Estudos Clínicos

Mielofibrose primária - estudo: KRT-232-101

O estudo KRT-232-101 é um estudo de fase 2/3 randomizado, controlado e aberto de KRT-232 em participantes com Mielofibrose Primária (PMF), Pós-Policitemia Vera MF (PÓS-PV-MF) ou Pós-Trombocitemia essencial Mf (Pós-Et-Mf) que são recidivantes ou refratários para tratamento com inibidor de Janus Quinase (JAK).

Tratamento

População

Participantes com Mielofibrose Primária (PMF), Pós-Policitemia Vera MF (Pós-PV-MF) ou Pós-Trombocitemia Essencial MF (Pós-ET-MF) que são recidivantes ou refratários para tratamento com inibidor de Janus Quinase (JAK).

Objetivo

Demonstrar que o medicamento do estudo é bem tolerado quando administrado a participantes com Mielofibrose Primária, e avaliar se é mais eficaz em comparação à melhor terapia disponível.

 

Publicação autorizada pelo CEP FAP - A.C.Camargo Cancer Center em 11 de maio de 2022.

Câncer de Cervical - estudo: SGNTV-003

O estudo SGNTV-003 é um estudo clínico de fase 3, randomizado, aberto, de tisotumabe vedotina versus quimioterapia de segunda ou terceira linha de escolha do investigador em câncer cervical recorrente ou metastático

Tratamento

População

Pacientes que apresentam câncer cervical recorrente ou metastático

Objetivo

Demonstrar que a medicação do estudo é melhor que quimioterapia já existentes no mercado para câncer cervical recorrente ou metastático.

 

Publicação autorizada pelo CEP FAP - A.C.Camargo Cancer Center em 11 de maio de 2022.

Câncer de cabeça e pescoço - estudo: SMART-KEY

O estudo SMART-KEY é um estudo fase 2, de braço único, multi-institucional de uma estratégia de preservação de órgãos baseada em pembrolizumabe para cânceres de laringe localmente avançados. 

Tratamento

População

Pacientes que apresentam carcinoma de células escamosas de laringe localmente avançado que são candidatos à preservação de órgãos.

Objetivo

O objetivo desta pesquisa clínica é estudar este esquema de tratamento e avaliar a resposta destes participantes sem cirurgia.  Esta pesquisa também coletará informações de segurança e desfechos relatados pelos participantes de pesquisa.

 

Publicação autorizada pelo CEP FAP - A.C.Camargo Cancer Center em 11 de maio de 2022.

Mieloma múltiplo - estudo: MINK 1305

O estudo: MINK 1305 é um estudo aberto de fase I de segurança, tolerabilidade e atividade clínica preliminar de células alogênicas invariantes natural killer (intk) não transduzidas (agent-797) em pacientes com mieloma múltiplo recidivante/refratário.

Tratamento

População

Pacientes com mieloma múltiplo refratário/recidivado, já tratados previamente.

Objetivo

O objetivo é determinar a dose mais alta do produto experimental que pode ser administrada (dose máxima tolerada). Serão observados os efeitos colaterais que os pacientes experimentam, com base nas diferentes doses usadas em diferentes grupos de pacientes. Cada paciente será designado a um pequeno grupo (também denominado coorte) e receberá uma dose específica do produto experimental. O principal objetivo desta parte do estudo é descobrir se o medicamento do estudo é seguro e aceitável para pacientes com mieloma múltiplo recidivado/refratário.

 

Publicação autorizada pelo CEP FAP - A.C.Camargo Cancer Center em 11 de maio de 2022.

Podcast Rádio Cancer Center #62 - Tudo sobre pesquisa clínica

Linha Fina

O que é este tipo de estudo? Os pacientes podem se beneficiar? Há risco ao participar? Entenda tudo neste episódio com o Doutor Rodrigo Taboada e o Doutor Daniel Garcia, oncologistas clínicos do A.C.Camargo

Você sabe o que é pesquisa clínica? Esses estudos de hoje são os tratamentos que salvarão vidas amanhã. Ao participar, um paciente vai contribuir com a ciência do câncer e ainda poder ter evoluções no tratamento. 

Entre as dúvidas, que são esclarecidas neste podcast, estão:

  • O que é pesquisa clínica? Como são as fases de uma pesquisa. 
  • Qual é a importância desses estudos para a comunidade científica e para os pacientes? Como os pacientes podem se beneficiar com a participação? Esses pacientes podem ajudar a salvar vidas no futuro? 
  • O que garante aos pacientes a segurança para eles fazerem parte de um estudo clínico? Muitos acabam com medo de se tornarem cobaias? Estando em um estudo clínico, os pacientes correm algum risco? 
  • Todos os pacientes são elegíveis caso haja uma pesquisa aberta para aquele tipo de câncer que ele trata? O que define a participação ou não de um paciente?
  • O que um paciente tem que fazer para integrar uma pesquisa clínica? Ele deve perguntar para o médico dele se há algum estudo aberto? Caso o paciente desista, ele pode retomar o tratamento sem prejuízos?

