Prebiótico x probiótico:
saiba a diferença e
por que são importantes
para a saúde
Prebiótico x probiótico: saiba a diferença e por que são importantes
para a saúde

Componentes ajudam na prevenção de tumores colorretais 

 

Nos últimos anos, duas palavras ganharam destaque na mídia e na internet quando o assunto é nutrição: os prebióticos e os probióticos. À primeira vista, pode parecer mais um modismo alimentar, porém o assunto vai além disso: eles realmente ajudam a manter a saúde em dia e a prevenir doenças, inclusive tumores colorretais. 

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa):

Os prebióticos são componentes alimentares não-digeríveis que afetam beneficamente o hospedeiro pelo estímulo seletivo da proliferação ou atividade de populações de bactérias desejáveis no cólon. Os prebióticos são encontrados em alguns leites e fórmulas lácteas, na banana, cebola, alcachofra e cereais integrais.

Os probióticos são microrganismos vivos capazes de melhorar o equilíbrio microbiano intestinal produzindo efeitos benéficos à saúde do indivíduo. Existem no mercado saches e cápsulas de vários tipos de probióticos e prebióticos. Nos alimentos encontrados no mercado, hoje temos leites e bebidas fermentadas e iogurtes que contêm probióticos. 

“Em palavras mais simples, os probióticos são as bactérias benéficas do nosso organismo e os prebióticos são as fibras utilizadas por essas bactérias”, explica Thais Manfrinato Miola, supervisora de Nutrição do A.C.Camargo Cancer Center.  A especialista complementa que o uso de ambos auxilia na manutenção de um intestino saudável, causando menos inflamação. “Com isso, temos a redução do risco do câncer colorretal (cólon e reto)”, conta.

 

Qual a importância para o paciente com câncer?

O uso de ambos no tratamento auxilia na redução tanto da incidência quanto da gravidade da diarreia induzida por quimioterapia e radioterapia, em alguns casos. Mas também pode ajudar a reduzir a diarreia para o paciente em uso de antibiótico.

“O paciente que realiza cirurgia intestinal, tem benefício do uso de probióticos antes e depois da cirurgia, ajudando a reduzir o risco de complicações no pós-operatório e o tempo de internação”, complementa Thais. 

No entanto, vale destacar que pacientes com imunidade debilitada não têm indicação de probiótico, apenas de prebiótico, devido à falta de evidência científica neste grupo de pacientes.

 

Quando deve-se investir em prebióticos e probióticos?

Ambos devem fazer parte de um alimentação saudável e equilibrada e, sua suplementação, se faz necessária em distúrbios do intestino, como diarreia ou constipação. 

“Embora os estudos apontem sobre a importância da nossa microbiota e microbioma, ainda é necessário maior aprofundamento para saber exatamente qual tipo de bactéria poderia trazer um benefício maior, por quanto tempo ingeri-la e a quantidade”, explica Thais.