Newsletter

Podcast Rádio Cancer Center - Tudo sobre protetor solar e vitamina D para proteger sua pele

Vitamina D e protetor solar são um dos principais assuntos que as pessoas querem saber, seja no consultório ou nas redes sociais.

Algo importante, já que o câncer de pele não melanoma é o mais frequente no Brasil e corresponde a cerca de 30% de todos os tumores malignos registrados no país. 

Assim, listamos alguns dos principais tópicos: usar protetor solar com cor, com creme e até mesmo com antioxidantes, representa algum risco? Bronzeador seria perigoso? E o bronzeamento artificial? 

No caso de quem se curou de um câncer de pele. Essa pessoa pode tomar sol?

Usar protetor solar por muitos anos poderia causar câncer de pele?

Quem teve ou tem um câncer sofre alguma dificuldade em relação à vitamina D?

Emendando: vitamina D só é produzida no sol do meio-dia? Quanto tempo é o ideal que as pessoas se exponham ao sol para produzir vitamina D?

Para sanar essas dúvidas, convidamos o Doutor Marco Antonio de Oliveira, dermatologista do Centro de Referência em Tumores Cutâneos do A.C.Camargo.

Confira:

A.C.Camargo Cancer Center · Rádio Cancer Center #33 - Tudo sobre protetor solar e a vitamina D para proteger sua pele

 

Desospitalização: bem-estar ao paciente e custo-efetividade para o sistema de saúde

O A.C.Camargo Cancer Center vem continuamente desenvolvendo iniciativas que contribuam para melhorar a assistência ao paciente oncológico por meio da constante revisão de processos.

Uma das premissas de uma assistência de qualidade é utilizar o ambiente adequado para cada fase de atendimento, priorizando a saúde e bem-estar do paciente, como a desospitalização.

O que é desospitalização?

É o processo que possibilita ao paciente internado a saída do ambiente hospitalar de forma segura, garantindo a continuidade dos cuidados em um ambiente de menor complexidade. Isso reduz o tempo de internação domiciliar, viabilizando a transição dos cuidados - seja para hospitais de transição ou para o domicílio por meio da atenção domiciliar.

Para que a desospitalização seja feita com sucesso, é necessário o alinhamento de necessidades clínicas do paciente e possibilidades dos diversos envolvidos, como família, operadora de saúde, equipe médica e multiprofissional.

Custo e efetividade: benefícios da desospitalização

Para o paciente, a continuação do tratamento fora do ambiente hospitalar ajuda a reduzir alguns efeitos indesejáveis, como a vulnerabilidade a infecções hospitalares. Por estar mais próximo da família, amigos e animais de estimação, o conforto e bem-estar também são maiores.

Para a instituição de saúde, com a desospitalização, os leitos hospitalares são usados de forma eficiente, trazendo rotatividade e melhorando a experiência do paciente com olhar de atenção individualizada, colocando-o no centro do cuidado.

A desospitalização também traz para as operadoras de saúde uma redução de custos associados à internação e prevenção de reinternações desnecessárias, devido à adequada transição de cuidado.

Desospitalização no A.C.Camargo

Em 2016, foi criado o Núcleo de Desospitalização em parceria com as equipes médica e multidisciplinar para garantir os benefícios e a efetividade para o paciente.

Essa equipe monitora diariamente os pacientes com internação de longa permanência (> de 15 dias), orienta os pacientes e familiares sobre o processo de desospitalização e discute periodicamente os casos oncológicos com as operadoras de saúde. O núcleo também analisa tecnicamente as solicitações recebidas com base nos critérios descritos na tabela de avaliação para planejamento da assistência domiciliar do Núcleo Nacional da Empresas de Atenção Domiciliar (Nead).

Em 2020, tivemos um crescimento de 7% no número de solicitações para assistência domiciliar comparado a 2019, e uma média de liberação das solicitações de 77%, sendo os ofensores a esse percentual as questões contratuais com operadoras e mudança do quadro clínico do paciente.