Saiba tudo sobre pesquisa clínica neste podcast com o Doutor Rodrigo Taboada e o Doutor Daniel Garcia, oncologistas clínicos do A.C.Camargo:

 

Se preferir, ouça este podcast em nossos agregadores de streaming: Spotify, SoundCloud, Google Podcasts e Deezer.

 

Mieloma múltiplo - estudo: CARTITUDE

O estudo CARTITUDE é um estudo de fase 3, randomizado comparando Bortezomibe, Lenalidomida e Dexametasona (VRd) seguidos por Ciltacabtagene Autoleucel, uma terapia de células T com receptor de antígeno quimérico (CAR-T) direcionado ao BCMA versus Bortezomibe, Lenalidomida e Dexametasona (VRd) seguidos por terapia com Lenalidomida e Dexametasona (Rd) em participantes da pesquisa com mieloma múltiplo recém-diagnosticado e para os quais o transplante de células-tronco hematopoéticas não está planejado como terapia inicial.

Critérios para a participação

  • ≥18 anos de idade e Diagnóstico de MM de acordo com critérios de diagnóstico do IMWG;
  • Sem tratamento anterior para Mieloma Múltiplo;
  • Sem Infecção viral ou bacteriana ativa que requer tratamento ou infecção fúngica sistêmica não controlada;
  • Sem histórico de doença de Parkinson ou outra doença neurodegenerativa;
  • Uma mulher com potencial para engravidar (WOCBP) deve ter 2 testes séricos ou de urina altamente sensíveis (gonadotrofina coriônica humana beta) negativos.

Tratamento

Ilustração de fluxograma do tratamento

Critérios de exclusão

  • Soropositivo - HIV
  • Infecção por Hetatite B
  • Infecção por Hetatite C

 

Objetivo

Comparar a eficácia das medicações padrões seguida por uma única administração de cilta-cel versus tratamento padrão.

 

Publicação autorizada pelo CEP FAP - A.C.Camargo Cancer Center em 11 de maio de 2022.

Câncer de Cervical - estudo: Rapids Ag C750

O estudo Rapids Ag C750 é um estudo randomizado, de fase 2, não comparativo, de dois braços de AGEN2034 (anti-pd-1) como monoterapia ou terapia combinada com AGEN1884 (anti-ctla4) ou com placebo em mulheres com câncer cervical recorrente (segunda linha) - Rapids.

Tratamento

Ilustração de Randomização do estudo mariposa

População

Mulheres com câncer do colo de útero recorrente.

Objetivo

Comparar a eficácia de uma terapia alvo sozinha versus a combinação desta terapia alvo combinada a imunoterapia para câncer do colo de útero.

 

Publicação autorizada pelo CEP FAP - A.C.Camargo Cancer Center em 11 de maio de 2022.

Câncer de pulmão - estudo: Mariposa 2

O estudo Mariposa 2 é um estudo de fase 3, aberto, randomizado de Amivantamabe e Lazertinibe em combinação com quimioterapia à base de platina comparado com quimioterapia à base de platina em participantes da pesquisa com câncer de pulmão de não pequenas células localmente avançado ou metastático com mutação no EGFR após falha com Osimertinibe.

Tratamento

Ilustração de Randomização do estudo mariposa

População

Pacientes com câncer de pulmão de não pequenas células localmente avançado ou metastático com mutação no EGFR após falha com Osimertinibe.

Objetivo

Comparar a eficácia de uma duas terapias alvo com quimioterapia versus quimioterapia para câncer de pulmão de não pequenas células avançado ou metastático.

 

Publicação autorizada pelo CEP FAP - A.C.Camargo Cancer Center em 11 de maio de 2022.

Mieloma múltiplo: pacientes podem participar de estudos clínicos e ter benefícios no A.C.Camargo

Linha Fina

Neste mês de conscientização sobre esse tipo de câncer hematológico, conheça seus sinais e sintomas e saiba como fazer parte de uma pesquisa, contribuir com a ciência e evoluir no tratamento

O mieloma múltiplo é o câncer de um tipo de célula da medula óssea chamada de plasmócito, responsável pela produção de anticorpos que combatem vírus e bactérias. No mieloma múltiplo, os plasmócitos são anormais e se multiplicam rapidamente, comprometendo a produção das outras células do sangue.

O INCA não apresenta estatísticas oficiais sobre a incidência da doença no Brasil, mas, mesmo assim, precisamos conscientizar a população sobre como identificar precocemente um mieloma múltiplo

A seguir, saiba mais sobre fatores de risco, sinais, sintomas e sobre como pacientes podem participar de estudos clínicos e ter benefícios no tratamento, sem falar na contribuição com a ciência do câncer.


