Sinalização celular
Sinalização celular

Highlight

Oncogenes e supressores tumorais frequentemente mutados no câncer são reguladores de vias de sinalização. Desse modo, compreender como estas vias estão ativadas no câncer é essencial para o estabelecimento de novas estratégias terapêuticas.

Equipe

Pesquisadores

Glaucia Hajj – http://lattes.cnpq.br/0953704905334927
Martin Roffé – http://lattes.cnpq.br/2786949793018212

Aluna
Danielle Pereira Nascimento – http://lattes.cnpq.br/9306695944849736

Vias de sinalização são conjuntos de proteínas relacionadas umas com as outras, de modo que a atividade de uma impacta as outras. Em geral, nas vias de sinalização, existe uma cascata de ativação, em que uma proteína é responsável por ativar uma segunda, que, por sua vez, ativa uma terceira, e assim sucessivamente. As vias de sinalização são responsáveis por regular todas as atividades celulares, como a proliferação, a invasão e a morte celulares. Devido a essa configuração em cascata, quando uma proteína de uma via de sinalização sofre alguma alteração, por exemplo, uma mutação, toda a via é afetada. Virtualmente todos os tumores apresentam alterações nas vias de sinalização, que serão responsáveis, assim, por modular o comportamento tumoral. Assim, o estudo das alterações na sinalização é essencial para conhecer, entre outras coisas, os efeitos de diferentes tipos de mutações e estabelecer estratégias terapêuticas através da modulação farmacológica de componentes dessas vias. Atualmente, nosso foco é o cross-talk entre duas vias de sinalização oncogênicas: via de Ras-Raf-ERK1/2 e PI3K-Akt-mTORC1.

Publicação

  • Roffé M, Lupinacci FC, Soares LC, Hajj GN, Martins VR. Two widely used RSK inhibitors, BI-D1870 and SL0101, alter mTORC1 signaling in a RSK-independent manner. Cell Signal. 2015 Aug;27(8):1630-42. doi: 10.1016/j.cellsig.2015.04.004. PMID: 25889895
Sinalização Celular

Utilizamos a técnica de Western Blot e imuno-histoquímica para visualizar a ativação de diversas proteínas das vias de sinalização.