 

Fonte: Claudia Donattic Nogueira, enfermeira supervisora e responsável pelo Núcleo de Desospitalização do A.C.Camargo Cancer Center

Oncologia baseada em valor e os benefícios para os pacientes e o sistema de saúde

Oncologia baseada em valor: este é o conceito que o A.C.Camargo Cancer Center utiliza ao buscar a sustentabilidade da cadeia de saúde. É uma forma de trazer o melhor desfecho para o paciente com o menor custo, comparando os diferentes tratamentos disponíveis. Neste modelo, todos são beneficiados: instituições de saúde, operadoras e, principalmente, o paciente.

O valor está na qualidade de vida

No conceito de oncologia baseada em valor, o ponto-chave é a palavra “valor”, que traz a compreensão de que a qualidade de vida e as maiores chances de cura são essenciais para o paciente. Para isso, é utilizada uma extensa e relevante base de dados médico-científica para encontrar o melhor tratamento com o melhor custo-benefício.

Muitas vezes, o que diferencia o custo de um tratamento é o estádio do tumor quando o paciente chega ao A.C.Camargo. Estudos mostram que o paciente com um diagnóstico precoce e que recebe o tratamento no tempo correto tem maiores chances de cura e melhor qualidade de vida. Já o paciente que chega com um tumor em estádio avançado poderá passar por muitos procedimentos, muitas vezes mais caros e com prejuízos à qualidade de vida.

Essa perspectiva pode ser ilustrada com o resultado de uma análise feita com pacientes do A.C.Camargo com tumores colorretais:
 

A imagem ilustra que, quanto mais avançado o diagnóstico do câncer, maior o custo do tratamento
*In situ: quando as células do tumor estão restritas ao seu local de origem, sem se espalhar para outras camadas do mesmo órgão.
 **Estádio: o estadiamento é uma forma de classificar a extensão do tumor, se ou quanto ele afetou os gânglios linfáticos ou outros órgãos. Para isso, é usada uma combinação de letras e números: T de tumor, N de nódulos (ou gânglios linfáticos) e M de metástase, e números que vão de 0 (sem tumor, ou sem gânglios afetados ou sem metástase) a 4, este último indicando maior acometimento.
 

 

Este estudo também mostra que o paciente com tumor colorretal em estádio 3 teve um custo 27 vezes maior quando comparado ao paciente com tumor colorretal in situ. Ou seja, enquanto um paciente apenas fez uma ressecção endoscópica (retirada do tumor por meio de uma colonoscopia), o paciente com câncer mais avançado precisou fazer cirurgia e lidar com os efeitos colaterais da quimioterapia e da radioterapia. Além de ter um grande impacto na qualidade de vida do paciente, esse tratamento custa mais caro para o sistema de saúde como um todo.

Neste contexto, o A.C.Camargo sempre se preocupou com a sustentabilidade do sistema de saúde. Apesar de nunca ter buscado um posicionamento de baixo preço, a Instituição trabalha com rígidos conceitos de desperdício zero. 

Nos protocolos de atenção oncológica, o uso de recursos ocorre apenas com embasamento em evidências médicas e científicas. A discussão multidisciplinar dos casos também permite que haja um planejamento integral, do diagnóstico ao seguimento, em que toda cadeia de atenção e todas as especialidades integrem os recursos, otimizando sua utilização e obtendo o melhor resultado pelo melhor custo.

Protocolos e jornadas

O A.C.Camargo, enquanto cancer center, atende muitos pacientes de alta complexidade, com uso de insumos, medicamentos e tecnologias de alto valor agregado. Por isso, foram estruturados protocolos operacionais e assistenciais para a jornada de tratamento com indicação de tempo em que as etapas devem ser percorridas. 

Foi estruturado para cada perfil de paciente não só o que precisa ser feito, mas o tempo ideal, por exemplo, para iniciar o tratamento. São jornadas desenhadas pensando no melhor desfecho e com base em evidências científicas. Se o paciente seguir corretamente todos os passos, as chances de cura são maiores. 