Fatores de risco para mieloma múltiplo

Não se sabe o que causa o mieloma múltiplo, então não existem formas de prevenção da doença. De qualquer forma, é bom manter uma vida saudável, com alimentação rica em verduras, legumes e frutas, sem abusar da carne vermelha, além de não fumar, praticar exercícios regularmente e não abusar do álcool.

Dois pontos são conhecidos entre os pacientes:

  • A maioria dos pacientes tem mais de 65 anos;
  • Casos de mieloma múltiplo são um pouco mais frequentes em homens do que em mulheres.


Sinais e sintomas 

A doença não costuma apresentar sintomas em seus estágios iniciais, o que dificulta o diagnóstico nessa fase. Nas manifestações sintomáticas podem ocorrer:

  • Fraturas: as células do mieloma produzem substâncias chamadas citocinas, que podem fazer com que algumas células dos ossos, os osteoclastos, destruam o tecido ósseo ao seu redor. As apresentações mais comuns nos raios-x são as lesões líticas (aspecto de buracos negros). Mais frágil, essa parte do osso pode se partir causando, fraturas espontâneas ou com o mínimo esforço;
  • Dor nos ossos: especialmente na coluna lombar, nas costelas ou no quadril, e que piora com o movimento;
  • Fadiga ou cansaço: causados por anemia;
  • Infecções: pode ocorrer um prejuízo ao sistema imune no combatem a vírus e bactérias, tornando os pacientes mais vulneráveis a infecções. Pneumonia, infecções urinárias, além de sinusite e infecções da pele, são as mais comuns;
  • Redução do volume da urina: provocada por insuficiência renal, já que as proteínas anormais produzidas pelo câncer em grande quantidade se acumulam nos rins.


Estudos clínicos para mieloma múltiplo: entenda

Primeiramente, precisamos explicar o que são os estudos clínicos e ratificar sua segurança.

Estudos clínicos são iniciativas que comparam o melhor tratamento disponível com um tratamento inovador. Graças a essas pesquisas, surgem novas condutas terapêuticas para o tratamento de vários tipos de tumor, sempre visando o melhor para o paciente.

É que um medicamento não pode ser utilizado em um tratamento sem que seus riscos e benefícios sejam conhecidos em detalhes. Da produção da molécula até chegar ao paciente, há um caminho longo, com muitos estudos que se estendem por anos.

Primeira etapa: a molécula é testada em células de laboratório, depois em modelos de animais, respeitando todo o cuidado ético com animais de experimento.

Somente após esses testes começam os estudos clínicos em voluntários humanos, divididos em quatro fases distintas.

Clique aqui e saiba tudo sobre os estudos clínicos, detalhadamente.

Sua participação, além de não prejudicar em nada o seu tratamento (ao contrário, pode haver benefícios), é gratuita e ajuda a salvar vidas.

No A.C.Camargo, temos, no momento, dois estudos clínicos abertos para pacientes com mieloma múltiplo. Confira abaixo:


Mieloma múltiplo - Estudo: LYNX

Público: pacientes com mieloma múltiplo já tratados com daratumumabe.

Objetivo: avaliar se a terapia-alvo é melhor do que a terapia padrão.


Mieloma múltiplo - Estudo: DREAMM 3

Público: pacientes com mieloma múltiplo já tratados previamente com quimioterapia.

Objetivo: avaliar se a terapia-alvo combinada é melhor do que a terapia padrão.

 

Caso queira saber mais sobre as pesquisas clínicas, envie um e-mail para: [email protected].

Carcinoma de células claras renais - estudo: MK6482-012

O estudo MK6482-012 é um estudo aberto, randomizado, fase 3 para avaliar a eficácia e a segurança de pembrolizumabe (MK-3475) em combinação com belzutifan(MK-6482)e lenvatinibe (MK-7902) ou MK-1308A em combinação com lenvatinibe versus pembrolizumabe e lenvatinibe, como tratamento de primeira linha em participantes com carcinoma de células claras renais avançado (ccRCC).

Tratamento

Ilustração do tratamento com a randomização 1:1:1. Braço A - Pembrolizumabe +Lenvatinibe +belzutifan. Braço B - MK-1308A + lenvatinibe. Braço C - Pembrolizumabe + Lenvatinibe
 

População

Pacientes ≥18 anos de idade com carcinoma de células claras renais sem tratamento anterior.

Objetivo

Avaliar se e a adição do medicamento novo MK-1308A em combinação ao tratamento padrão é melhor do que os outros tratamentos propostos já consolidados para a doença.

 

Publicação autorizada pelo CEP FAP - A.C.Camargo Cancer Center em 11 de maio de 2022.