Síndrome metabólica e os riscos de diabetes, doenças do coração e câncer de fígado

Publicado em: 11/04/2017 - 21:04:00

Não é uma doença nova, mas de uns anos para cá a chamada síndrome metabólica passou a chamar a atenção dos médicos de várias áreas, inclusive da oncologia.

Síndrome metabólica é um quadro clínico que envolve pelo menos três das seguintes características:

  • Pressão alta
  • Obesidade ou sobrepeso com gordura acumulada na região abdominal
  • Taxa de glicemia (açúcar no sangue) alta em jejum
  • Taxa de triglicérides alta
  • Níveis de HDL (o colesterol bom) baixos

Também chamada de síndrome da resistência à insulina e síndrome X, ela predispõe tanto ao diabetes tipo 2 quanto a doenças cardiovasculares, mas também começa a ser associada ao risco de câncer, especialmente o de fígado. Portadores da síndrome costumam apresentar ainda problemas de coagulação do sangue e uma leve, porém constante, inflamação no corpo, mas os especialistas ainda não sabem se esses dois fatores são consequência da síndrome ou se a agravam.

"O fato de a síndrome predispor ao diabetes e à doença cardiovascular já seria suficiente para termos atenção redobrada com esse quadro, mas é sempre bom lembrar que a obesidade é fator de risco importante para vários tipos de câncer", alerta Dr. Felipe Coimbra, nosso Diretor do Departamento de Cirurgia Abdominal. A preocupação é ainda maior em relação ao câncer de fígado. "A esteatose, ou seja, o acúmulo de gordura no fígado, está entre os principais fatores de risco desse tipo de câncer, da mesma forma que o diabetes e a obesidade", destaca.

O risco de desenvolvimento da síndrome aumenta com a idade e também é maior em pessoas que sofrem de apneia do sono e ovário policístico. No entanto, se o envelhecimento não pode ser controlado, outros fatores podem e devem. "A síndrome está associada a vários fatores comportamentais, como sedentarismo, excesso do consumo de sal e alimentação inadequada, excessivamente gordurosa", afirma o especialista. Daí a recomendação para uma alimentação saudável, rica em frutas e legumes frescos, com pouca fritura e uso moderado de sal. Além disso, controle da pressão arterial, já que a hipertensão costuma ser uma doença silenciosa, que não apresenta sintomas, e muitos hipertensos descuidam de medicação e dieta.

Outra recomendação importante é o controle periódico das taxas de glicemia (açúcar no sangue), notadamente em pessoas com histórico familiar de diabetes tipo 2. "Há uma série de estratégias para lidar com o pré-diabetes, que incluem dieta com restrição calórica e de açúcares, prática de exercícios físicos e, em alguns casos, até medicação", diz Dr. Felipe. Vale o mesmo para os baixos níveis de colesterol bom – perigosos, porque é o colesterol bom que elimina o colesterol ruim, aquele que se acumula nas paredes das artérias.

Fundamental também é o controle dos triglicérides, já que eles estão relacionados ao acúmulo de gordura no fígado, sobrecarregando o órgão e podendo levar a quadros de hepatite, fibrose ou cirrose hepática, todos fatores que aumentam o risco de câncer de fígado. Segundo especialistas, nos Estados Unidos, que convivem com uma epidemia de obesidade, 25% da população sofre de esteatose e o número de casos de câncer de fígado vem aumentando.

 

Dr. Felipe José Fernández Coimbra - CRM 93020
Diretor do Departamento de Cirurgia Abdominal
Especialista em Cancerologia/Cirúrgica - RQE nº 30634
Especialista em Cirurgia Geral - RQE nº 30635

Veja também

"Tirinhas sem Graça" - Cartunistas deixam a piada de lado e falam sério sobre câncer de próstata
O câncer de próstata é um assunto que deve ser sempre levado a sério. Baseado nesse conceito, o A.C.Camargo divulgou a ação "Tirinhas sem Graça", criada pela agência J. Walter Thompson, com ilustrações de alguns dos principais cartunistas do Brasil sobre a importância do diagnóstico...
462 anos de São Paulo: conheça alguns destaques da maior cidade do país
A cidade mais populosa de toda a América celebra hoje 462 anos. São Paulo não só é um município de grande influência política e econômica, mas também local de ricas histórias, com locais e personagens marcantes. Como homenagem à cidade sede do A.C.Camargo, conheça alguns...
7 entre 10 casos de câncer de fígado e estômago são relacionados com Hepatites B e C e H. pylory
Estimativa realizada pelo A.C.Camargo Cancer Center aponta que 70% dos tumores de estômago são associados à presença da bactéria H. pylori. O mesmo percentual é atribuído às Hepatites B e C em relação ao hepatocarcinoma, tipo mais comum de câncer no fígado. Além dessas infecções...
A perigosa relação dos jovens com o cigarro
Momento de transição para a idade adulta, é na adolescência que, geralmente, acontece o período de autoafirmação social. É nessa fase que a adoção de comportamentos e a tomada de algumas decisões podem trazer consequências prejudiciais à saúde. Um desses exemplos é o cigarro, que...
A relação entre tabagismo e obesidade com câncer de pâncreas
Os dados podem assustar: fumantes têm risco de 2 a 6 vezes maior do que não fumantes de desenvolver câncer de pâncreas; entre 20% e 30% dos pacientes diagnosticados são fumantes; e 20% dos pacientes são obesos e diabéticos obesos. A principal forma de prevenir...