Mas, quando ocorre algum problema em cumprir os prazos estabelecidos para cada etapa do tratamento, é feita uma avaliação para melhorias e estruturação de planos de ação.

Mesmo com toda essa atenção para que o paciente faça o tratamento no momento adequado, a maior preocupação é o momento em que o paciente chega ao A.C.Camargo. É uma questão do sistema como um todo trabalhar para que ele chegue no momento em que consiga ser tratado e tenha um bom desfecho. E, para isso, é importante focar em prevenção e detecção precoce.

A importância da prevenção

A prevenção é uma das maneiras mais eficientes de combater o câncer, seja pela prevenção primária ou secundária.

Para prevenção primária (ações voltadas para evitar a exposição a fatores de risco como álcool, tabagismo, obesidade, exposição solar, entre outros), o A.C.Camargo atua como fonte confiável de informação na imprensa e nos canais oficiais da Instituição.

Para prevenção secundária (feita por meio de rastreamento e exames para diagnóstico precoce da doença), a Instituição atua em parceria com empresas, pois adotar uma cultura de atenção primária à saúde entre os colaboradores é fundamental para salvar vidas.

O A.C.Camargo conta com um programa focado em empresas, com um olhar específico para cada carteira a fim de verificar onde estão os pontos de maior fragilidade. Ou seja, foram estruturados programas de prevenção que estejam de acordo com as necessidades do perfil da população da empresa, focando nos exames mais relevantes. É um produto personalizado e que previne desperdício,

Pensando na sustentabilidade do sistema como um todo, essa é uma forma de retorno a longo prazo. O A.C.Camargo, sendo uma instituição dedicada à oncologia, conta com os melhores especialistas e grande experiência na área, considerando casos dos mais simples aos mais complexos. Esta experiência, apoiada pelas evidências científicas, permite a elaboração de protocolos que, se por um lado evitam desperdícios de recursos, por outro, garantem os melhores desfechos, o que entrega a melhor proposta de valor possível para o sistema de saúde.

Para saber mais sobre o programa de prevenção em empresas do A.C.Camargo, clique aqui.

Fontes: Natália Martinez Matos, supervisora de custo-efetividade do A.C.Camargo Cancer Center

 

Dúvidas sobre Covid-19?

Dr. Ivan França, head de Infectologia do A.C.Camargo Cancer Center, participou de uma matéria que foi ao ar no Balanço Geral, da Rede Record, para esclarecer dúvidas e atualizar as principais notícias relacionadas à Covid-19.

Disseminando o conhecimento para a luta contra o câncer

A integração de diagnóstico, tratamento, ensino e pesquisa do câncer é o modelo adotado no A.C.Camargo Cancer Center, assim como nos principais cancer centers do mundo. É uma evolução do conceito de saúde em oncologia para aprofundar constantemente o conhecimento sobre a doença e gerar inovação.

O pilar de Ensino do A.C.Camargo tem a missão de formar, desenvolver e capacitar profissionais para contribuir significativamente na área oncológica. A Instituição conduz seus projetos de ensino em saúde por três grandes vertentes: 

  • Formação de profissionais para o mercado e para a própria Instituição por meio dos seus programas de residência (médica e multiprofissional), 
  • Desenvolvimento de cientistas por meio do Programa de Pós graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) e em 2021 o Mestrado Profissional
  • Desenvolvimento e capacitação de seus profissionais assistenciais e administrativos.

 

Programa de pós-graduação*

544 mestres formados desde 1997
347 doutores formados desde 1997
61  pós-doutores formados desde 2007
82 total de profissionais incorporados ao corpo clínico

Programa de residência*

Cerca de 1500 residentes médicos formados desde 1954 
380 residentes multiprofissionais formados desde 2010

Programa de Aperfeiçoamento (Fellowship)*

Cerca de 80 formados desde 2015

Iniciação científica*

234 bolsas concedidas, aproximadamente desde 2003

*Dados até maio/2021

Novo Diretor Geral do A.C.Camargo Cancer Center

Dr. Victor Piana de Andrade assume a Diretoria Geral do A.C.Camargo Cancer Center.  

