Programa Institucional de Iniciação Científica - janeiro de 2020
Programa Institucional
de Iniciação Científica -
janeiro de 2020

Publicado em: 06/01/2020 - 15:06

O Programa Institucional de Iniciação Científica conta com 6 vagas destinadas para:

  • Área básica / translacional: 4 vagas;
  • Área clínica / epidemiológica: 2 vagas.

Inscrições

Somente poderão participar do processo seletivo:

  • Candidatos regularmente matriculados em instituição de Graduação reconhecida pelo Ministério da Educação;
  • Candidatos residentes na Grande São Paulo. 

As inscrições serão realizadas no período de 6 de janeiro a 22 de janeiro 2020 às 23h59 nesta página.

Para a inscrição o candidato deverá apresentar documentos de identificação, currículo cadastrado na Plataforma Lattes, comprovante de matrícula, histórico escolar, e carta de intenção. 

Na carta de intenção, o candidato deverá apresentar as razões que o levaram a buscar a iniciação científica e experiências anteriores na área.

No formulário de inscrição, o candidato poderá optar pela inscrição em até 2 projetos de pesquisa. 

 

Atenção ao preenchimento do formulário e envio da documentação, pois as inscrições que estiverem em desacordo, serão anuladas automaticamente.
 

Seleção

1ª fase:  
A seleção será realizada com base na documentação entregue. Os seguintes critérios serão utilizados para a seleção:

  • Histórico de notas;
  • Experiências anteriores;
  • Domínio da língua inglesa;
  • Disponibilidade de horário;
  • Carta de intenção. 

A lista de aprovados na 1ª fase

Candidato aprovado na 1ª fase Orientador Projeto  Horário
Entrevista
Local Sala
Ana Victoria Pontes de Azevedo Antonio P. Nassar Junior Fragilidade em pacientes críticos com câncer: comparação entre pacientes admitidos pelo SUS e pelo sistema privado. 13h A.C.Camargo Cancer Center
Rua Tamandaré, 764
Auditório Senador José Ermírio de Moraes - Foyer
Almir Galvão Bitencourt Carcinomas mamários invasivos: correlação radiopatológica e avaliação de resposta ao tratamento neoadjuvante
Áurea Maria Salomão Simão Alexandre A. B. A. da Costa Avaliação da resposta celular ao inibidor de WEE1 (AZD 1775) e sua relação com a expressão da CiclinaE e P53. 9h Unidade da Pires da Mota - R. Pires da Mota, 1167 - Liberdade, São Paulo - SP 8º andar
Giovana Tardin Torrezan Avaliação molecular e fenotípica de indivíduos e famílias portadores de variantes patogênicas germinativas em mais de um gene de predisposição hereditária ao câncer 13h CIPE - Rua Taguá, 440
Liberdade, São Paulo - SP
1º andar
Barbara Santiago Pires Almir Galvão Bitencourt Carcinomas mamários invasivos: correlação radiopatológica e avaliação de resposta ao tratamento neoadjuvante. 13h A.C.Camargo Cancer Center
Rua Tamandaré, 764
Auditório Senador José Ermírio de Moraes - Foyer
Bruno Costa Baltazar Benedito Jorge Pereira Avaliação da toxicidade renal imuno-imediada de pacientes portadores de melanoma em uso imunoterapia: relação do tratamento isolado e combinado. 13h A.C.Camargo Cancer Center
Rua Tamandaré, 764
Auditório Senador José Ermírio de Moraes - Foyer
Gustavo Belloti Nascimento  Thais Fernanda Bartelli Análise da composição da microbiota estomacal de pacientes com câncer gástrico. 13h CIPE - Rua Taguá, 440
Liberdade, São Paulo - SP
1º andar
Isabella Jorge Piccinelli Thais Fernanda Bartelli Análise da composição da microbiota estomacal de pacientes com câncer gástrico. 13h CIPE - Rua Taguá, 440
Liberdade, São Paulo - SP
1º andar
Jacqueline Palumbo Ribeiro Giovana Tardin Torrezan Avaliação molecular e fenotípica de indivíduos e famílias portadores de variantes patogênicas germinativas em mais de um gene de predisposição hereditária ao câncer 13h CIPE - Rua Taguá, 440
Liberdade, São Paulo - SP
1º andar
José Augusto Stinghen Neto Giovana Tardin Torrezan Avaliação molecular e fenotípica de indivíduos e famílias portadores de variantes patogênicas germinativas em mais de um gene de predisposição hereditária ao câncer 13h CIPE - Rua Taguá, 440
Liberdade, São Paulo - SP
1º andar
Maria Elisa Peixoto Bazaneli Antonio P. Nassar Junior Fragilidade em pacientes críticos com câncer: comparação entre pacientes admitidos pelo SUS e pelo sistema privado. 13h A.C.Camargo Cancer Center
Rua Tamandaré, 764
Auditório Senador José Ermírio de Moraes-Foyer
Benedito Jorge Pereira Avaliação da toxicidade renal imuno-imediada de pacientes portadores de melanoma em uso imunoterapia: relação do tratamento isolado e combinado. 13h
Milena da Silva Magina Alexandre A. B. A. da Costa Avaliação da resposta celular ao inibidor de WEE1 (AZD 1775) e sua relação com a expressão da CiclinaE e P53. 9h Unidade da Pires da Mota - R. Pires da Mota, 1167 - Liberdade, São Paulo - SP 8º andar
Giovana Tardin Torrezan Avaliação molecular e fenotípica de indivíduos e famílias portadores de variantes patogênicas germinativas em mais de um gene de predisposição hereditária ao câncer 13h CIPE - Rua Taguá, 440
Liberdade, São Paulo - SP
1º andar
Regina Attie Benedito Jorge Pereira Avaliação da toxicidade renal imuno-imediada de pacientes portadores de melanoma em uso imunoterapia: relação do tratamento isolado e combinado. 13h A.C.Camargo Cancer Center
Rua Tamandaré, 764
Auditório Senador José Ermírio de Moraes- Foyer
Soraia Quaranta Damião Benedito Jorge Pereira Avaliação da toxicidade renal imuno-imediada de pacientes portadores de melanoma em uso imunoterapia: relação do tratamento isolado e combinado. 13h A.C.Camargo Cancer Center
Rua Tamandaré, 764
Auditório Senador José Ermírio de Moraes - Foyer

