Notícias

Presença de bactéria H.pylori,
relacionada ao câncer de estômago,
chega a 57% na América Latina e Caribe
Presença de bactéria H.pylori, relacionada ao câncer de estômago,
chega a 57% na América
Latina e Caribe


CLOSE

Presença de bactéria H.pylori, relacionada ao câncer de estômago, chega a 57% na América Latina e Caribe

Publicado em: 27/06/2019

Condições ruins de saneamento básico e a ingestão de alimentos crus ou mal condicionados são as principais causas de infecção pela bactéria, que pode ser evitada e tratada

As taxas de incidência e de mortalidade do câncer gástrico são altas na América Latina e a bactéria H.pylori está associada ao desenvolvimento de alguns tipos de tumores como o adenocarcinoma. Para entender melhor esse assunto, o A.C.Camargo realizou o estudo Prevalence of Helicobacter pylori infection in Latin America and the Caribbean populations: a systematic review and meta-analysis / Prevalência de infecção por Helicobacter pylori em populações da América Latina e Caribe: uma revisão sistemática e metanálise, cuja autora é a doutora Maria Paula Curado, head do Núcleo de Epidemiologia e Estatística em Câncer do A.C.Camargo.

O trabalho se propôs a revisar estudos sobre o assunto em 14 países da América Latina e Caribe, incluindo mais de 24 mil indivíduos, entre 1987 e 2012. “Os dados sistematizados apontaram uma alta prevalência do H.pylori na região de 57,57% em todas as idades, enquanto a prevalência mundial é de 44,3%. Nas crianças e adolescentes a prevalência encontrada foi de 48,36%, enquanto em adultos foi de 69,26%. Em relação ao sexo, não foram observadas diferenças”, destaca a epidemiologista.

Dos casos incidentes de câncer associados a agentes infecciosos, aproximadamente 56% dos casos de câncer gástrico (não cárdia região de transição entre o esôfago inferior e o estômago) foram atribuídos ao H.pylori, em 2012. Entre as principais causas de infecção pela bactéria estão fatores como condições ruins de saneamento básico e a ingestão de alimentos crus ou mal condicionados.

De acordo com a doutora Maria Paula Curado, são necessárias ações de prevenção e tratamento desta bactéria, principalmente, em crianças e jovens. “Percebemos que o câncer gástrico só aparece na fase adulta, por isso é importante tratarmos o quanto antes as crianças e adolescentes que possuem a bactéria a fim de evitar os riscos para o desenvolvimento deste tipo de tumor”, ressalta.

Como forma de prevenção é importante que a qualquer sintoma de desconforto abdominal, enjoo e queimação, seja procurada a avaliação de um médico para investigação da causa. A bactéria pode ser diagnosticada por diversos exames, como a endoscopia e o tratamento inclui o uso de antibióticos via oral.