Diferenças entre câncer infantil e de adultos

Publicado em: 22/02/2018 - 21:02:00
Notícias

Ao contrário do que acontece com adultos, o câncer em crianças não tem fatores de risco, como falta de exercícios físicos ou exageros na dieta. Suas causas ainda são desconhecidas.

O número: 12.600 novos casos de câncer infantil por ano no Brasil.

Câncer de criança é igual ao de adulto? Não.

O câncer em adultos, na maioria dos casos, está relacionado a fatores de risco do meio ambiente. Por exemplo, o câncer de pulmão, à exposição ao tabaco, o câncer de colo de útero, ao HPV. É preciso anos de exposição a fatores de risco até que a célula comece a se multiplicar de forma desorganizada dando origem ao câncer. Na criança, o câncer é formado por uma célula que não amadureceu como deveria e começou a se multiplicar de forma desordenada.

Leucemia linfoide aguda é o principal câncer na infância.

Sua principal característica é a juventude das células, que se proliferam rapidamente e ocupam a medula óssea acima de sua capacidade. Já em adultos, a incidência da leucemia é de apenas 1,6% e a mais comum é a leucemia linfoide crônica, que não ocorre na faixa etária pediátrica.

Linfomao 3º tipo de câncer mais comum na infância, também aparece em adultos, na 10ª posição. É o câncer no sistema linfático, que pode ser de dois tipos: linfoma não Hodgkin e linfoma de Hodgkin. O mais comum, tanto nas crianças quanto nos adultos jovens, é o linfoma não Hodgkin, agressivo, de rápido crescimento. O linfoma de Hodgkin, mais vagaroso, costuma aparecer nos adultos mais velhos.

Sarcomas são mais comuns entre crianças, com 10% dos casos.

Entre os adultos, a frequência é de apenas 1%. O rabdomiossarcoma é o tipo de sarcoma mais frequente entre crianças e adolescentes; atinge as partes moles (nos rabdomios, células que vão se tornar músculos esqueléticos do corpo), principalmente na região da cabeça e do pescoço, gênito-urinária (bexiga, próstata, testículo, vagina) e nas extremidades. Entre os adultos, os tipos mais incidentes de sarcomas de partes moles são o leiomiossarcomalipossarcoma e o fibrossarcoma. Entre os sarcomas ósseos, os mais comuns são o osteossarcoma e o sarcoma de Ewing, ambos mais frequentes na adolescência.

Conheça outros tipos de tumores pediátricos

  • Tumor de Wilms: tumor renal. Pode afetar um rim ou, raramente, ambos e é mais comum na faixa dos 2 a 3 anos de idade.
  • Neuroblastoma: mais comum no abdome e no mediastino. Costuma ser diagnosticado nos dois primeiros anos de vida.
  • Retinoblastoma: câncer nas células da retina e que tem como característica um brilho nos olhos, conhecido como reflexo do olho de gato. Pode ser hereditário ou não. Costuma aparecer em crianças de 0 a 3 anos de idade.
  • Tumores do Sistema Nervoso Central: são os tumores malignos sólidos mais comuns em crianças. Podem ocorrer em qualquer faixa etária.

O que muda no tratamento com a idade

Leucemia aguda: a resposta à quimioterapia costuma ser melhor em crianças, que apresentam prognóstico favorável em cerca de 80% dos casos. Esse número diminui um pouco entre os adultos.

Sarcomas: para as crianças, a quimioterapia é recomendada, pois o rabdomiossarcoma é bastante sensível a esse tratamento. Adultos com sarcomas são tratados com cirurgia e radioterapia na maioria das vezes.

 

Dra. Cecília Maria Lima da Costa CRM 77799
Diretora do Departamento de Oncologia Pediátrica
Especialista em Pediatria - RQE nº 57880

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Evolução na sobrevida de pacientes com metástase cerebral
A implementação e difusão de uma técnica de radioterapia cranial focal precisa, que possibilita a administração de uma alta dose de radiação restrita à lesão em fração única (radiocirurgia) ou poucas frações (radioterapia estereotática fracionada), assim como o aumento das opções de tratamento sistêmico (novas...
Pacientes da Oncologia Pediátrica relatam o que mais gostam nas aulas
Pioneira no ensino em classe hospitalar, a Escola Especializada Schwester Heine mantém sua proposta, desde 1987, de evitar que os pacientes da Oncologia Pediátrica percam aulas e provas por não terem acesso ao convívio escolar em razão do tratamento do câncer. Já nessa época, Carmen...
Escola da Pediatria traz conteúdo interdisciplinar e diferenciado para alunos pacientes
O papel da escola, junto com a família, é o da formação cidadã e ética, essencial para desenvolver indivíduos pensantes e críticos. O desafio é tornar os espaços de aprendizagem mais atraentes para os alunos construírem o próprio projeto de vida de maneira responsável e...
Touca de resfriamento - Uma forma de colaborar com a autoestima e preservar a privacidade dos pacientes
Tentar manter a autoestima durante o tratamento de câncer ajuda no bem-estar e na qualidade de vida e também a paciente a se sentir mais bonita e até mais forte para seguir com os cuidados necessários. Nem sempre isso é tão simples. Um dos efeitos...
Como funciona a anestesia
A anestesia pode ser utilizada em procedimentos como cirurgia, exames de diagnóstico e também curativos. Apesar de ainda causar preocupação em algumas pessoas, é um procedimento seguro. Conheça, por meio do infográfico, mais sobre a história, como funciona o processo e a atuação da equipe...