Hepatites B e C são o principal fator de risco para câncer de fígado

Publicado em: 12/04/2017 - 21:04:00
Notícias

Para muitos, é automático pensar em doenças do fígado e relacioná-las à cirrose e, consequentemente, ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas. De fato, este é um importante fator de risco para o desenvolvimento de câncer de fígado, assim como a obesidade e o diabetes.

A principal causa, porém, são as hepatites crônicas B e C. Para a primeira, há vacinas na rede pública disponíveis para prevenção. No entanto, para a segunda ainda não há vacinas, mas existe tratamento efetivo. Outros cuidados incluem proteção sexual e uso de seringas e agulhas descartáveis.

Outros fatores de risco

  • Aflatoxinas: toxinas produzidas por fungos e que muitas vezes aparecem em lotes de amendoim, milho e nozes armazenados em condições precárias. Não se assuste: o Ministério da Agricultura faz inspeções periódicas nesses estoques e, quando há presença dessa substância, eles são interditados e destruídos.
  • Anabolizantes: é preciso evitar e ter cuidado com o consumo desses suplementos;
  • Síndromes metabólicas: já atinge 25% dos americanos. São considerados portadores de síndromes metabólicas indivíduos que apresentam pelo menos três dos seguintes sintomas: pressão alta, gordura abdominal, taxa de glicemia alta em jejum, níveis altos de triglicérides e níveis baixos de HDL, o colesterol bom. Esse quadro está relacionado ao diabetes, às doenças cardiovasculares e também ao câncer de fígado.

Diagnóstico

Geralmente, a doença é pouco sintomática nas fases iniciais e, quando os principais sintomas aparecem, já indicam doença em fase avançada, incluindo a perda de peso, o aumento do volume abdominal e a icterícia (coloração amarelada dos olhos e da pele pelo acúmulo de bilirrubina no organismo).

O diagnóstico desse tumor é feito pela associação de exames de imagem (ultrassonografia, tomografia computadorizada ou ressonância nuclear magnética) e laboratoriais (dosagem de Alfafeto-proteína – uma substância produzida pela maior parte dos tumores). Eventualmente, uma biópsia de lesões suspeitas pode ser necessária. O PET-CT também pode ser útil no estadiamento e na decisão terapêutica em casos selecionados. Consulte sempre um especialista, em caso de dúvidas.

Saiba mais sobre o câncer de fígado.

 

Dr. Felipe José Fernández Coimbra - CRM 93020
Diretor do Departamento de Cirurgia Abdominal
Especialista em Cirurgia Oncológica - RQE nº 30634
Especialista em Cirurgia Geral - RQE nº 30635

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?

Veja também

Doze cuidados com as mãos e os pés importantes ao paciente oncológico
Durante o tratamento quimioterápico, alguns pacientes podem sentir efeitos colaterais na pele, principalmente na região das mãos e dos pés. Dentre as principais alterações, destacam-se a Síndrome de mãos e pés; mudanças nas unhas e a neuropatia periférica, pequena lesão no Sistema Nervoso que pode...
Em câncer de endométrio nem sempre é preciso fazer linfadenectomia
Quando o câncer de endométrio avança, geralmente o primeiro lugar em que ele vai se instalar é nos linfonodos da pelve. "Depois disso, se o câncer continuar invadindo os tecidos, a tendência é que ele avance até a para-aórtica (que fica atrás do intestino)", explica...
Destruindo tumores: células podem programar de que forma vão morrer
Estudos apresentados no AACR Meeting 2017, em Washington, mostram que mecanismos que levam a célula para a morte programada podem colaborar no tratamento do câncer. O processo de morte celular programada, isto é, em que a célula decide a própria morte, ocorre em todo o...
O uso de aspirina pode prevenir o Câncer no Intestino?
Verdade. Diversos estudos demonstram a correlação da aspirina(ácido acetilsalicílico) com a prevenção do câncer colorretal. A Universidade Queen Mary, de Londres, revelou que o uso diário do medicamento, em baixa dosagem (75mg, menor que uma dose infantil) por mais de cinco anos pode prevenir tumores...
Evento para público leigo em SP destaca os sarcomas, tumores que podem acometer qualquer parte do corpo
Com mais de 12 mil novos casos previstos por ano nos Estados Unidos e em torno de 7,5 mil no Brasil, os sarcomas são considerados tumores raros, mas há uma questão que merece atenção: são tumores que podem acometer qualquer uma das estruturas denominadas partes...