 

2ª fase: 
Somente os candidatos aprovados na 1ª fase serão chamados para a entrevista presencial realizada no dia 3 de fevereiro de 2020. Durante a entrevista, os candidatos serão arguidos sobre:

  • Histórico de notas;
  • Experiências anteriores;
  • Domínio da língua inglesa;
  • Disponibilidade de horário;
  • Conhecimento sobre o tema do projeto escolhido.  

A aprovação no processo seletivo não condiciona, necessariamente, ao recebimento de bolsa de estudos. 

Bolsas: 
Este processo seletivo dispõe de 4 bolsas concedidas pelo CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Os alunos aprovados no processo seletivo serão classificados de acordo com os critérios utilizados na entrevista e os 4 melhores classificados receberão as bolsas de estudos. As bolsas PIBIC exigem do aluno dedicação ao projeto de, ao menos, 20 horas semanais

Os demais aprovados serão admitidos sem bolsa, respeitando-se o limite total de até 4 vagas na área básica / translacional e 2 vagas na área clínica / epidemiológica. 

Cronogramas/atividades que serão desenvolvidas

Todos os aprovados, deverão cumprir o cronograma das atividades propostas pelo Programa de Iniciação Científica, a ser divulgado no início do curso.

Resultado Final

Lista de aprovados - modalidade com bolsa do CNPq

Aluno Orientador E-mail do orientador
Bárbara Santiago Pires Dr. Almir Galvão Bitencourt almirgvb@yahoo.com.br
Isabella Jorge Piccinelli Dra. Thais Fernanda Bartelli thais.bartelli@accamargo.org.br 
José Augusto Stinghen Neto Dr. Alexandre A. B. A. da Costa alexandreandredacosta@gmail.com
Milena da Silva Magina Dra. Giovana Tardin Torrezan  giovana.torrezan@accamargo.org.br

Os candidatos aprovados com direito a Bolsas de Estudos, deverão encaminhar as informações abaixo para o e-mail (ensino.posgrad@accamargo.org.br) até o dia 13 de fevereiro de 2020:

  • Conta Corrente Individual no Banco do Brasil (agência, número da conta corrente)
  • Caso não possua conta neste banco deverá encaminhar um e-mail solicitando uma declaração para abertura de conta.

Aprovados para lista de espera - modalidade com bolsa do CNPq

Candidato Área 
Ana Victoria Pontes de Azevedo Clínica
Regina Attie  Clínica
Soraia Quaranta Damião Clínica

Os candidatos da lista de espera poderão ser convocados, em caso de desistência, até julho de 2020

Lista de aprovados - modalidade sem bolsa

Aluno Orientador E-mail do orientador
Bruno Costa Baltazar Dr. Benedito Jorge Pereira benedito.pereira@accamargo.org.br
Maria Elisa Peixoto Bazaneli Dr. Antonio P. Nassar Junior paulo.nassar@accamargo.org.br

    Início das atividades:
    10 de fevereiro 2020.

