do paciente, fornecendo a informação exata do local e tamanho do tumor, além de utilizar radiação ionizante.

Ao contrário da ressonância, que é um exame de altíssima resolução de contraste, mas sem o nível de detalhe de um exame combinado como o PET-CT.

O PET-SCAN não combina tomografia no exame, o que não traz o mesmo nível de detalhe e acurácia do PET-CT, um procedimento moderno e tecnológico, presente no A.C.Camargo desde 2001.

Dr. Eduardo Nóbrega Pereira Lima
"
No Brasil, o A.C.Camargo é pioneiro para a realização deste exame. Além de muito experiente, nossa equipe é especializada e faz uma atualização anual dos protocolos de PET-CT, a fim de garantir a melhor qualidade do exame para nossos pacientes.
Dr. Eduardo Nóbrega Pereira Lima, head da área de Medicina Nuclear

PET-CT

Sobre a rotina do exame

 

No A.C.Camargo, nosso protocolo determina que o paciente faça 4 horas de jejum. Não há nenhuma restrição alimentar antes do período de jejum.

Sim. Como não existe interação de medicamentos com a substância que emite radiação, o paciente deve manter as medicações de costume e os horários em que são tomadas.

O paciente que faz seu exame de PET-CT no A.C.Camargo conta com uma jornada humanizada, com destaque para o acolhimento da equipe.

O primeiro atendimento é feito na recepção, ao fazer a ficha cadastral. Depois, o paciente passa por uma entrevista prévia com um médico, que fará perguntas para conhecer melhor o histórico clínico e esclarecer as possíveis dúvidas sobre o exame.

Em seguida, o paciente é encaminhado para uma sala em que fará a punção de uma veia para administrar a glicose marcada com a substância que emite radiação. Depois de um tempo de repouso, o paciente é encaminhado para o equipamento que fará o exame. Deverá ficar deitado, imóvel, por cerca de 15 minutos. E pronto! O paciente está liberado e poderá voltar para a sua rotina.
 

Não. O exame é completamente indolor e não causa nenhum desconforto. Para melhorar a sensação de bem-estar, a sala de exames conta com janelas e iluminação projetada para deixar o paciente mais confortável.

Não. A dose de marcadores radioativos utilizados no exame são tão pequenas que não causam nenhum efeito colateral ou dano ao paciente.

Não existem restrições para pacientes com tatuagem, DIU ou coletores menstruais. A equipe recomenda a remoção de piercings que podem ser retirados do corpo, assim como brincos, anéis, pulseiras e outros materiais metálicos, pois a imagem destes adornos ficarão gravadas no exame. 

O A.C.Camargo não utiliza contraste para fazer o PET-CT e os materiais radioativos injetados no paciente não causam nenhum tipo de reação ou efeito colateral.

O paciente com alergia a látex pode fazer o PET-CT. Mas é preciso avisar sobre esta restrição no momento em que agendar o exame, para que a equipe possa se preparar e receber o paciente com toda a segurança necessária.

O paciente pode voltar à sua rotina normalmente e ter contato com outras pessoas. Existe um conceito chamado “tempo de meia vida”, que corresponde ao tempo necessário para a concentração de uma substância radioativa reduzir para metade. No caso dos isótopos radioativos utilizados para o PET-CT, a quantidade injetada é tão pequena e o tempo de meia vida é tão rápido que, ao fim do exame, o paciente tem menos de 5% destas substâncias em seu corpo.

Pacientes claustrofóbicos devem avisar a equipe no momento em que fizer o agendamento do exame.

Em grande parte, os pacientes sentem-se mais confortáveis quando a nossa equipe assistencial apresenta pessoalmente o equipamento de PET-CT. Diferentemente do aparelho para ressonância, que é um tubo fechado e longo, o equipamento de PET-CT é como um tomógrafo, com um arco metálico.

Se, mesmo após a visita à sala de exame o paciente se sentir desconfortável, o A.C.Camargo conta com um anestesista para fazer a sedação com toda a segurança.
 

Sim, diabéticos podem fazer o PET-CT. A equipe assistencial monitora a glicemia do paciente para garantir a sua segurança e a qualidade do exame.

PET-CT

 

Importante!

 

Se este não é o seu primeiro PET-CT, lembre-se de trazer os exames anteriores. É muito importante
para a equipe médica que analisa as imagens poder comparar a evolução do quadro clínico entre
um exame e outro. 

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam