Entenda como a criação de um ecossistema para estudos de fase 1 beneficiou pesquisadores, médicos e pacientes

Publicado em: 26/06/2021 - 16:06:15
Next Frontiers
Linha Fina

Lillian Siu, do Princess Margaret Cancer Centre, conta como foi a experiência na instituição canadense e quais foram as lições aprendidas

A sessão Clinical Trials: When the Science becomes a hope no terceiro dia do congresso Next Frontiers to Cure Cancer 2021, realizado pelo A.C.Camargo Cancer Center, teve a participação da Dra. Lillian Siu, Diretora do Programa de Fase 1 e Co-diretora do Programa de “Drug Development” do  Princess Margaret Cancer Centre, o principal hospital de câncer do Canadá. 
  
A especialista abordou as lições aprendidas na construção de um programa de estudos de fase 1 criado na instituição canadense, parceria no A.C.Camargo. 
  
Segundo a Dra. Lilian, o desenho dos estudos de fase 1 está mudando devido a diversos fatores:  o conhecimento de biologia celular, que tem avançado rapidamente; a limitação de participantes de pesquisa e da infraestrutura; e a necessidade de desenvolver novas drogas para tratamento do câncer de maneira ágil tem acelerado essas mudanças. 
  
A partir do programa criado na instituição, os benefícios de um ecossistema de estudos de fase 1 são diversos. 
  
Benefícios diretos 

  • Aumento da atividade científica na instituição, na região e no país. 
  • Promover o acesso de novas drogas para pacientes com câncer. 
  • Reforço na infraestrutura necessária. 
  • Parcerias com empresas farmacêuticas e de biotecnologia. 

Benefícios indiretos 

  • Aumento do interesse para pesquisa básica, translacional e clínica. 
  • Permitir ao investigador iniciar os estudos ou análises secundárias. 
  • Promover oportunidades para jovens pesquisadores. 
  • Facilitar a comunicação e a interação com bases de pacientes interna e externa. 

Além da equipe de pesquisa, os pacientes e a comunidade também foram beneficiados com a iniciativa. Foi criado um portal com estudos em andamento para pacientes que queiram se candidatar, atendimento virtual de pacientes e parcerias com oncologistas da comunidade. Também foi colocado um enfermeiro navegador à disposição de pacientes e familiares a fim de educar e orientar sobre os processos de pesquisa. 
  
Dra. Lillian explica que, neste contexto, os elementos importantes e que estão integrados no programa do Princess Margaret Cancer Centre são a ciência, a qualidade, a eficiência, a paixão e as pessoas. “Às vezes, os elementos pessoas, paixão e eficiência não recebem tanta atenção quanto os outros. É preciso focar principalmente nas pessoas. Aqui, nosso programa de estudos de fase 1 integra com outros programas da instituição, criando um elo para que funcionem juntos. As pessoas são tão importantes quanto o aspecto científico”, explica Lilian. 
  
Dr. Helano Freitas, chair da palestra, finalizou a apresentação e abriu os debates comentando sobre o cenário da pesquisa nacional. “No Brasil, tem aumentado o número de estudos de fase 1 nos últimos anos, mas não há centros de pesquisa completamente dedicados ao tema na oncologia. Ainda há barreiras como o tempo para aprovação regulatória dos estudos, que, apesar de ter melhorado nos últimos anos, ainda perdem em agilidade quando comparados aos observados em países como Canadá e EUA. A Dra. Lillian mencionou em sua palestra que, em média, eles demoram de 60 a 90 dias para aprovar o início de um estudo desse tipo. De qualquer forma, é maravilhoso ver como o Princess Margaret Cancer Centre criou esse ecossistema de pesquisa e espero ter mais estudos de fase inicial no Brasil em um futuro próximo”, explica. 
 

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?