    Os candidatos aprovados, com ou sem bolsa, deverão contatar seus respectivos orientadores para iniciarem o projeto e cumprirem o cronograma das atividades propostas pelo Programa de Iniciação Científica, a ser divulgado no início do curso.    
     

    Para outras informações, entre em contato com a Secretaria de Ensino pelo e-mail: ensino.posgrad@accamargo.org.br

    Lista de projetos disponíveis

    Orientadora:

    Thais Fernanda Bartelli

    Resumo do projeto:

    Embora diversos estudos tenham mostrado a relevância do microbioma intestinal, permanecem questões subjacentes sobre o microbioma estomacal e o estabelecimento de um nexo de causalidade entre a microbiota e o desenvolvimento de doenças gástricas, que devem ir muito além da presença de Helicobacter pylori e do vírus Epstein Barr. Neste estudo, objetivamos caracterizar a composição bacteriana do estômago de indivíduos submetidos à endoscopia digestiva alta, incluindo indivíduos com câncer gástrico, com o objetivo de identificarmos flutuações nas populações bacterianas que possam estar associadas à saúde do estômago. Além da rotatividade regular do tecido epitelial gástrico e do derramamento de células na sua cavidade, os fluidos gástricos certamente contêm uma alta proporção de bactérias transitórias derivadas da cavidade oral, enquanto espera-se que a microbiota residente estomacal esteja em contato próximo com o epitélio gástrico. No momento, estamos realizando culturômica e transcriptômica para identificarmos bactérias que estão vivas no estômago e influenciando ativamente o microambiente estomacal. Como o câncer gástrico é uma neoplasia complexa com opções limitadas de tratamento, esses resultados podem contribuir para o desenvolvimento de novas intervenções para tratar e entender melhor essa doença.

    Orientador:

    Alexandre André Balieiro Anastácio da Costa

    Resumo do projeto:

    O câncer de ovário é a neoplasia ginecológica mais letal. A sobrevida global em 5 anos para pacientes com estágio IIIC é de apenas 25-30%. A principal alteração molecular dessas neoplasias é a grande instabilidade genética, consequência da presença de mutações somáticas do TP53 em 97% dos casos. Outra alteração frequente é a amplificação de CCNE1 observada em 15 a 20% dos casos. A superexpressão de Ciclina E1 consequente da amplificação de CCNE1 é capaz de liberar o checkpoint G1-S do ciclo celular, fazendo com que as células entrem numa fase S com aberrações genômicas não corrigidas. Células com essa alteração são muito dependentes do checkpoint G2-M para evitar a apoptose por catástrofe mitótica. A tirosina quinase Wee1 é um dos reguladores do checkpoint G2-M. Um inibidor de Wee1, ADZ1775 está em fases inicias de estudo clínico, observando-se resposta parcial em alguns casos de cancer de ovário. Considerando que a superexpressão de ciclina E1 pode colaborar com a ausência de p53 para evadir o checkpoint G1-S, acreditamos que pacientes que possuam estas duas alterações possam apresentar maior sensibilidade ao tratamento com ADZ1775. Assim, este projeto tem o objetivo de verificar em ensaios pré-clínicos a sensibilidade do câncer de ovário superexpressando ciclina E1 ao tratamento com AZD1775 em presença ou ausência de mutações em TP53; e avaliar a frequência de amplificação de ciclina E1 e mutações em TP53 nas pacientes com câncer de ovário no A.C.Camargo Cancer Center.

    Orientador:

    Benedito Jorge Pereira

    Resumo do projeto:

    Novas classes de quimioterápicos, como os inibidores imunes do checkpoint (ICIs), estão associados a toxicidades imuno-mediadas, podendo causar nefrites, colites, tireoidites, dermatites e pneumonites. Objetivos: avaliar a incidência de disfunção renal nos pacientes com melanoma em uso de ICIs, relacionar fatores clínicos e laboratoriais da lesão renal aguda (LRA) durante o uso de ICIs isolado e combinado. Métodos: Estudo clinico, observacional, do tipo coorte retrospectiva, para identificar fatores clínicos e laboratoriais da LRA de pacientes com melanoma em uso dos ICIs (isolados e/ou combinados): nivolumabe, pembrolizumabe, ipilimumabe; realizado no setor de quimioterapia do A.C.Camargo Cancer Center, através do acesso ao sistema da RECAP. Serão coletados dados demográficos: sexo, idade, morbidades como o diabetes, hipertensão, doença pulmonar, hepatopatias, doenças cardiovasculares, tipo de neoplasia, estadiamento tumoral, esquemas quimioterápicos prévios, cirurgias, tipo de ICIs com doses; dados laboratoriais como a função renal (uréia e creatinina), eletrólitos (sódio), função tireoidiana (TSH), VHS, amostras de urina (urina tipo 1), no momento antes da exposição a droga, e em cada ciclo subsequente com avaliação clinica e laboratorial. A análise estatística será realizada no programa SPSS e os resultados apresentados em média, desvio padrão e porcentagens, sendo considerado significativo quando o p<0,05.

