Modelos animais para estudo de tumores humanos
Modelos animais para estudo de tumores humanos

Highlight

  • Entre as novas abordagens para a terapia personalizada do câncer e para o desenvolvimento de novas drogas, os PDXs surgem como uma das mais promissoras.
  • O PDX é o modelo pré-clínico que representa com maior fidedignidade a individualidade do câncer humano.
  • O PDX pode ser testado em diferentes estratégias de tratamento baseadas em assinaturas genéticas individualizadas e para rastrear a presença de biomarcadores sanguíneos.

Modelos animais para estudos do câncer são essenciais para desenvolver novas estratégias para tratamento. Atualmente, um modelo de estudo tem se destacado por sua capacidade de simular grande parte das características de tumores humanos, são os xenoenxertos derivados de pacientes (PDX, do inglês patient-derived xenografts). Este modelo animal baseia-se na implantação de fragmentos de tumores humanos em animais imunodeficientes; os tumores que se desenvolvem a partir destes fragmentos conservam as características do tumor original, permitindo estudar os tumores paciente a paciente, explorando a individualidade e a heterogeneidade tumoral e a imprevisibilidade da progressão tumoral. Assim, os PDX emergem como uma plataforma promissora para a oncologia personalizada, com o potencial de identificar, em tempo real, a melhor droga para o tratamento de pacientes específicos. Os PDXs também permitem personalizar a terapia de acordo com alterações genômicas ou de expressão gênica. O estabelecimento de PDX também permite que possam ser realizados estudos terapêuticos em tumores raros e resistentes à terapia-padrão, bem como a criação de bancos exclusivos de tumores transplantáveis, que são extremamente valiosos para estudos prospectivos.

Camundongo PDX
Os PDXs são considerados os melhores modelos para estudo de terapias personalizadas no câncer e para o desenvolvimento de novos fármacos. A implantação de fragmentos tumorais do paciente em camundongos imunodeficientes permite que o tumor se desenvolva no animal. Uma vez estabelecido o tumor, diferentes tipos de abordagens podem ser realizados e aquela que for mais eficiente no animal pode ser direcionada ao paciente.

Equipe

Pesquisadores
Tiago Góss dos Santos – http://lattes.cnpq.br/7634526007103037
Michele Christine Landemberger – http://lattes.cnpq.br/7348091330126436

Aluno
Adriano Oliveira Beserra – http://lattes.cnpq.br/8214186682224082

Publicações:

  • Muñoz JJ, Drigo SA, Kuasne H, Villacis RA, Marchi FA, Domingues MA, Lopes A, Santos TG, Rogatto SR. A comprehensive characterization of cell cultures and xenografts derived from a human verrucous penile carcinoma. Tumour Biol. 2016 Aug;37(8):11375-84. doi: 10.1007/s13277-016-4951-z.