HPV x Papanicolau
HPV x Papanicolau

A investigação do vírus HPV não substitui a realização do papanicolau. Ambos são feitos por meio do mesmo material. Por sua vez, a análise do HPV tem se mostrado mais sensível. “Ao investigarmos a infecção pelo vírus, quando o resultado dá negativo nós podemos afirmar, com chance muito grande de acerto, que de fato ele é negativo”, observa Glauco Baiocchi.

A decisão do A.C.Camargo de adotar a análise de subtipo de HPV como rotina clínica está alinhada às diretrizes da American Society for Colposcopy and Cervical Pathology. É recomendável para todas as meninas, a partir da primeira menstruação, a ida regular ao ginecologista para receber, entre outras orientações, dicas para a prevenção do câncer de colo do útero. 

Para mulheres de 21 a 29 anos, é indicada a triagem de rotina com citologia (HPV e papanicolau) a cada três anos. Para mulheres com idade igual ou superior a 30 anos, o resultado do HPV orienta a melhor forma de acompanhamento: se o HPV for negativo, o exame pode ser repetido após cinco anos. Se o HPV for positivo, o médico poderá recomendar uma colposcopia, exame que rastreia o colo do útero à procura de lesões que dão origem ao câncer.