    Orientadora:

    Giovana Tardin Torrezan

    Resumo do projeto:

    Atualmente o diagnóstico genético de indivíduos em risco para síndromes de predisposição hereditária ao câncer (SPHC) é realizado através do sequenciamento de nova geração de painéis multi-genes contendo de uma dezena a uma centena de genes de predisposição ao câncer (GPC). Estudos recentes de literatura e do nosso grupo evidenciam que uma pequena parcela dos pacientes portadores de SPHC apresenta variantes patogênicas/provavelmente patogênicas (P/PP) em mais de um gene, incluindo genes de alta e moderada penetrância ao câncer. No entanto, as implicações clínicas relacionadas à expressividade de múltiplas variantes em um indivíduo ainda são desconhecidas. Assim, a caracterização fenotípica e molecular de indivíduos e famílias nas quais duas ou mais variantes P/PP estão segregando pode fornecer evidências sobre a etiologia dos tumores, efeitos sinérgicos e riscos modificados nestes indivíduos. Nesse sentido, o presente estudo tem como objetivos: descrever as características clínicas de pacientes/famílias com duas ou mais variantes P/PP em GPC; avaliar características moleculares (expressão proteica, expressão alélica e perda de heterozigose) dos tumores desses indivíduos para definir relações de etiologia entre variantes e tumores. Além dos objetivos principais do trabalho, este projeto também tem como escopo a formação técnica e científica do aluno, que terá a oportunidade de se envolver em outros projetos do grupo relacionados ao tema de tumores hereditários.

    Orientador:

    Almir Bitencourt

    Resumo do projeto:

    O câncer de mama é uma doença heterogênea. Na prática clínica, as pacientes com carcinoma mamário invasivo são classificadas em imunofenótipos (Luminal, HER2 e Triplo-negativo) com diferente apresentação, prognóstico e tratamento. Atualmente, a quimioterapia neoadjuvante (QTN) é o padrão de tratamento para pacientes com câncer de mama localmente avançado. Este tratamento permite a redução do tamanho do tumor, facilitando o tratamento cirúrgico e o tratamento precoce de eventuais metástases subclínicas, além de possibilitar a avaliação in vivo da resposta tumoral aos agentes quimioterápicos utilizados. A resposta patológica completa (pCR) ao final do tratamento tem importante valor prognóstico, sendo utilizada em muitos estudos como desfecho substituto para a previsão de benefício clínico a longo prazo, como a sobrevida livre de doença e a sobrevida global. A Ressonância Magnética (RM) de mamas é uma ferramenta diagnóstica que fornece informações morfológicas e funcionais importantes para a caracterização dos carcinomas mamários. Este método tem sido cada vez mais utilizado na prática clínica, seja para rastreamento, diagnóstico, planejamento terapêutico e avaliação de resposta após a QTN. O objetivo deste trabalho é comparar as características clínicas, de imagem (RM) e anatomopatológicas de pacientes com carcinoma mamário invasivo com a resposta patológica ao tratamento neoadjuvante.

    Orientador:

    Antonio Paulo Nassar Junior

    Resumo:

    A fragilidade é um fator independentemente associado a maior mortalidade em pacientes com câncer e em pacientes internados em terapia intensiva. A mensuração da fragilidade, inclusive, parece melhorar a acurácia prognóstica de escores de gravidade em unidade de terapia intensiva. Diversos fatores, como funcionalidade e comorbidades, interferem na fragilidade, mas não se sabe se ela ocorre de forma diferente de acordo com status sócio-econômico e/ou o acesso ao sistema de saúde. O objetivo desse estudo é comparar a ocorrência de fragilidade de acordo com o acesso ao sistema de saúde (SUS vs privado) entre pacientes com câncer admitidos em unidade de terapia intensiva. Trata-se de um estudo de coorte retrospectivo. Serão incluídos pacientes admitidos no período de 2012 a 2017; excluídas as readmissões. Para avaliação da fragilidade usaremos o escore Modified Frailty Index (MFI).