Patologia Investigativa
Patologia Investigativa

O Grupo de Patologia Investigativa utiliza modernas técnicas diagnósticas que oferecem aos pesquisadores relevantes informações em relação ao perfil molecular do tumor. Esses recursos são utilizados para o desenvolvimento de pesquisas que podem mudar o diagnóstico e o esquema terapêutico do câncer.

As linhas de pesquisa do grupo se caracterizam pela busca do melhor entendimento da etiopatogênese, do comportamento biológico e de fatores preditivos e prognósticos de diversos tipos de câncer. Genericamente, é identificada como Patologia Tumoral.

As pesquisas desenvolvidas no laboratório utilizam recursos de Imunoistoquímica, PCR, Microarray (cDNA e TMA), técnicas de pirosequenciamento, sequenciamento de DNA, Hibridação in situ Cromogênica e Fluorescente (CISH e FISH), além de procedimentos sofisticados como Microdissecção à Laser, estudo de Rearranjo Gênico, entre outras técnicas moleculares.

Utilizado amplamente, o TMA (Arranjo Tecidual em Matriz) - do inglês Tissue MicroArray - é uma ferramenta de alta produtividade que permite estudar centenas de amostras de tecidos de diversos pacientes simultaneamente, em um único bloco de parafina. O laboratório dispõe de arrays de tecidos normais e neoplásicos de mama, tireoide, estômago, ovário, colo uterino, sarcomas, melanomas, linfomas, entre outros.

Linhas de Pesquisa

  • Linfomas, carcinomas penianos e estudo do mecanismo de metástases;
  • Sarcomas;
  • Linfomas e oncogênese viral;
  • Neoplasias do trato gastrintestinal, óssea e do sistema nervoso central;
  • Pesquisas morfológicas e moleculares das neoplasias;
  • Neoplasias da mama e em citopatologia.

Coordenador

Dr. Antonio Geraldo do Nascimento
Anatomia Patológica - CRM: 146474