Radioterapia feita durante a cirurgia pode evitar volta de tumores digestivos e ginecológicos

 
Publicado em: 29/05/2019 - 17:05:53

Destacado em periódico internacional, estudo identificou que o procedimento garantiu sobrevida a pacientes 

Pessoas cujos tumores retornaram após a realização de um tratamento costumam apresentar limitações para se submeterem a novas terapias. Uma forma de virar esse jogo, de acordo com um estudo realizado no A.C.Camargo Cancer Center, é a radioterapia intraoperatória – feita durante o procedimento cirúrgico, depois que o tumor foi retirado.

Publicado no periódico Radiation Oncology, o estudo Intraoperative Radiation Therapy for the Treatment of Recurrent Retroperitoneal and Pelvic Tumors: a Single-Institution Analysis (Radioterapia no Intraoperatório para Tratamento de Tumores Retroperitoneais e Pélvicos Recorrentes: Análise de Instituição Única) acompanhou os casos de 41 pacientes do A.C.Camargo ao longo de 11 anos, entre 2004 e 2015. Pessoas acometidas por tumores no trato digestivo (pâncreas, cólon, reto), trato ginecológico (colo do útero, endométrio) e por sarcomas (músculos, tendões, gordura). 

Tais pacientes não tinham metástases e apresentaram o retorno da doença em um único local, na região pélvica ou retroperitoneal, que é a parte posterior do abdome.

“A radioterapia intraoperatória foi feita em uma única aplicação, logo após a retirada do tumor, na região do retorno, visando evitar outra recidiva”, explica um dos autores do estudo, o doutor Tharcisio Machado Coelho, do Departamento de Radioterapia do A.C.Camargo. “Alguns pacientes também realizaram outras técnicas de radioterapia após a recuperação da cirurgia”, complementa o especialista. 

 

O controle do tumor

Essa técnica influenciou significativamente o tempo de vida dos pacientes. “Após oito anos com esse procedimento, alcançamos 50% de controle local da doença. O sucesso na retirada de todo tumor, antes da radioterapia intraoperatória, relaciona-se com um melhor controle local da doença”, afirma Tharcisio.

Esses procedimentos somente são possíveis porque o A.C.Camargo conta com um centro cirúrgico dentro do Departamento de Radioterapia, próximo à sala do acelerador linear, o grande diferencial do cancer center.

“Isso viabiliza a retirada do tumor e a realização da radioterapia concomitantemente. Essa estrutura associada à expertise de uma equipe multidisciplinar experiente e atualizada torna viável o tratamento para esses tumores recidivados”, celebra Tharcisio.

Avaliação de conteúdo

Você gostaria de avaliar esse conteúdo?
Esse conteúdo foi útil?
Gostaria de comentar algo sobre esse conteúdo?
Ao continuar você confirma ter ciência de nossa Política de Privacidade e dos respectivos Avisos de Privacidade e Proteção de Dados presentes em nosso Portal de Privacidade.
CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é humano e para evitar envios de spam

Veja também

A bebida alcoólica eleva o risco de um câncer de boca?
A bebida alcoólica pode ser, sim, um fator de risco para o desenvolvimento de um câncer. Essa associação ocorre não apenas para um tumor de cabeça e pescoço, como boca, faringe e laringe. O álcool também pode implicar problemas no esôfago, mama e intestino grosso...
Podcast Rádio Cancer Center #20 - O cirurgião oncológico
Conheça o papel deste especialista essencial A conversa de hoje é sobre o papel do cirurgião oncológico. Vamos falar da atuação desse especialista que é vital para o tratamento do câncer. Trata-se de um profissional que não somente é preparado para conduzir cirurgias de alta...
Podcast Rádio Cancer Center #19 - Julho Verde e a reabilitação de um câncer de cabeça e pescoço
Conheça mais as possibilidades terapêuticas da fonoaudiologia e da estomatologia Neste Julho Verde, mês de conscientização para o combate aos tumores de cabeça e pescoço (leia mais a seguir), é importante falar de reabilitação. É fundamental ressaltar as possibilidades de tratamento e até mesmo conhecer...
Como eu me tornei uma oncologista
Para marcar este 9 de julho, Dia do Oncologista, saiba mais sobre a profissão com o depoimento da Dra. Maria Nirvana da Cruz Formiga, oncologista clínica do Departamento de Oncogenética do A.C.Camargo “A oncologia é uma área que me encantou desde o 5° ano da...
Julho Verde: 9 mitos & verdades sobre o câncer de cabeça e pescoço
Julho Verde: os tumores de cabeça e pescoço representam o nono tipo de câncer mais comum no mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Incluindo todas as áreas da cavidade oral, como a língua e boca, e órgãos como laringe, faringe, seios...