A oncologia personalizada do A.C.Camargo

Publicado em: 11/09/2019 - 16:09:16
Diagnóstico
Institucional
Genética

Pacientes contam com novas ferramentas de diagnóstico e tratamento para maior precisão no combate ao câncer

 

Ao longo dos anos, os avanços científicos proporcionaram não só um maior número de tratamentos contra o câncer como também uma maior personalização, considerando as peculiaridades de cada pessoa.

Do uso cada vez mais frequente de big data até a união da matemática, física e da engenharia com a medicina, muitos dos avanços científicos mostrados apontam para tratamentos cada vez mais personalizados.

Seja na quimioterapia convencional ou nas chamadas terapias-alvo, por exemplo, o medicamento pode ter eficácia e efeitos colaterais variados entre os pacientes. Isso acontece por dois motivos: primeiro, cada paciente apresenta características genéticas que determinam como ele metaboliza os medicamentos; segundo, os tumores são formados por células com alterações genéticas e, algumas delas, respondem aos medicamentos, enquanto outras são ou tornam-se resistentes durante o tratamento.

“A personalização no tratamento permite precisão ao escolher terapias mais adequadas, bem como a dosagem correta para tratar um paciente com câncer de forma efetiva, com menor toxicidade e maior eficácia”, explica o Dr. Jayr Schmidt Filho, head do Núcleo de Onco-hematologia do A.C.Camargo Cancer Center.

 

No A.C.Camargo

A oncologia personalizada não é algo do futuro: já está presente para os pacientes do A.C.Camargo Cancer Center, que podem contar com aconselhamento genético, por exemplo, que disponibiliza testes para identificar mutações genéticas.

Já a biópsia líquida, outra forma de personalização, é utilizada para acompanhamento e planejamento terapêutico de pacientes já em tratamento.

“A biópsia líquida é feita por meio de uma simples coleta de sangue, sem a necessidade de internação e com menor risco para o paciente. É um recurso que passou a ser oferecido recentemente no Brasil”, comenta o Dr. Jayr.

Após a coleta de sangue são analisados pequenos fragmentos de DNA, que se desprendem da célula tumoral para a corrente sanguínea. O resultado dessa biópsia pode revelar, por exemplo, porque um paciente deixou de responder bem a um tratamento que antes era satisfatório.

“Essa evolução da medicina focada em cada pessoa e em suas necessidades específicas tornam o tratamento mais preciso, além de trazer melhor qualidade de vida para os pacientes e de ser mais um passo na luta contra o câncer”, finaliza o Dr. Jayr.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Tomografia de pele pode no futuro ajudar no diagnóstico de melanoma
Estudo do A.C.Camargo em parceria com a Universidade de Michigan busca trazer agilidade nos exames não invasivos da pele com diagnóstico cada vez mais precoce e preciso A biópsia é o atual padrão para diagnóstico do melanoma, um tipo de câncer de pele que se...
Vacina boa é vacina no braço: todos os imunizantes contra a Covid-19 disponíveis no Brasil são vitais!
Há pessoas, porém, que não querem determinada vacina, que estão indo a vários postos de saúde a fim de encontrar sua marca preferida, algo que contribui com o atraso no ritmo de vacinação. Hoje, apenas 11,95% da população brasileira está vacinada com as duas doses...
Conheça o nosso Centro completo de Imunoterapia, com ações de assistência, pesquisa e ensino
Principal avanço no tratamento do câncer nos últimos anos, a imunoterapia estimula o organismo a identificar as células cancerosas e atacá-las com drogas que modificam nossa resposta imunológica. Já tratamos 400 pacientes com essa tecnologia, e agora teremos uma área totalmente voltada para ela. O...
Vídeo: avanços no combate ao câncer colorretal metastático
Novos medicamentos auxiliam no aumento da sobrevida Recentemente, o câncer colorretal metastático tem sido melhor combatido, o que garantiu um aumento de sobrevida entre os pacientes. Novos medicamentos foram incorporados ao tratamento e foram associados a diferentes tipos de drogas. Assista ao vídeo e entenda...