Notícias

Apoio do farmacêutico aos pacientes em Radioterapia minimiza efeitos colaterais

Além do médico radioterapeuta, oncologista clínico, físico médico, estomatologista, nutricionista e da enfermagem, a equipe multidisciplinar na radioterapia tem farmacêuticos. Eles trabalham para trazer ainda mais segurança ao procedimento e minimizar possíveis desconfortos dos pacientes durante o tratamento. Mais um benefício da atuação integrada de nosso Cancer Center. A descrição desse trabalho aparece no artigo Atuação do Farmacêutico Clínico no Ambulatório de Radioterapia, publicado na revista da SOBRAFO (Sociedade Brasileira de Farmacêuticos em Oncologia). A autora é Eliana Guadalupe Morganti do Lago, Supervisora de Farmácia.

"Faz dois anos que começamos esse trabalho específico no ambulatório de Radioterapia", conta Eliana. Como funciona? No momento do planejamento da radioterapia o farmacêutico já pode acompanhar a equipe para prever possíveis efeitos colaterais e o que pode ser feito para amenizá-los. Efeitos adversos comuns como dermatite - que pode ir de uma leve coceira a uma ulceração severa - atingem 85% dos pacientes e dependendo da extensão, comprometem muito a sua qualidade de vida. A atuação da equipe multiprofissional é fundamental para a detecção precoce, o manejo adequado e a redução de sintomas.

Pacientes em tratamento do câncer de cabeça e pescoço, por exemplo, têm dificuldades para deglutir ou sentem dores na boca, que atrapalham a administração de medicamentos. Hora de o farmacêutico entrar em cena e sugerir outras formas e vias de dar a medicação, seja para aliviar a xerostomia, que resseca a boca, ou analgésicos para a dor. O farmacêutico ainda pode orientar os pacientes sobre como armazenar e utilizar os medicamentos em casa, além dos horários corretos de tomar a medicação; educar os pacientes sobre a administração de medicamentos via sonda nasoenteral; orientar sobre a profilaxia prescrita pelo estomatologista com flúor, água bicarbonatada, protetor labial etc. E ainda aconselhar as equipes sobre riscos de alterações medicamentosas.

"O farmacêutico clínico na Radioterapia atende em média 30 pacientes por mês, o que só é possível com o apoio da equipe de Enfermagem, que aciona a nossa presença para questões relacionadas aos medicamentos. Temos um retorno muito positivo, espontâneo, deles. Os pacientes agradecem muito a atuação da nossa equipe", diz Eliana.