Dr. Victor é médico patologista formado pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), com residência e mestrado em Patologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Tem doutorado em oncologia pelo A.C.Camargo e pós-doutorado pelo Memorial Sloan-Kettering Cancer Center, nos Estados Unidos. Possui MBA em Gestão de Serviços em Saúde pelo Insper e pela Harvard Business School.

Iniciou sua trajetória no A.C.Camargo como médico patologista em 2005, tendo sido coordenador da residência médica de patologia. Até hoje atua como pesquisador e orientador na pós-graduação. 

Em março de 2016, assumiu a Diretoria Médica da Instituição, contribuindo para a gestão do corpo clínico e coordenação da prática assistencial integrada. Contribuiu para a consolidação do modelo cancer center, promovendo a aproximação das áreas administrativas, assistenciais, ensino e pesquisa. Entre suas prioridades, sempre destacou os critérios centrados nas necessidades do paciente e a permanente preocupação em torná-lo um protagonista nas decisões sobre o seu próprio cuidado.

Em 2020, acumulou a função de Diretor de Operações, liderando o enfrentamento da pandemia de Covid-19 com muita segurança. 

Em 19 de abril, Dr. Victor assumiu a Diretoria Geral em substituição ao Dr. José Marcelo Amatuzzi de Oliveira, que deixou a instituição após seis anos de bons serviços prestados.   

 

Por que é importante ter um grupo de apoio assistencial de quimioterapia

A saúde do paciente oncológico requer sempre muita atenção e cuidados especializados, principalmente durante seu diagnóstico, tratamento e seguimento da doença.

Nas últimas edições da newsletter A.C.Camargo Cancer Center Comunica, você conheceu o papel do Grupo Oncológico de Peles e Estomas (GOPE) e Grupo de Cateter e Terapia Infusional (GCATI). Hoje, apresentamos o Grupo de Apoio Assistencial de Quimioterapia, que tem como missão propagar o conhecimento e atualizações sobre as terapias antineoplásicas, manejos de toxicidades relacionadas ao tratamento sistêmico contra o câncer e a atuação da equipe multiprofissional visando o cuidado centrado, integral e humanizado ao paciente oncológico. 

Como funciona o grupo?

Com suporte científico, este grupo se reúne mensalmente em aulas elaboradas e ministradas por enfermeiros, médicos oncologistas, nutricionistas e farmacêuticos que atuam em nossa Instituição Eles aperfeiçoam as melhores práticas na prescrição, preparo/ manipulação e administração do medicamento e monitoramento do tratamento sistêmico. 

"A quimioterapia é uma parte essencial para alguns tratamentos oncológicos. Dessa forma, é importante que o paciente seja cuidado por uma equipe competente tecnicamente, atualizada e que olhe cada paciente em sua individualidade, direcionando para melhores desfechos e possibilidade de menores complicações", explica Juliana Schunck, gerente de operações do A.C.Camargo Cancer Center.

O Grupo conta com 88 profissionais de diversas áreas da saúde e foi formado há mais de 10 anos. 

Cuidados na fase final de vida

Entenda como algumas medidas trazem conforto para o paciente ao evitar alguns medicamentos, exames e procedimentos nos últimos dias de vida

Cuidados paliativos são aqueles ofertados a pessoa de todas as idades que se encontram em intenso sofrimento relacionado a sua saúde, a fim de trazer mais qualidade de vida a seus pacientes, familiares e cuidadores. No fim de vida, o foco do cuidado aos pacientes passa a ser, exclusivamente, proporcionar conforto e bem-estar. 

Com esse objetivo, a equipe do A.C.Camargo criou um protocolo específico para o paciente com expectativa de vida de dias ou horas. “Para esse paciente, algumas medidas de tratamento como a administração de quimioterápico, por exemplo, não resultará em mudança do percurso da doença, além de gerar impacto na qualidade de vida do paciente nesse estágio avançado”, explica Barbara Alana Vizzacchi, enfermeira que participou da construção do protocolo e do projeto piloto em julho de 2020.

O paciente passa a fazer parte deste protocolo após avaliação do médico e anuência da família ou do próprio paciente, caso esteja em condições clínicas para decidir. Depois, a equipe assistencial delibera quais tratamentos e procedimentos serão descontinuados e quais serão implementados.

Mudanças que o protocolo traz

Confira alguns exemplos das principais medidas abordadas no protocolo, em operação desde novembro de 2020.

Tratamentos implementados 
    • Visita familiar expandida, já que no período de pandemia o número de visitantes é restrito;
    • Ajuste no horário de administração dos medicamentos, evitando o período noturno para que o paciente tenha preservado seu momento de sono;
    • Avaliação e monitorização de sintomas que causam desconforto, como dor, náuseas e vômitos;
    • Avaliação da necessidade de sedação ou extubação paliativa.

Tratamentos descontinuados
    • Quimioterapia, radioterapia e/ou cirurgias;
    • Procedimentos endoscópicos e intervencionistas, como biópsias ou punções;
    • Exames de imagem e laboratoriais;
    • Reanimação cardiopulmonar;
    • Internação em UTI.

“As medidas adotadas por este protocolo têm o objetivo de trazer mais conforto e qualidade para os últimos dias de vida do paciente. Para a equipe assistencial, promove maior uniformidade e integração das ações multidisciplinares no cuidado. Mas, principalmente, ressalta a importância de olhar cada paciente na sua individualidade”, complementa a Dra. Sandra Caires, head médica do Grupo de Cuidados Paliativos da Instituição.

Referência de informação de qualidade na imprensa

O A.C.Camargo destacou-se como uma fonte de informação confiável e pela disseminação do conhecimento de forma rápida e efetiva para o paciente com câncer neste período de pandemia.

Com o objetivo de orientar e conscientizar a sociedade sobre os cuidados com a saúde na pandemia, com informações seguras e baseadas em evidências científicas, foi feito um intenso trabalho de comunicação junto a TVs, rádios, jornais e outras mídias on-line com a campanha institucional #QuemTemCâncerTemPressa. Os resultados de exposição na mídia para 2020 foram expressivos.

Indicadores de abril

Destaques de 2021

O A.C.Camargo foi a fonte de diversas pautas para TV sobre Covid-19.

 

NPS março

Indicadores de janeiro e fevereiro de 2021

Telecuidado farmacêutico em quimioterapias orais

O telecuidado farmacêutico com quimioterápicos orais é um projeto em fase piloto com os pacientes do Centro de Referência em Tumores da Mama. 

A equipe de farmacêuticos faz uma abordagem ao paciente em tratamento com quimioterápicos orais para entender quais as dúvidas em relação ao tratamento, fazer as devidas orientações e monitorar os principais problemas encontrados. Com esse monitoramento ativo, a instituição busca melhor taxa de adesão ao tratamento, melhor desfecho clínico ao paciente e redução de possíveis efeitos adversos.

 

Telecuidado

Programa de navegação

programa de navegação é composto por um grupo de enfermeiros altamente especializados em oncologia, que conduzem o paciente ao longo da jornada de tratamento. O enfermeiro navegador surge como um elo entre todas as áreas – assistenciais e administrativas, a fim de coordenar todas as etapas de atendimento de forma sincronizada e ágil, tendo o paciente no centro do cuidado.

Navegação

Índice de satisfação do paciente

Para garantir uma jornada qualificada a cada paciente atendido, o A.C.Camargo afere a percepção de sua experiência por meio de pesquisas de satisfação contínuas, que geram um Net Promoter Score (NPS). Realizadas diariamente após o atendimento, por e-mail ou SMS, a pesquisa contempla pacientes particulares, atendidos via SUS ou de convênios com operadoras de saúde.

NPS